terça-feira, 30 de junho de 2015

Pegadas na areia




Uma noite eu tive um sonho...
Sonhei que estava andando na praia com Deus e através do céu, passavam cenas da minha vida.
Para cada cena que passava, percebi que eram deixados dois pares de pegadas na areia: um era meu e o outro era de Deus.
Quando a √ļltima cena passou diante de n√≥s, olhei para tr√°s, para as pegadas na areia e notei que muitas vezes, no caminho da minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia.
Notei também que isso aconteceu nos momentos mais difíceis e angustiosos do meu viver. Isso me entristeceu muito e perguntei então a Deus:
- Senhor, Tu me disseste que, uma vez que resolvi te seguir, Tu andarias sempre comigo, em todo o caminho. Contudo, notei que durante as maiores dificuldades da minha vida, havia apenas um par de pegadas na areia. N√£o compreendo porque nas horas em que eu mais necessitava de Ti, Tu me deixaste sozinho.
E o Senhor me respondeu:
- Meu querido filho. Jamais eu te deixaria nas horas de provas e de sofrimento. Quando viste, na areia, apenas um par de pegadas, eram as minhas. Foi exatamente aí que eu te carreguei nos braços.
(Autor Desconhecido)


Paz e Alegria,
Carlos Hilsdorf

Quando um certo alguém desperta um sentimento...



Paix√£o √© coisa gostosa. Quando um certo algu√©m, de repente, desperta em n√≥s um sentimento bom, inevitavelmente, nossos olhos denunciam. O cora√ß√£o pulsa mais forte. Tem pessoas que n√£o conseguem esconder. H√° aqueles,que paralisam o olhar, como se a pessoa fosse uma estrela, "luzindo a madrugada". Apaixonar-se √© muito gostoso. Bom mesmo √© manter esta chama acesa. √Č ter algu√©m que nos desperte sempre vontades de algo novo fazer. N√£o podemos viver em fun√ß√£o deste pulsar eterno de cora√ß√£o, desta paralisa√ß√£o total, em busca destes picos de paix√Ķes. Assim, o cora√ß√£o n√£o aguenta.√Č muito pulsar, h√° momentos que o corpo precisa relaxar suavemente. Acredito que neste relaxar que entra o amor. Tranquilo e sereno. Onde o aquietar-se do cora√ß√£o, n√£o signifique um perder de  significados e sentidos para a vida. Mas uma tranquilidade reconfortante, segura, de quem tem ao seu lado algu√©m que realmente n√£o deseja perder. E, para tanto, mant√©m momentos de pulsa√ß√£o menores, a cada dia. Para que o cora√ß√£o n√£o deixe de bater num pulsar equilibrado, que mantenha viva a chama do relacionamento. Apaixonar-se e reapaixonar-se por um mesmo algu√©m, √© sem d√ļvida, um ganho na Loteria. At√© melhor! Sentir o cora√ß√£o pular de alegria ao ver ou perceber que o seu amado ou amada est√° para chegar a qualquer momento, apresentar ele ou ela aos amigos , com orgulho, planejar coisas simples em dupla, rir, apenas rir do nada. Estas coisas, n√£o t√™m pre√ßo. E o melhor de tudo, aquele tes√£o que n√£o morre nunca. Feliz de quem tem este "certo algu√©m". Carpe Diem. A vida √© curta.

s√°bado, 27 de junho de 2015

Falar é fazer..Regra Samurai




“Uma grande parte das pessoas admira quem tem iniciativa pr√≥pria e prefere dar exemplos com mais a√ß√Ķes e menos palavras. Quando voc√™ viu, est√° feito, pronto, realizado. O c√≥digo Samurai era cheio de regras, princ√≠pios e valores. Um deles esbarrava no ensinamento - falar tinha o mesmo valor de fazer. O outro, se voc√™ vai fazer, pode ser desnecess√°rio falar, se a mente discernir que a melhor estrat√©gia √© o sil√™ncio. A personalidade que n√£o promete e faz √© sempre mais notada. Em muitas a√ß√Ķes, ela n√£o diz “vou fazer”, ela diz “eu fiz”. Curiosidade? Se perguntasse a um Samurai qual o princ√≠pio de justi√ßa dele, responderia - o “meu”. E quais os seus valores? Respondia - “os meus”. Mais vale quem erra por ter feito o “seu”, do que quem nunca errou por n√£o ter feito nada. N√£o tenha medo de errar, v√° e fa√ßa o que entende ser o “seu” sonho, dever ou necessidade. E se ficar apavorado, vai, com medo e tudo, passe por cima, pois enfrentar o medo, diziam os Samurais, √© como o vivente se torna empoderado, poderoso, ainda que este mundo imponha todo tipo de limita√ß√£o.” - Nilsa Alarcon e J. C. Alarcon


Fonte:https://www.facebook.com/padraohumi/photos/a.180994321970846.46120.137074659696146/900583806678557/?type=1

s√°bado, 20 de junho de 2015

Onde está a família?



