sexta-feira, 22 de julho de 2016

Luz na passarela e lá vem elas!!!!





Essa música foi uma espécie de entrada triunfante da então nova loira do grupo É o Tchan, a Sheila Melo. Muito apropriada pois a mesma irradia luz não só por ser bela mas por ser nativa do signo zodiacal regido pelo Sol, o Astro Rei. Ora pois, cá estou eu para falar da minha descoberta tardia com relação a Astrologia. Até meus trinta e cinco anos, nunca sabia, nem ligava para este lance de signo. Fui despertada à curiosidade epistemológica. Sim, uma curiosidade com objetivos de encontrar o cerne da coisa e não apenas o superficial. Fiquei surpresa e feliz ao me ver ali descrita.Com algumas observações um tanto que exageradas a respeito dos leoninos, em muitas literaturas "pseudosérias", procurei compreender de fato melhor as características do mesmo. Pois parto do princípio de que o autoconhecimento é a raiz de todas as respostas para decisões importantes da vida. E conhecer nosso signo solar é sem dúvida alguma a chave mestra. Descobri o meu decanato e planeta regente o que mo meu caso, não é um planeta e sim o Astro Rei. Embora os leoninos do segundo e terceiro decanato tenham similaridades comigo, os seus respectivos planetas regentes dão um toque a mais que diferenciam entre sí. Pois os segundo decanato tem regência em Sagitário regido por Júpiter e o terceiro decanato regido por áries que é regido por Marte ( Deus da Guerra) : D . Enfim, meu signo é do elemento fogo e fixo. Muita determinação, generosidade. Amamos a honra, a palavra, o respeito. Quando amamos somos inteiro. Mas quando desprezados ou humilhados, sabemos ser pedra de gelo. E normalmente como a palavra de um rei ( reis do Zodíaco), não costumamos voltar atrás uma vez tomada a decisão realmente . Cada leonino difere um do outro em diversos aspectos. Afinal o mapa astral é quem dirá de fato, quem somos por inteiro. Tenho ar no meu ascendente. Meu oposto. Dualidade completa entre como me mostro e como sou. Parabéns para mim por ter o privilégio de ter nascido entre 22 de Julho e 22 de agosto. Sabendo que estas datas variam de acordo a cada ano. Conheço leoninos do dia 23 de agosto por exemplo. Só o mapa astral dirá. No meu caso, não nasci em cuspide( saída de um signo e entrada d'outro) sou leonina nata regida pelo Sol. E quão bem me sinto por isto. Agora é só pegar o melhor de tudo isso e brilhar mais ainda. A lá Jennifer Lopez, Demi Lovato, Beatriz Segal, Glória Pires, Daniela Mercury, Sandra Bullock....e luz na passarela que lá vem elas. Poderosas!!!

Iracema Correia

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Entojada de gente ciumenta.



Me desculpe quem é ciumento. Mas não tenho a menor paciência pra crises de ciúmes. Homem ou mulher . Amizade ou relação entre casais, etc. Penso que quando conhecemos o nosso valor, não nos abalaremos tanto com qualquer comentário ou qualquer coisa. Não digo em casos gritantes, mas se isso ocorrer já é uma prova de que o outro não me merece. Quando adolescente, é normal a insegurança. Mas vindo de pessoas supostamente maduras, chega me causa náuseas. O outro é um objeto por acaso seu para LHE PERTENCER??? De forma que não possa conversar com ninguém? Ou olhar? Será que você também não olha para outra pessoa? Penso que ciúmes é uma forma de julgar os outros pela nossa personalidade. É por isso que muita gente tem dificuldades de começar uma relação, pois antes até mesmo de firmar um compromisso, já está tendo crises convulsivas de posse sobre o outro. E o pior de tudo NÃO ASSUME. Isso não é nada bonito nem saudável.Deus me defenda de gente ciumenta perto de mim! Só tenho ciúmes do que me pertence por direito. Meu salário ganho, meus bens adquiridos com esforço, porque cuido e não gosto que ninguém destrua. Quem me conhece bem sabe muito do que tô falando.Quem quiser vir comigo que me dê a mão,  se não, escolha os seus iguais, simples assim. Ciúme é doença e em casos graves,  desvio de caráter mesmo,que precisa ser tratado com autoconhecimento. Entojada com gente ciumenta. 😣😣😣😣Iracema Correiama Correia

