domingo, 9 de julho de 2017

O que afina uma amizade?







Pensando aqui hoje no que une as amizades. Já vi amigos de longas datas, que se conheceram em faculdades, colégios, na vizinhança, no trabalho e se perderam pelo meio do caminho, seguindo suas vidas. No entanto, as vezes quando encontram-se podem ter muito ou pouco assunto para falar. Tudo depende da afinidade. Do que foi vivido. Nas relações de trabalho, segundo pesquisadores, é muito comum nascer afinidades tão fortes que pelo convívio e compatibilidade, acabam por desenvolver em algo mais íntimo. Na vizinhança, onde se cria o hábito de falar com o vizinho todos os dias, o que pelo que vejo atualmente tem sido muito raro, torna-se comum, o vizinho também estar presente em nosso dia a dia e por sua vez, tornar-se um amigo de estrada. Amizade é afinidade. Porém, como os dedos das mãos são diferentes em funções e tamanhos, assim são os amigos. Uns contamos para os momentos de riso, outros para as confidências mais sérias, etc. Fantástico é quando encontramos tudo isso em um amigo só. É bacana por demais. De encher os olhos. Existem amizades ligadas a fé, do tipo que enquanto estiverem na mesma religião, serão amigos. Por outro lado, acontece amizades surreais. Aquelas em que um é fanático dentro de um grupo religioso e o outro também fanático por um outro grupo que talvez nem em Deus creia. E quando estas diferenças são respeitadas, é maravilhoso! Creio ser a epítome do amadurecimento entre seres humanos. Numa amizade, muitas vezes a idade pouco importa. Pessoas tão jovens desenvolvem afinidades com pessoas mais velhas e isso também é maravilhoso. Maravilhoso entre aspas, pois a depender do poder de manipulação de ambos, um pode influenciar o outro negativamente, se um dos dois ou for facilmente manipulado, um cabeça oca, e o outro com poder de persuasão enorme. Isto também independe de idade. Pessoas são pessoas e capazes de crescerem mutuamente ou prejudicarem-se mutuamente, a depender do nível de maturidade dos envolvidos. Este é o X da questão. Qual o laço que une a amizade? A depender do nível do laço, a mesma pode ser forte ou fraca ou nem mesmo existir, e ser apenas uma idealização na mente dos envolvidos. A exemplo de amizades criadas entre pessoas que têm inimigos em comum. Detestam uma pessoa por qualquer motivo válido ou não e daí unem-se numa amizade sombria de pouco crescimento. Onde os envolvidos deixam de amadurecer, como um ferro "aguçando a face do outro".
    "Assim como o ferro afia o próprio ferro, as pessoas aprendem umas com as outras."
    Acredito neste tipo de amizade, de aprendizado POSITIVO MÚTUO. Não creio que por terem afinidades em comum, necessariamente serão amigos. O respeito deve existir entre ambos. Ainda que o amigo erre, humilhá-lo argumentando que está a lhe aconselhar é grosseiro, não creio que a intimidade comporte estes tipos de atitude. Da mesma forma, deixar a coisa correr solta, no sentido de ter medo de aconselhar o amigo, a fim de não o machucar, creio também não ser uma amizade verdadeira. Quantos casos vemos de pessoas até famosas que  por conta das más companhias, destruíram as suas vidas, envolvendo-se em crimes hediondos! A culpa não deve ser atribuída só às más companhias, mas à própria pessoa que não permitiu desenvolver-se o suficiente para aprender a dizer NÃO e a ter a sensibilidade e maturidade necessária para perceber o que seria sábio ou não fazer. Como diz o ditado popular: " Diga-me com quem tu andas e eu direi quem tu és". E a própria Bíblia que nos diz que: 

"Más associações estragam hábitos úteis" Primeira Carta aos Coríntios 15:33. Tradução do Novo Mundo das Escrituras Sagradas.

Muito cuidado com quem tu andas! Existem muitas aves de rapina disfarçados de amigos. E só saberemos se são ou não amigos talvez tarde demais, quando o estrago já tiver sido feito.Ou quem sabe, nunca e ao olharmos para trás, perceberemos nas mudanças de circunstâncias que estávamos enganados todo o tempo. Estávamos sós, embora acompanhados. A maior solidão que existe.




Sabedoria à todos nós!

Iracema Correia

sábado, 8 de julho de 2017

Precisamos é de EQUILÍBRIO! RAÍZES E TRONCOS E GALHOS!