Quando se fala em redu√ß√£o da maioridade penal √© tanto pano pra manga.E sempre chegam √† responsabilidade da Escola, dos professores. Mas √© raro, mesmo, algu√©m citar, a responsabilidade familiar! Os professores podem dar o melhor, mas operar MILAGRES est√° dif√≠cil! Se os pais ou respons√°veis, n√£o colocarem na mente que s√£o eles, os  respons√°veis pela EDUCA√á√ÉO dos seus filhos, fica complicado resolver isto. O que n√£o d√° √© a impunidade.Cidad√£os sofrendo nas m√£os de "crian√ßas" e "adolescentes" que se sentem deuses impunes pois, ora s√£o usados por traficantes, ora s√£o usados pelos respons√°veis para roubar, ora s√£o maltratados e se vingam nas drogas,etc. Muitos filhos de classe m√©dia est√£o  no crime, muitos n√£o s√£o punidos, porque os pais protegem, porque tem bala na agulha, money, bufunfa e assim, ensinam os filhos que o crime compensa.EDUCA√á√ÉO FAMILIAR √Č A CHAVE, INDEPENDENTE DA CLASSE SOCIAL, COR DE PELE, RELIGI√ÉO,ENTRE OUTROS.EDUQUE SEU FILHO, MESMO QUE VOC√ä TRABALHE O DIA INTEIRO, OLHE A MOCHILA DELE, FISCALIZE  O CELULAR, CONVERSE COM OS PROFESSORES DELE, V√Ā NA ESCOLA, PE√áA ATESTADO E APRESENTE NO TRABALHO, UMA HORA FORA DO TRABALHO AVISADO PREVIAMENTE, N√ÉO DEMITE NINGU√ČM SE VOC√ä FOR UM BOM EMPREGADO. N√ÉO ATRIBUA A RESPONSABILIDADE √Ä ESCOLA E NEM JOGUE O SEU FILHO L√Ā, ACREDITANDO QUE EST√Ā PROTEGIDO. APRENDA A CONVERSAR COM ELE, OU√áA, P√ĀRA UM POUCO OS AFAZERES DOM√ČSTICOS, A NOVELA, O FUTEBOL E OUVE, ESCUTA, CONVERSA, OBSERVA.  A ESCOLA COMPLEMENTA, MAS N√ÉO OPERA MILAGRES. N√£o sei se sou a favor ou contra a redu√ß√£o da maioridade penal, s√≥ sei que prevenir √© melhor que remediar e que as pessoas est√£o cansadas de sofrer por conta da falta de seguran√ßa.Se o problema √© que s√≥ os pobres ou negros √© que v√£o √† cadeia, mais motivo ainda para os pobres e os negros educarem bem os seus filhos.Pois quando andamos certos, podemos com ousadia cobrar nossos direitos. TODOS devem andar certos, precisamos de reformas pol√≠ticas, tribut√°rias,mas enquanto isto, vamos dar aten√ß√£o aos nossos filhos, vamos pensar em filhos melhores para uma sociedade melhor!

Não existe regra para tudo e a vida nos prega peças!



Que delícia de texto e imagem!
Parabéns para o autor.