sábado, 25 de junho de 2016

Cara de Madeira





Eu sempre defendi a bandeira da sinceridade. Acredito que ela simplifica de forma extraordinária a nossa existência. Quando somos honestos em nossos relacionamentos tudo flui melhor.  Assim ninguém precisa ficar com medo de amar ou gastar horas analisando todas as possibilidades ou ainda tentar a façanha de adivinhar os pensamentos alheios. Fico imaginando a infinidade de carreiras finalizadas, em amores renunciados e pessoas infelizes porque não tomaram posse da verdade consigo e com o próximo.  Parece tão simples e salutar!  Por que ainda insistem em fugir da praticidade? Então eu cresci o suficiente para entender que TUDO  nesta vida tem preços e que a  conveniência e o conforto estão na tendência contemporânea. Ser sincero custa caro,  é arriscado e ainda exige bom senso. Tem um preço. Por levantar esta bandeira meus braços não se cansaram, contudo quebrar a cara tem sido tão natural quanto a luz do dia. Há  vezes que eu penso,  desta vez nem super bonder resolve. (risos). Meu caro,  a mim é preferível sofrer por algo real,  e não por martírio e arrependimento.  Do que me adianta o orgulho envelhecido com a coleção de " e se "?! Isso deixa a consciência tão fedida como mofo. Talvez quando eu for velha minha cara estará mais remendada que aquela xícara preferida. No entanto  terei uma certeza,  nunca deixei amores perdidos pelo caminho. Gosto da verdade não porque é o caminho mais fácil,  mas porque é o mais justo. Então aquela senhora será  quem ela sempre foi.  Afinal ela nunca foi do tipo que coleciona máscaras e " e se... "

Fonte: http://3peregrinas.blogspot.com.br/2014/08/minha-cara-de-madeira.html?m=1

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Honestidade...por onde andas?




Honestidade...por onde andas?

Por vezes percebo como é comum a confusão entre honestidade e sinceridade e em como estas caminham numa linha tênue com a grosseria. Não vejo a necessidade de expormos nossas opiniões sobre a vida de alguém, principalmente quando não somos solicitados. Haja vista que uma opinião ainda que sincera, não deixa de ser o seu modo particular e subjetivo sobre a vida em geral. Qualquer tentativa de impor isso a alguém não deixa de ser uma violência. Pois invade a privacidade alheia, sua fé,  costumes, etc. para impor o que você pensa sobre o assunto em questão. Seria bom que a sinceridade de fato viesse aliada com a honestidade . E com ela toda a integridade moral e ética. Encoberto com uma verdade de caráter, com filtro para a grosseria não passar. Apenas o que somos e o que sentimos de fato. Sem maquiagem, sem deixar dúvidas ou algo subtendido. Uma elegância de caráter e postura de quem pensa e age de forma coerente. Honesta, mais precisamente, consigo.

Iracema Correia
Juro solenemente que direi a verdade....nada mais que a verdade. Hum!!


quinta-feira, 9 de junho de 2016

Você pode ser feliz e nem sabe.