    É curioso como vemos a necessidade de algumas pessoas em ter alguém ou algo como guru, oráculo, mentor, etc. Conversando com uma pessoa hoje, ela me disse que precisava de doutrinas de uma religião para se nortear, pois caso contrário, ela se perderia "no mundão". Creio que para todos nós é importante ter raízes, bússola, princípios que norteiem nossa jornada. Mais curioso ainda é notar as atitudes inversamente proporcionais de algumas pessoas. Umas, nascem, levam a vida de extremos, digo, curtem muito, experimentam todos os limites possíveis e impossíveis e depois de se lambuzarem totalmente, bate um enjoo de tudo e resolvem parar. Então, buscam as religiões com doutrinas mais severas para ali se sentirem protegidos..., não seria de si mesmas? Outras, crescem num ambiente religioso, com regras severas e pelo fato de não conhecerem o "mundão", ou por decepção, resolvem sair e saem quais molas que enquanto apertadas e comprimidas em nossas mãos estão presas, firmes, no entanto, quando abrimos a mão e a soltamos de vez, ela pula para todos os cantos, desesperadamente! Nas duas situações, vemos falta de equilíbrio. É o sujeito oito ou oitenta, aquele desmedido sem margem, sem limites. Um profano dentro de um "santo" e um "santo" dentro de um profano. Logicamente que todos nós temos lados positivos e negativos dentro de nós, evoluídos e não evoluídos, as feras mais alimentadas serão as mais fortes. O Yang e o Yin precisam estar juntos, para haver o equilíbrio. Somos crianças, necessitamos de uma base, somos adolescentes e como tais, precisamos de um grupo de identificação, porém com uma boa base para não se perder em vários grupos, somos adultos, precisamos de orientações para saber como agir, para criar os filhos, se relacionar entre os grupos, se relacionar afetivamente, sexualmente e etc. Esta base precisa ser sólida sim. Porque se não seremos levados "por todo vento de ensino", citação bíblica. Toda novidade que aparecer, estaremos lá no meio, completamente desnorteados, nos tornando pessoas sem direção, facilmente manipuláveis, que num dado momento discorda de tudo e de todos e noutro subserviente à tudo e a todos. Imaginemos um profissional assim, um namorado, uma esposa, uma mãe, uma professora, um líder assim. Que segurança esta pessoa nos passará? Que contratos firmaremos com estas pessoas? Que critérios serão estabelecidos a fim de nos relacionarmos, se a mesma parece uma metamorfose ambulante diariamente? Hoje tem uma opinião e amanhã já questiona a opinião anterior? Esta atitude de ser metamorfose ambulante é para um contexto maior da vida. Afinal, temos uma longa jornada e  as experiências vêm mudando o curso desta jornada, nos dando, pontos de vistas diferentes. Sim, para tanto seria uma jornada suave com sobressaltos,certamente, até para fortalecer os "músculos" na caminhada. Uma jornada louca, sem destino, onde sempre, o que os sentidos primários desejassem, seriam prontamente obedecidos, sem qualquer reflexão, poderia gerar uma caminhada vazia, sem esperança, porque tudo já foi vivido sem moderação, sem reflexão, sem contemplação. Vamos contemplar o belo e celebrar a vida em tudo, respeitando os limites e espaços do nosso corpo e  do outro, da nossa essência e da essência do outro e do planeta em que vivemos. Precisamos de mais calmaria na mente e mais meditações e interiorizações e não de coleiras para nos prender, e nem tampouco ocupar todos os espaços de uma só vez de um ambiente, isso é loucura! Vamos viver tudo o que há pra viver e que tudo que nos foi vivido, nos prepare para algo bem mais especial, vamos nos permitir, ( "lulujorgevercilianosantos", filosofando com Lulu Santos e Jorge Vercilo , Tudo de bom ;) ) mas com sabedoria, olhando para trás sem culpas e arrependimentos, vivendo o presente de forma plena e o futuro com contemplação, sem medo da punição de ter feito  ou medo da falta de não ter o que fazer. Coisa de doido em! 

"E a vida tão generosa comigo, veio de amigo a amigo, me apresentar à você."





Prosperidade à todos!



Iracema Correia

quarta-feira, 5 de julho de 2017

Inclina os teus ouvidos, Ó Deus!