Certa vez conheci uma mulher na balada. Vestido curto, tatuagem no ombro, batom vermelho e o copo de bebida na m√£o. Sabe aquele olhar de mulher safada? Aquela que voc√™ olha e j√° sabe bem o que ela veio fazer ali. Essa tinha exatamente esse olhar, o que para mim era perfeito, j√° que eu havia sa√≠do de casa naquela noite com o mesmo objetivo. Formulei algo engra√ßado para dizer na primeira abordagem. Ela sorriu. Conversamos por alguns minutos at√© que veio o convite para dan√ßar. Mal sabia ela que eu era simplesmente irresist√≠vel nesse quesito. Depois de um ou dois copos aconteceu ent√£o o primeiro beijo. E que beijo! Tem gente que beija com a intensidade de quem faz compras de verduras no supermercado. J√° outros s√£o como um adolescente escolhendo o seu primeiro carro. Definitivamente ela era desse segundo grupo. Acreditem em mim, o beijo foi surreal. Daqueles com direito a mordida no l√°bio, pux√£o de cabelo, m√£o por dentro da camisa e lambida na orelha. De duas uma: ou eu era naquela noite o homem mais gostoso do universo ou aquela mulher tinha bebido o triplo do que eu bebi na minha vida inteira. Foi imposs√≠vel parar de beij√°-la durante toda a noite. Quando fui deix√°-la em casa e me perguntou se gostaria de entrar eu n√£o pensei duas vezes. Sim, foi sexo no primeiro encontro. A melhor noite de sexo da minha vida. Foi a√≠ que descobri que o forte dela n√£o era o beijo. Haviam habilidades ainda maiores. O sol chegou e n√≥s ainda n√£o t√≠nhamos dormido. A vida correndo l√° fora e eu ali ofegante, com aquela estranha deitada em meus bra√ßos. Antes de me despedir trocamos n√ļmeros de celular por mera formalidade. Todo mundo sabe que casais que v√£o para cama no primeiro encontro n√£o tem como darem certo. Sabe, talvez se tiv√©ssemos ido mais devagar as coisas poderiam ter sido diferentes. Quem sabe? Muitos anos j√° se passaram e aquela noite ainda n√£o saiu da minha cabe√ßa. Curioso como algumas pessoas passam pela nossa vida e nem se d√£o conta de que deixaram marcas profundas. Eu nunca mais vi a minha professora do prim√°rio, nem a minha namoradinha do curso de ingl√™s, mas, a mulher que conheci naquela noite, nunca mais saiu da minha mente. Agora mesmo ela est√° ali na cozinha, preparando a lancheira que o nosso filho ca√ßula leva para a escola. Depois vai vir aqui no escrit√≥rio me dar um beijo igual √†quele que ganhei na boate tempos atr√°s. De noite repetiremos mais uma vez nosso sexo selvagem. N√£o √© de se espantar? A mo√ßa do vestido curto se tornou a mulher da minha vida. Eu n√£o sei bem como vai acontecer com voc√™. Se vai conhecer seu grande amor na fila do p√£o, na sua festa de formatura ou no acampamento da igreja. Eu n√£o sei se v√£o se beijar no primeiro encontro ou se far√£o sexo s√≥ depois do casamento. O que eu sei √© que n√£o existe regra para tudo isso dar certo. Vejam voc√™s a minha hist√≥ria. A m√£e dos meus filhos gosta de beber, tem tatuagem e √© uma depravada na cama. Ao mesmo √© uma m√£e incr√≠vel e um esposa fiel, carinhosa e companheira. Nossa sociedade √© mesmo repleta de normas e r√≥tulos, felizmente a maioria deles n√£o funciona o tempo todo.

Fonte:https://www.facebook.com/photo.php?fbid=764862626958267&set=a.154052501372619.29944.100003036097526&type=1

