quarta-feira, 15 de fevereiro de 2017

A raiva nada mais é do que o medo de ser descoberto.







    Pessoas reagem todo o tempo por medo. Receio de que sejam reveladas as suas fragilidades ou os seus fingimentos de falsa bondade, falsa compaixão. Quando acuadas, reagem. Todo mundo que está inseguro com alguma coisa e é colocado contra a parede ou diante de uma situação para ela, desconfortável, reage. Normalmente cada uma reage de formas diferentes. Demonstra a raiva de formas particulares. Vingança, pirraça, ofensas gratuitas, sarcasmos e por aí vai. Como diz um ditado, “ Só recorre aos gritos quem não consegue triunfar com a razão.” O autoconhecimento é a chave mestra para transformar pessoas reativas em pessoas mais seguras de si, que não deseje  interpretar um papel diante da sociedade para ser aceita ou receber o título de boazinha. É tanta máscara e papéis encenados que se não tivermos um mínimo de clareza, talvez confundamos quem é quem. Não falo de falta de civilidade, de um indivíduo que pensa que deve sair por aí dizendo o que pensa sobre os outros, normalmente este último, quando confrontado com a opinião alheia sobre si próprio, reage de forma agressiva, pois não se enxerga. Quem muito olha os defeitos dos outros quer passar uma imagem de perfeição. Quem muito desdenha , quer comprar, como diz o velho ditado. E não tem sido raro sermos obrigados a conviver com pessoas assim. Somos forçados literalmente. No trabalho, escola, etc. Suportar um chefe autoritário, um(a) colega invejoso(a), ou vários num ambiente só, é muita energia ruim junta. E por vezes levamos para a nossa casa que deve ser antes de mais nada, um santuário, um oásis de paz e sossego. Acredito que devemos confiar na nossa intuição, ela sempre nos avisa, o coração não acalma quando não estamos entre pessoas amigas de verdade. É bom ficar de olho sempre no que a pessoa faz, principalmente quando ela está no meio de outras que não simpatizem conosco por quaisquer motivos. Nestas horas, as máscaras costumam cair. Por fim cito um pensamento do filósofo Ralph Waldo Emerson:

"É fácil no mundo viver conforme a opinião do mundo.Igualmente é fácil, na solidão, conservar a sua própria opinião.O grande homem é aquele que, no meio da multidão,  conserva com perfeita serenidade e nobreza a mesma opinião que que teria na solidão."


As pessoas citadas acima neste pensamento, são aquelas bem resolvidas, maduras, que evitam encenar papéis para agradar uma sociedade doente que vive disputando entre si em guerras criadas pelos seus egos inflados, mentes anoréxicas e autoestima muito baixa. Por certo, precisamos elevar a nossa convivência, selecionando melhor com quem iremos caminhar nesta longa jornada que é a vida.

Iracema Correia