Dislexia não é uma doença, mas um transtorno genético e hereditário da linguagem, geralmente é identificada na fase da alfabetização, quando a criança apresenta dificuldades para decifrar os códigos escritos e sonoros da leitura, trocando as palavras e seus significados.
O distúrbio é caracterizado pela dificuldade que o cérebro tem em processar os símbolos da soletração, escrita, leitura, e a compreensão de textos. Levando o professor a pensar em primeiro estágio, ser uma falta de concentração, problemas psicológicos, desinteresse, ou até mesmo preguiça para os estudos.

Mas como saber de fato a real condição do aluno que apresenta dificuldade para aprender? É sabido também que as instituições em sua maioria não contratam profissionais capacitados para atender as necessidades específicas dessa realidade em sala de aula.
Pensando nessa problemática que os professores enfrentam, a Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) lançou, junto com o Instituto ABCD, uma plataforma para capacitação de professores, online e gratuito, sobre a Dislexia.
O curso tem como principal objetivo capacitar os educadores a identificarem os sintomas da dislexia e a ensinar o que deve ser feito, oferecendo subsídios e técnicas para um ensino efetivo com resultados positivos. Sabendo como proceder, o educador mostra ao aluno como ele pode lidar com sua limitações específicas, gerando um ambiente escolar mais seguro e acolhedor.
No curso, a plataforma apresenta os seguintes temas:
1- O que é dislexia, 2- Qual a sensação de ter dislexia, 3- O que causa a dislexia , 4- O desenvolvimento da leitura, 5- O cérebro e a linguagem, 6- Processamento da linguagem, 7- Fases da leitura, 8- Resumo, 9- Compreensão, 10- Dificuldades na leitura, 11- Outras dificuldades de leitura.
A UFMG, em parceria com o Instituto ABCD, elaborou o curso a partir da versão criada pela Dyslexia Internacional, que é uma organização sem fins lucrativos que dá treinamentos para professores, assegurando que a alfabetização é possível e efetiva na sala de aula.
Para o curso, acesse o site Dislexia Brasil;