quinta-feira, 18 de junho de 2015

CONSELHOS DE PUTA VELHA






CONSELHOS DE PUTA VELHA.
Não se esforce demais. O lingerie de seda, o perfume importado e o jantarzinho a luz de velas com vinho caro é para quem merece. Algumas mulheres têm mania de pegar um ficante que encontrou há a uma semana na balada, levar pra casa e tratar como um rei. Tratamento vip é para namorado firme e marido, se merecerem. Porte-se como uma joia rara e como tal não se doe facilmente para o primeiro que aparecer, não importa o nível da sua carência, seja valiosa.
Pare de ser tão boazinha. Abrir mão do que gosta, mudar o jeito de ser, deixar de se divertir, só porque começou um relacionamento e está apaixonada? Homem gosta de mulher com vida própria, orbitar em volta dele é receita certa para o fracasso, ele pode momentaneamente demonstrar que gosta deste estilo, mas logo se cansa. No fim você perde o namorado e os amigos. Sem contar que ele não vai abrir mão de assistir futebol para ficar com você. Use o mesmo critério para lidar com ele e no fim ele estará te acompanhando em tudo, feliz da vida, afinal é muito bom estar ao lado de pessoas que tem vida.
Pare com os joguinhos. Os casais perdem a oportunidade de se conhecer de verdade e sem m√°scaras. Est√° manjado demais transar s√≥ no terceiro encontro, n√£o responder a mensagem antes de 60 minutos, s√≥ atender o telefone no quinto toque, fazer ci√ļmes sem necessidade e fingir que n√£o d√° a m√≠nima. Encontrar o equil√≠brio entre ser dispon√≠vel demais e ser inacess√≠vel est√° dif√≠cil. Ningu√©m mais demonstra interesse e tes√£o pelo outro de forma saud√°vel. Nunca sabemos se o outro n√£o liga no dia seguinte porque n√£o est√° interessado ou porque est√° se fazendo de dif√≠cil para valorizar o passe. Ter tato para n√£o perder a dignidade e saber a hora de bater em retirada √© importante, mas um pouco de transpar√™ncia e sinceridade n√£o faz mal a ningu√©m. Se for fazer joguinho, seja inteligente, crie novos truques, pois alguns j√° est√£o batidos demais.
Jamais se rebaixe. N√£o importa qual foi a trai√ß√£o, a culpa √© do seu parceiro e n√£o da “vagabunda” que ele comeu, a n√£o ser que ela tenha colocado um revolver na cabe√ßa dele. Essa hist√≥ria de mulher bater na amante √© rid√≠cula. Nenhum homem √© digno de esc√Ęndalos e manifesta√ß√Ķes p√ļblicas de ci√ļmes, isso inclui as indiretas nas redes sociais. Mesmo que tiver chorando l√°grimas de sangue, fique em cima do salto, ningu√©m precisa saber da sua condi√ß√£o miser√°vel, n√£o d√™ esse gostinho para as inimigas e para algumas amigas falsas e invejosas. Aprenda, para algumas pessoas s√≥ contamos as vit√≥rias!
Seja voc√™ mesma. A performance do filme porn√ī de quinta categoria n√£o precisa necessariamente ir para sua cama, nada mais pat√©tico que a mulherada que finge orgasmo e ainda quer contar vantagem “ pras amiga”. Sem contar que se a coisa for for√ßada demais o homem percebe. J√° ouvi depoimentos de caras que simplesmente brocharam em situa√ß√Ķes assim. Nada contra quem gosta do estilo e faz porque realmente gosta e est√° com vontade, mas tudo que √© falso e feito somente para tentar impressionar o outro pode gerar efeito contr√°rio.
A diferen√ßa entre ser feminina e mulherzinha. Homem quer ser homem, o chefe da casa. Suba na cadeira e chame o gato pra matar a barata, pe√ßa-o para abrir a conserva de azeitona e trocar a resist√™ncia do chuveiro (essa √© uma li√ß√£o que ainda n√£o aprendi). Quando o macho alfa terminar, n√£o esque√ßa de agradecer e elogiar tanta virilidade N√£o importa se voc√™ √© presidente de uma multinacional e ganha cinco vezes mais que ele, seu parceiro vai adorar uma mulher feminina que o valorize enquanto homem e que o fa√ßa sentir-se √ļtil (isso se ele merecer). A mulherzinha olha a marca do carro, d√° golpe d√° barriga e √© manipuladora, faz esc√Ęndalo por qualquer coisa, quebra as finan√ßas do parceiro, requer aten√ß√£o total, mas √© afetivamente mesquinha, s√≥ recebe. Mulherzinha, ai que pregui√ßa! Para os leitores que levam tudo ao p√© da letra, √© claro que esse √© um exemplo, existem infinitas possibilidades para valorizar um homem, e n√£o podemos limit√°-los apenas a matadores de baratas e abridores de conservas.
Escolha bem seu parceiro use a razão não só o coração. A mulherada lutou e luta tanto por igualdade, mas hoje tem jornada dupla e até tripla para dar conta da vida profissional, casa, filhos e marido. Queria saber onde está a igualdade nisso, pois enquanto a mulher se desdobra, muitos maridos estão no sofá assistindo tv ou no bar com os amigos. Quando for se relacionar com alguém, antes de se envolver loucamente em um amor de pica sem fim, preste muita atenção na sogra, veja como ela trata os filhos. Dá tudo na mão, recolhe os sapatos e meias sujas pela casa, faz o pratinho de comida com o feijão em cima, lava as cuecas, defende cada um até a morte mesmo que estejam errados? Se for esse o caso, AMIGA CORRAAAAA! Caso contrário, você será uma forte candidata a Amélia emancipada.
O borogod√≥ – Magnetismo pessoal e amor pr√≥prio vale mais que um corpo sarado. A mulherada est√° caprichando tanto no treino, na lipoaspira√ß√£o e no silicone, mas o n√ļmero de fracassos amorosos n√£o diminui. Outra ala se sente gorda demais e sem autoconfian√ßa para atrair o sexo oposto, mas tamb√©m n√£o faz nada para mudar. Existem mulheres que aparentemente n√£o possuem nada de especial, podem at√© ser “feias”, por√©m, por alguma raz√£o os homens caem aos seus p√©s. Esse magnetismo em algumas mulheres vem de onde? O que elas t√™m √© independ√™ncia emocional, se apoiam sozinhas, se bastam, tem outras metas al√©m de agarrar um homem, estudam, trabalham, viajam e s√£o felizes sozinhas ou acompanhadas. N√£o vivem carentes chorando pelos cantos, n√£o s√£o cheias de m√°goas, n√£o pegaram √≥dio dos homens por conta de decep√ß√Ķes do passado. Aconte√ßa o que acontecer, essas mulheres est√£o sempre de cabe√ßa erguida e tem uma vida que n√£o se limita apenas em se arrumar para encontrar um macho.
Seja uma puta entre quatro paredes e o que quiser na sociedade. Afinal o que √© ser uma dama na sociedade? A Am√©lia emancipada devotada √† fam√≠lia, a esposa renegada que trabalha que nem camela para dividir com o marido as contas de casa? Tem algo mais irritante que estere√≥tipos do que √© ser uma boa m√£e e esposa? E a quantidade de cobran√ßas que recebemos quando n√£o atendemos esse modelo? E essa mulher resignada e atarefada, consegue ser o mulher√£o que os homens adoram entre quatro paredes? Claro que n√£o! Conhe√ßo casais que nunca conversaram sobre suas prefer√™ncias e fantasias sexuais. Tudo bem que n√£o √© f√°cil manter o tes√£o a todo vapor 100% do tempo, mas quanto vale o seu relacionamento? Ser√° que ele n√£o merece um pouco mais de investimento? Nem √© t√£o dif√≠cil assim satisfazer um homem, fa√ßa bem feito, fa√ßa com gosto, mostre que ele √© desejado (se ele merecer) nem precisa se pendurar no lustre e saber todas as posi√ß√Ķes do kama sutra, basta tirar algumas horas para dedicar exclusivamente a ele, com amor, carinho e uma pitada de sacanagem, por que n√£o? Por ele sim vale investir no jantarzinho a luz de velas, no lingerie de renda e no vinho caro.