Especialmente hoje foi um daqueles dias que preferiria que não existisse em minha vida. Um dia de tensão, ou melhor, uma semana de tensão. Tão intensos que chega estou a flutuar. Ainda dizem que não existe Inferno Astral. A 21 dias do meu aniversário, o mundo está ao contrário e ninguém reparou. Por volta de dezembro esta "coisa" é o que posso chamar, intensifica mais ainda, também. É o meu ascendente firme e forte mais do que nunca, exibindo o seu sofrimento no período que antecede o seu aflorar. Astrologicamente falando, tem-se aqui uma explicação viável. Porém renomados astrólogos não confirmam esta teoria de Inferno Astral, dizem assim ser, uma teoria medieval. Teoria medieval ou não, sei o que sinto. A barra pesa pro meu lado em maio, junho, julho, novembro e dezembro. Quer dizer, pesa mais. Isso porque já sinto o peso do mundo nas minhas costas há muito tempo. E isto tem me cansado muito. Ao ponto de eu perguntar à Deus, qual é a DELE comigo? De forma alguma é um desrespeito, é excesso de intimidade. Eu converso com ELE todos os dias, toda hora, me levanto, como, compro, dirijo orando à ELE. As vezes a mente dá um nó complicado de desatar. E então eu choro, eu me desidrato, eu chuto o pau da barraca, me entrego, vou à lona, bato no chão, peço PP1 ( não sei o que isso quer dizer) mas, Misericórdia!!!! Sim. Que ELE na SUA condescendência tenha piedade desta alma que sofre muito, as vezes em silêncio, as vezes num sorriso, " mesmo no riso o coração talvez sinta dor" ( Texto Bíblico). Quem tem Fibromialgia não precisa de mais sofrimento, pois a Fibromialgia é a epítome do sofrimento. Para que mais sofrer? Tenho vontade de entrar no útero materno e lá ficar no quentinho, protegida. Este mundo por vezes me assusta. E quanto mais velha fico, mais sensível ainda. Não consigo nem mais pensar nos porquês e nem explicar tamanha dor. Hoje fiquei pensando que a vida nunca é justa. As pessoas aprontam, magoam deliberadamente outras, mentem e ainda assim, existem pessoas que as amam, deste jeitinho que são. Encontram amores de toda forma. Sendo mal caráter ou não, com vícios ou não. É aquele caso do filho que mais apronta que parece ser o mais amado. Neste caso, há um amor incondicional da mãe e do pai, para alguns, mesmo assim, neste mundo, há mais advogados do Diabo do que de quem anda correto, faz até a gente pensar se vale a pena ser correto. Quando paro e penso na força da Lei da Atração que, pelo menos para mim, chega numa força tão destruidora, desisto rapidamente da chance de levar uma vida inconsequente.Comigo a coisa é séria, não dá para brincar mesmo. São quase quarenta e três anos de muitos questionamentos e uma depressão que me acompanha fielmente. E com ela as dores no corpo que parecem punição. Sinto que sou um fardo para mim. Imagina para os outros? Quem quer estar ao lado de uma pessoa que mais é inútil do que útil ? Só muito amor viu!Este é o amor que sinto falta, para mim é uma impossibilidade, digamos que uma utopia. Desconheço este amor. Eu não desejo para ninguém esse cárcere que é a Depressão e a Fibromialgia.Por outro lado, parabenizo ( como se os  meus parabéns, fizessem alguma diferença) aqueles que amam alguém de forma tão pura que os aceitam como são e procuram dar o melhor para estas pessoas, não se sentem usadas e sim, amadas também.É lindo de ver! Meu sonho de consumo. Sou muito mais julgada e condenada do que realmente compreendida. A vida nunca pegou leve comigo e nunca vai pegar! Tô calejando já. É que tem horas que para não enlouquecer eu grito. Na esperança de que Deus se assim achar possível, pelo menos, me conceda o privilégio de cruzar com pessoas que entendam que eu estou doente e que nem sempre é fácil levantar a cada dia, quanto mais , viver. Não está sendo fácil. Já me disseram que eu peço muito pouco a Deus. É porque este pouco que peço, tem sido tão difícil para eu conseguir que não imagino pedir mais nada. Quando penso em realizar os meus sonhos, o medo da perda é tão grande que me vejo no conto de Orpheu e Euridice da mitologia Grega. São tantos desencantos, inseguranças e incertezas que a felicidade é tão desejada e ao mesmo tempo, assustadora e frágil, como um sabonete dentro d'água, " (...) quanto mais a gente agarra mais ele cai da nossa mão(...)". Não sei lidar com ela, pois quem sempre andou comigo, foi a tristeza. Eu em! Hoje eu tô demais! Enfim é mais um Desabafo. Pelo menos, sufocada ou entalada eu não morro. 

Pra baixo, totalmente down.

Iracema Correia

segunda-feira, 3 de julho de 2017

Mais um dia se passou! Que viagem !







E a certeza de mais um aprendizado. Rever pessoas e histórias por um novo ângulo é enriquecedor. Retornar para antigos amigos, cantos,  revendo situações até então embaraçosas e hoje com um olhar já não tão sério assim. O legal de tudo é poder sentir um amor verdadeiro pelas pessoas  que fizeram parte da nossa história. Notar, que apesar de vez ou outra, a vida querer nos derrubar, é bom sempre lembrar que temos um cantinho no coração de quem fez parte da nossa história. Afinal o que valerá a pena é essa história que construímos no decorrer da vida. É ter e viver pessoas que nos conheceram, cresceram conosco. Amizades antigas, amores antigos. Como é bom se sentir especial na vida das pessoas, como é"bom voltar e ajuntar pedaços de tanta coisa que passei", viajar no tempo, lembrar de locais em que "estive nas mãos do homem que eu amei." Porém não sabia. Era tão nova, tanto impedimento. " Tanta gente a gente vive deixando pra trás, mas tem coisas nesta vida que não voltam mais...." quem sabe? A vida esta aí para ser vivida e nos dando sempre novas oportunidades. É bom olhar para trás e sorrir de alegria pelos bons momentos aproveitados e dizer:"certamente a escolha que fiz foi aquela que realmente me fez feliz." Mas calma, ainda dá tempo de corrigir muita coisa, não se lamenta. Eu também pensava assim. Somos autores da nossa própria história. Corre lá, pega o bonde andando e diz pro carinha lá que ele é o amor da sua vida ou volta a estudar e faz aquele curso que você tanto sonhou.Chuta o pau da barraca e manda ver." Vamos viver tudo o que há de viver, vamos nos permitir". 


Iracema Correia