E acredite... muitos ainda não tiveram esta felicidade e talvez nunca a terão.
Quantas reclamações porque algo não deu certo. Quantas incertezas, dúvidas e reclamações diante de situações que deveríamos estar agradecidos. Enquanto uns reclamam porque o namorado não deu o presente da forma bem escondida e surpreendente como esperava, a outra pessoa só queria ter um namorado que lembrasse o quanto ela é importante pra ele e que quer lhe agradar, lhe ver feliz. Outras sendo assediadas por vários homens lhe prometendo o céu e presenteando-as, confusas, pedindo a Deus discernimento enquanto alguém só desejaria ter  quem a amasse e lhe fosse companheiro pelo resto da vida. Já outros lamentam que ouvir o forró faz lembrar o pai falecido, que dançava muito com ele e que esta época junina é muito difícil encarar as lembranças. Quem nunca teve um pai presente e não sabe o que é ter um olha para o passado e não tem motivo pra sorrir. Porque desconhece o amor paterno. Mas ainda assim agradece a Deus por não ter crescido num ambiente de abuso sexual por parte de pais e padrastos pedofilos. Não gosto de ver a vida com um olhar pequeno. Pois coisas boas têm que ser o normal da vida. As ruins são as anormais.Mas,diante de tantas faltas e carências que muitas pessoas aqui sofrem. Talvez outras não se dêem conta de como estão reclamando de barriga cheia e deixando de apreciar e viver os melhores momentos da vida exigindo a perfeição de tudo. É bom desejar o melhor. Mostrar-se grato torna o dia a dia mais leve. E para quem vive de esperança e nunca conheceu o amor de verdade, levanta as mãos aos céus e agradece a Deus ou a quem quiser por nos ter criado, pois com certeza pra um propósito nós temos. Acomodar o coração e viver um dia de cada vez. Agradecendo a capacidade de poder ter ouvidos para ouvir, boca para sorrir, dentes para mostrar a cada piada que certamente ouvir. Nem todos na vida consegue ter tudo mas podem fazer do que tem o seu tudo.

Iracema Correia

segunda-feira, 23 de maio de 2016

Posso até ouvir seus conselhos...seguir é uma escolha minha.



O autoritarismo, a posse, o controle é quando queremos também impor às outras pessoas nossas vontades. Não adianta se posicionar como conselheiros sem ser solicitado. E ainda assim,  se solicitado, saber respeitar o limite ,evitando ser invasivo. Me sinto invadida quando querem ensinar como devo alimentar a minha filha, criá-la, arrumá-la. Se como muito ou devo deixar de comer. Com quem namoro ou deixo de namorar. O que faço com o meu dinheiro, com meu cabelo, meu tempo, enfim, a minha vida. Dar sugestões é muito legal. Por vezes, fazemos isso quando achamos que podemos ajudar. Mas para tanto, precisamos conhecer bem o outro e saber se o mesmo realmente quer ser aconselhado. O interessante é que normalmente, as pessoas que mais tomam a iniciativa para dar conselhos, são as mais desastradas. As que mais insistem em que o outro lhe siga. É perigoso porque se a pessoa se der mal, o outro não terá suporte para lhe ajudar. Mas, pela insistência deveria. Vejo doutrinas religiosas impondo regras na vida das pessoas, enchendo suas cabeças de medo e culpa mas sendo incapazes de na hora da necessidade, atuarem de fato de forma prática em ajudar tais pessoas. Conselhos são bem vindos quando em conjunto com perguntas sobre como a pessoa se sente diante do assunto em questão. Na verdade só o dono da situação, saberá a melhor forma de agir,  por estar ele dentro do problema. O que pode-se fazer é oferecer opções, escuta, e se for solicitado ainda. É muita gente querendo dar opinião e pouca gente preparada para isso. E caso alguém não siga o seu conselho. Trabalhe isso dentro de você ,não entendendo isto como uma rejeição à sua pessoa. Mas antes,como um exercício de livre arbítrio do outro. Não desejemos portanto o seu mal porque não seguiu o nosso conselho, não somos senhores de ninguém. Estamos aqui na mesma caminhada, cada um aprendendo e vivendo da maneira que entende ser a melhor forma de viver.

IRACEMA CORREIA