Esse t√≠tulo foi inspirado por uma grande amiga, prostituta aposentada, que acumulou uma experi√™ncia de vida que poucas vezes vi igual. Na verdade, ela tem a idade da minha m√£e e sempre me deu conselhos dizendo: – Ouve o conselho dessa puta velha! Por incr√≠vel que pare√ßa, toda vez que n√£o seguia os conselhos dela me dava mal. Esta mulher at√© hoje tem em suas m√£os tudo que quer e um poder de atra√ß√£o de dar inveja a qualquer ninfeta de 20 anos, soube investir todo dinheiro que ganhou e tem uma vida mais que tranquila ao lado do grande e √ļnico amor de sua vida. E quando pensamos em puta, pensamos logo em promiscuidade e vender o corpo, mas tem muita puta por a√≠ mais digna e honesta que certas mulheres tidas como “damas da sociedade”, mas que j√° se venderam mais que tudo e por muito pouco. Hist√≥rias assim s√£o para quebrar os paradigmas e fazer repensar alguns valores, sem contar que chacoalham os puritanos, as feministas e cr√≠ticos de plant√£o.
ISIS THOT


FONTE: https://www.facebook.com/photo.php?fbid=10153026115577149&set=a.10152133060072149.1073741828.718432148&type=1

segunda-feira, 15 de junho de 2015

Curar a Gula.

“A doen√ßa mais laboriosa para se curar √© aquela que se
 alimenta de si mesma. E isso significa que o desejo
 imoderado ou desequilibrado n√£o tem uma causa fora da pr√≥pria pessoa. Est√° dentro de n√≥s. O rem√©dio tamb√©m. Em geral, a pessoa diz - comer sem controle, gastar sem controle, desejar algu√©m sem controle, s√£o coisas que eu n√£o consigo controlar. Modera√ß√£o consta como a sexta Virtude no mundo crist√£o, denominada Temperan√ßa, ali√°s, tamb√©m uma das cartas do Tar√ī. Curiosidades  √† parte, vale lembrar que a Modera√ß√£o requer um mergulho psicol√≥gico, antes de se decidir pelo controle dos desejos imoderados, mesmo porque, quando uma pessoa √© atacada por sua pr√≥pria gula ou voracidade, seja para comer, gastar ou desejar algo ou algu√©m, a raz√£o √© desativada. A pessoa n√£o raciocina, n√£o calcula, fica desprovida de autocr√≠tica. Sequer consegue enxergar se isso ou aquilo √© suficiente, porque esse √© o tipo de desajuste em que nada √© suficiente. Certamente, n√£o estamos falando de processos metab√≥licos, estamos falando da mente, da forma como a pessoa processa os seus desejos, a forma imoderada. Quem padece com esse desafio, antes de mais nada, precisa se informar, buscar fontes confi√°veis de informa√ß√Ķes. Cultivar o h√°bito de refletir sobre esse desafio ajuda bastante, desde que a reflex√£o seja uma constante em sua vida. Isso √© coisa para se pensar, dialogar e se esclarecer cada vez mais!” - Nilsa Alarcon e J. C. Alarcon

Fonte:https://www.facebook.com/padraohumi

domingo, 14 de junho de 2015

Viver se camuflando.



O Homem mais perigoso, para qualquer governo, √© o homem que √© capaz de pensar por si pr√≥prio, sem levar em conta supersti√ß√Ķes e tabus.
Quase que invariavelmente ele chega a conclus√£o de que o governo que est√° acima dele √© desonesto, insano e intoler√°vel, e ent√£o, se ele for rom√Ęntico, ele tenta mud√°-lo. E se ele n√£o for rom√Ęntico, ele est√° apto a espalhar o descontentamento sobre aqueles que s√£o. HL Mencken."



Esta pensamento faz parte da minha vida em todos os sentidos. Honrar os pr√≥prios princ√≠pios  e valores, custa caro, muito! Ter personalidade NUNCA foi f√°cil, diante de uma sociedade que imp√Ķe padr√Ķes. Muitos preferem encarar a vida como se utilizassem de camuflagem, escondidinhos ali, aceitando tudo que vem. E √© por conta de pessoas assim, que as coisas continuam estagnadas. A pol√≠tica continua corrupta e os sistema injusto. N√£o basta participarmos de passeatas , camuflados em meio a multid√£o, quando n√£o somos capazes de nos posicionar diante de uma plateia.Se vemos uma injusti√ßa, um colega sendo prejudicado e nos escondermos. O medo da reprova√ß√£o √© mais forte. E em alguns casos o risco de morte √© grande. J√° dizia o Maluco Beleza : " Eu n√£o sou besta pra tirar onda de her√≥i...Deus me livre eu tenho medo, morrer dependurado numa cruz...". Ent√£o, de repente voc√™ para e pensa: Se temos tantos direitos garantidos, √© gra√ßas a luta de muitos, democracia ( ainda que  demon√≠aca, a democracia brasileira,  nos faz sentir a ilus√£o de que estamos sim no comando.) As "bruxas" mortas por utilizarem a cura medicinal atrav√©s de plantas, pessoas queimadas, por traduzirem livros, como a B√≠blia para o idioma popular. E tantas lutas por este mund√£o de meu Deus. Ficar de bra√ßos cruzados, aguardando a mudan√ßa √© muito c√īmodo.Talvez, temporariamente, teremos paz, temporariamente, pois a sombra da injusti√ßa chega para todos. N√£o nos envolver nos problemas alheios, nem sempre significa calar-se ante a injusti√ßa. Morreremos em vida, camuflados, quase que em simbiose, sem identidade ou quem sabe, talvez passaremos por uma triste experi√™ncia, onde perceberemos que  o sil√™ncio alheio, no momento que precisamos de apoio,  d√≥i mais do que certas palavras impensadas.


s√°bado, 13 de junho de 2015

Até onde o ser humano é capaz de ir para ofender o outro?




At√© onde o ser humano √© capaz de ir para ofender o outro? Realmente, precisamos de Leis que limitem a necessidade de desabafo que as pessoas tem. Necessidades descontroladas. √Č da√≠ que surgem os Bullyngs, as atitudes preconceituosas, ass√©dios morais e tudo mais. Hoje tive  a infelicidade de ler um coment√°rio maldoso de uma pessoa doente que para se sobressair, precisa atacar. Utilizando de palavras grosseiras, um homem, senhor de idade na casa dos sessenta anos, tempo bem vivido para ter observado muitas coisas e aprendido muito. Pelo visto,nada aprendeu da vida. Utilizar da doen√ßa de uma pessoa para fazer sarcasmo com a vida dela √© de uma falta de car√°ter tremenda. Nem sei se esta pessoa vale a pena ser registrada aqui e lembrada por sua atitude doente. Mas por tr√°s dela, existem muitas que se aproveitam de algo que possa magoar algu√©m, como que com uma ponta de espada, sentindo o prazer de ver o outro sofrer. Quem faz isso √© mal car√°ter, doente e com energia muito baixa. Muito ruim por sinal. Lamento ter cruzado o meu caminho com uma pessoa t√£o desagrad√°vel. Um homem t√£o vil, sem escr√ļpulo algum. Fico imensamente triste quando cruzo o meu caminho com pessoas capazes de utilizar o dom da palavra para machucar. Maior tristeza √© ter que pedir a Deus for√ßas e me abra√ßar at√© a ang√ļstia passar. Para que o corpo n√£o comece a manifestar as dores da alma. Deus me d√™ for√ßa, sabedoria e vit√≥rias!!!!!!!!!

s√°bado, 6 de junho de 2015

O uso excessivo das redes sociais enterrando o h√°bito da leitura.

Passou de duas linhas...ninguém quer ler mais nada, nem bilhete. Perfeita esta ilustração.
fonte:http://www.tudointeressante.com.br/2015/04/28-imagens-que-criticam-a-sociedade-de-forma-acida-mas-muito-bem-humorada.html

sexta-feira, 5 de junho de 2015

E SE EU NÃO CONSEGUIR TE ESPERAR?




Perfeito!


Se coloca no meu lugar.
Pensa como seria pra você ouvir tudo o que me disse. Tenta dizer as mesmas coisas pro meu coração e faça ele se acalmar como você deseja que eu me acalme.
Eu n√£o quero julgar suas escolhas e o tempo que precisa para tomar decis√Ķes, o problema √© que esse tempo influencia a minha vida; tuas escolhas refletem nas minhas. Pelo jeito que disse, sua vontade √© de me fazer te esperar, me fazer esperar a sua hora para decidir e fazer as coisas acontecerem. O discurso √© honesto mas nem um pouco justo.
Eu não sei até quando eu vou ter paciência para te dar.
E vai ver você ainda não percebeu que o que pode acontecer é algo muito maior para nós dois: eu posso me cansar e decidir por nós que o melhor para nós dois é uma vida sem dois.
Já passou pela sua cabeça que eu posso ser só uma passagem pela sua vida?
Eu sei muito bem que eu disser para justificar o meu lado pode parecer press√£o sobre o seu, mas eu conto com a sua consci√™ncia em conseguir separar as coisas e entender que tenho meu direito de sofrer com certas decis√Ķes ou pela falta delas.
Eu tenho medo de voc√™ demorar pra pensar,  e o tempo que deseja me fazer esperar ser tamb√©m o respons√°vel por me levar pra longe de voc√™. Tenho medo de tudo isso que controlo para viver com voc√™ se transformar em uma vontade f√°cil de se esquecer, feito desejo louco de comer chocolate s√≥ por comer e n√£o por querer.
E se eu n√£o conseguir te esperar?
Se o tempo que eu definir para nós dois for menor que o tempo que imaginava?
Se eu me cansar disso tudo, me cansar até mesmo de gostar de você e da noite pro dia, assim como a vida é, passar a sentir preguiça do seu jeito de levar a vida?
Eu não quero te desanimar, nem muito menos te ameaçar.
Mas eu quero que conheça meus receios. Quero que enxerga outras possibilidades que vão além das que imagina. Quero que considere o fato de você querer algo que eu não quero mais.
Não tenho conselho para te dar e, nem que eu tivesse, não te daria. Eu não quero te influenciar a decidir pelo meu querer, quero que escolha o que pensa ser o melhor pra você. Se eu tiver um lugar guardado na sua vida pra ficar, acredite, eu vou comemorar. Se eu, no entanto, for só uma memória daquelas boas de colecionar, vou aceitar e me conformar.
As coisas raramente acontece do jeito que esperamos, elas acontecem do jeito que precisamos. √Č nessa consci√™ncia que acalmo a minha alma na tentativa de enganar meu desejo em te beijar quando sinto vontade; na tentativa de controlar meu desejo de te ligar pra perguntar como foi o seu dia.
Ent√£o eu vou me afastar.
Vou dar para você o mesmo tempo que darei pra mim, aí a vida vai acontecer do jeito que for melhor pra gente. Talvez voltaremos a conversar para celebrar um começo ou talvez este seja o começo do nosso fim. Não dá pra ter certeza.
Eu sei que gosto de você, só não sei se consigo te esperar gostar também.
——————————————————
Fonte:http://thesecret.tv.br/2015/06/e-se-eu-nao-conseguir-te-esperar/

quinta-feira, 4 de junho de 2015

Homens que odeiam suas mulheres e as mulheres que os amam. Quando amar é sofrer e você não sabe por quê."



Palavras que digo e ouço uma interrogação do tamanho do movimento de translação:

S√ćNDROME DO T√öNEL DO CARPO ( UM DIA UM REC√ČM FORMADO DE EDUCA√á√ÉO F√ćSICA , ALEGOU DESCONHECER. SER√Ā QUE O CARPO ELE SABE? )
FIBROMIALGIA , DOENÇA CHIQUE EM? ( OUÇO MUITO)
MIS√ďGINO ( AT√Č NA TV, OS APRESENTADORES EM UN√ćSSONO: O QU√ä?

Bom, quanto a STC , a Fibro, infelizmente √© inevit√°vel.√Č tanta doen√ßa surgindo, raras que fica dif√≠cil acompanhar o movimento. Palavras s√£o palavras e nem sempre obrigatoriamente, saberemos todos os seus significados. E ler, ajuda muito tanto no repert√≥rio das palavras quanto √† compreens√£o dos nossos sentimentos. Muitas mulheres atraem sempre relacionamentos doentios, vampirescos e dif√≠ceis de se livrar, por mais que elas queiram. E depois se perguntam, o porqu√™ de SEMPRE se envolverem com homens problem√°ticos. O mis√≥gino √© mais comum do que pensemos. √Č um homem doente, normalmente com problemas de rejei√ß√£o materna no passado e que de forma inconsciente, estabelece uma rela√ß√£o doentia com a sua parceira. Esta √ļltima, normalmente uma pessoa de baixa autoestima, com uma car√™ncia enorme de se doar por algu√©m, escondendo na verdade, um desejo enorme de ser cuidada.√Č ai que entra a armadilha. Segundo o site STUM, onde melhor descreve a misoginia dos que li, o mis√≥gino possui armas para oprimir as suas v√≠timas, segue: 

"O misógino possui um extenso repertorio de táticas para assustar: insultos, comentários desdenhosos e outros comportamentos intimidadtivos, destinados a fazer com que a parceira se sinta inadequada e desamparada. Os ataques mais óbvios incluem gritos, ameaças acessos de raiva, insultos e criticas constantes.
Ele pode também fazer ameaças implícitas de danos físicos.
Mas a maior parte do comportamento misógino, cruéis e opressores, são motivados por forças que estão alem da percepção consciente.
As agress√Ķes verbais podem ser aterradoras e desmoralizantes quanto √†s amea√ßas impl√≠citas de viol√™ncia f√≠sica.
Esses abusos s√£o persegui√ß√Ķes sistem√°ticas. A viol√™ncia verbal pode ser t√£o devastadora para a sa√ļde mental de uma pessoal num per√≠odo mais prolongado, √© uma viol√™ncia psicol√≥gica.
Muitas mulheres de mis√≥ginos justificam: “Pelo menos ele n√£o me bate”. Mas elas se sentem igualmente assustadas, t√£o desamparadas e com a mesma angustia. Que diferen√ßa faz se AS ARMAS s√£o os punhos ou as palavras, essas s√£o dequalquer maneira abusivas.
Esse tipo de opressão psicológica é particularmente insidioso, por que muitas vezes está disfarçada de ensinamentos para tornar a mulher uma pessoa melhor. Este tipo de misógino se apresenta como mestre e guru da parceira: Mas não o importa quanto ela se esforce e mude para atender as suas necessidades, sempre estará inevitavelmente errada.

Formas que os misóginos têm de OPRIMIR sua parceira:

• Atrav√©s da negativa: ele nega o corrido, levando a parceira a questionar sua acuidade, e a validade de sua mem√≥ria. Assim n√£o h√° jeito de se resolver os problemas com algu√©m que nega sua exist√™ncia e insiste que nunca ter existido o que a mulher sabe ter ocorrido
• Atrav√©s da altera√ß√£o dos fatos, o mis√≥gino reformula o fato para se ajustar a sua vers√£o, faz altera√ß√Ķes dr√°sticas e amplas nos fatos, a fim de chancelar sua vers√£o da historia.
• Alega que est√° se comportando mal, como rea√ß√£o a algum desvio de sua parceira, √© como se seu comportamento afrontoso passa a ser uma rea√ß√£o compreens√≠vel a alguma terr√≠vel defici√™ncia ou provoca√ß√£o da parceira. Transferindo a culpa ele se protege: absolve-se do desconforto de reconhecer sua participa√ß√£o no problema e convence a parceira que suas defici√™ncias de car√°ter soam o verdadeiro motivo das dificuldades na vida em comum.
• A parceira n√£o pode protestar, e se a parceira o faz, ele fica mais furioso. Ele encara a rea√ß√£o como um ataque pessoal e como prova das inadequa√ß√Ķes da parceira.. Ele transforma a parceira em culpada e ele a pr√≥pria vitima. Isto acontece, pois ele est√° mais preocupado em desviar a culpa de si mesmo do que em reconhecer a ang√ļstia que causa √† parceira.
• Se o mis√≥gino se sente amea√ßado de perder alguma coisa que lhe √© importante, e sentindo-se humilhado, √© bastante prov√°vel que a balan√ßa se incline para a brutalidade. Para ele atrav√©s do medo poder√° controlar melhor sua parceira.
• Se a parceira tiver alguma atividade significativa que o mis√≥gino encare como amea√ßa, ele far√° testes de sua devo√ß√£o, fazendo com que a parceira reduza drasticamente seu mundo. Esse tipo de ci√ļmes e de possessividade se estende a todos os aspectos de vida. Qualquer coisa que a parceira fa√ßa que esteja fora do controle do mis√≥gino, ou seja, encarada como uma amea√ßa a ele dever√° ser abolida.
• Entre todas as coisas ineficazes que uma mulher pode fazer, tanto consciente como inconscientemente, para tornar o relacionamento menos doloroso, a CONIV√äNCIA √© ao mesmo tempo a mais sutil e mais destrutiva para ela. No momento que ela entra em conluio com ele, a mulher perde de vista o que acontece de fato entre os dois. Sua distor√ß√£o da realidade para se ajustar √† vis√£o do parceiro indica que suas percep√ß√Ķes est√£o completamente fora de foco.


O misógino tem um sentimento ambivalente em relação às mulheres, baseados em grande parte em seus relacionamentos com as mães. Eles transferem esses sentimentos para as mulheres com as quais se envolvem. Depois, passa a acreditar que é tão dependente da parceira como era de sua mãe.
Inerente ao medo dessa dependência existe o medo igualmente terrível que ela venha a abandoná-lo. O temor de ficar sozinho, de ser incapaz de enfrentar uma situação de ser oprimido por uma necessidade insaciável torna a dominá-lo; Em termos cronológicos, ele é um adulto, mas psicologicamente ainda é um menino assustado.
Todos os comportamentos controladores que ele usa derivam de seu medo de abandono. √Č um medo contra o qual precisa defender, a qualquer custo. Num esfor√ßo para atenuar a ansiedade, ele tenta assumir o controle sobre a parceira, destruindo-lhe a autoconfian√ßa, de modo que ela nunca o deixe e ele possa, assim, ter seguran√ßa."

REFERENCIA BIBLIOGRAFICA: Foward Susan Dra., Torres Joan _ " Homens que odeiam suas mulheres e as mulheres que os amam. Quando amar é sofrer e você não sabe por quê." Ed Rocco.

Dra. Rita Granato
Psicologa Clínica
www.ritagranato.psc.br

http://somostodosum.ig.com.br/clube/artigos.asp?id=18892