quinta-feira, 25 de dezembro de 2014

Valorizando o que tem valor!


"Que voc√™ consiga uma casa maior, mas que quase todos os c√īmodos fiquem vazios por sua fam√≠lia estar unida ao redor de uma √ļnica mesa.
Que você compre o carro dos seus sonhos, e descubra que ele pode ficar parado na garagem enquanto você caminha de mãos dadas por um parque.
Que você realize o desejo de comprar uma TV enorme, 3D, com home theater, mas que ela permaneça desligada durante o jantar, para que você possa ouvir como foi maravilhoso o dia da sua família.
Que sua conta bancária esteja satisfatoriamente recheada, mas sobretudo, que você tenha em seu bolso um ou dois reais para comprar algodão doce e saboreá-lo sujando os dedos.
Que voc√™ tenha um excelente plano de sa√ļde, mas que se esque√ßa que ele existe por n√£o precisar us√°-lo.
Que você jante em badalados restaurantes para descobrir que a maior chef que existe, cozinha todos os dias dentro da sua casa.
Que sua internet trafegue em altíssima velocidade, mas que sua melhor rede seja aquela pendurada entre duas árvores, onde você possa ouvir os pássaros cantarem.
Que voc√™ tenha um smartphone de √ļltima gera√ß√£o, mas que n√£o precise us√°-lo para dizer √†s pessoas mais importantes da sua vida o quanto elas s√£o especiais.
Que você tenha um tablet, mas que use mais as pontas dos seus dedos para fazer cafunés do que para mandar e-mails.
Que você possa comprar boas roupas, bolsas e relógios, mas que sua verdadeira marca seja a "inspiração" deixada pelos lugares por onde passará.
E que assim, conquistando tudo o que voc√™ sempre quis, voc√™ descubra que mais importante do que aquilo que voc√™ tem, √© o que voc√™ faz com tudo o que conquistou. (Mauricio Louzada)”
Felicidades à todos!!!


quinta-feira, 18 de dezembro de 2014

A água só corre para o mar...Semelhante atrai semelhante

Tão certas sãos as Leis Universais o princípios que regem a natureza.
Um menor abandonado com uma experi√™ncia dura de vida, normalmente, devido as dificuldades passadas e pelo fato de nunca receber prote√ß√£o e aten√ß√£o, ter√° muita dificuldade em encontrar afago, apoio e carinho. Ele geralmente criar√° uma carapa√ßa de prote√ß√£o, porque j√° se magoou muito na vida e n√£o acredita mais em ningu√©m. Esta carapa√ßa para muitos, cria um bloqueio √† aproxima√ß√£o com esta pessoa. A menos que haja muito interesse envolvido. Por amor verdadeiro, por amizade ou por qualquer outro interesse maior. Lembro-me agora do filme G√™nio Indom√°vel, onde o protagonista, tem muita dificuldade de se relacionar e confiar nas pessoas. Passa pelos melhores psic√≥logos por interesse de um Matem√°tico, que viu nele um g√™nio ao qual ele mesmo , o Matem√°tico, tinha muito a aprender.Percebendo o interesse real por tr√°s da aproxima√ß√£o deste PHD em Matem√°tica, o G√™nio indom√°vel, reage de forma sarc√°stica, desvalorizando todas as tentativas de ajuda por parte dos melhores profissionais. Apenas um, pela sua seriedade e sinceridade, consegue compreender o cora√ß√£o daquele menino assustado, que n√£o passava de apenas uma "crian√ßa", no corpo de um homem. O psic√≥logo vivido na pele de Robbie Williams e o G√™nio Matt Damon.Nem sempre na vida, pessoas carentes tem a sorte de encontrar um "Robbie Williams" ( e agora mesmo que nunca encontrar√°, perda irrepar√°vel). Porque a vida e a natureza tem um regra muito simples: Semelhante atrai semelhante. Ou seja, quem recebe carinho, amor e prote√ß√£o, por todos os lados que for, atrair√° sempre isto. Porque j√° se comporta de forma t√£o natural, que recebe aten√ß√£o de todos. Se uma pessoa √© tratada como rainha por um grupo,  √© que todos os demais far√£o isto,mesmo sem entender o porqu√™ desta pessoa ser t√£o paparicada. Ela pode ter in√ļmeras qualidades negativas, mas, por ser bem tratada sempre, receber√° menos cr√≠ticas.Isto √© muito claro.Os bichos soltos da vida, meninos de rua, n√£o s√≥ no sentido literal, mas simb√≥lico. Pessoas maltratadas pela vida, dificilmente encontrar√° amor e compreens√£o,sendo assim, a solu√ß√£o √© a pr√≥pria pessoa buscar em si mesmo for√ßas para se amar e seguir em frente.Pedindo a Deus for√ßas todos os dias para prosseguir. Me sinto assim, "um menino de rua." Vivo com a minha carapa√ßa.N√£o acredito ao longo de quarenta anos que, nesta vida algo ser√° diferente para mim. Vou tocando a boiada e seguindo em frente....


terça-feira, 16 de dezembro de 2014

SOCORRO!!!!!!!!!!!!!!!

Sou fr√°gil mesmo!
Para que receber o título de forte e continuar sozinha recebendo o peso do mundo nas minhas costas.
Ser Mulher, engravidar, trabalhar, estudar, criar filho sozinha, ser pai, m√£e, homem, chefe de casa, resolver pepinos, limpar casa, fazer comida, estar com as m√£os impotentes, sentir dores, ter TPM, p√©s inchados, depress√£o, n√£o dormir... e o pulso ainda pulsa e n√£o ter um ombro para apoiar? Um ombro amigo, pai, irm√£o, m√£e, marido, algu√©m!De que me adianta ser forte se n√£o tenho um colo, um afago para aliviar as tens√Ķes do dia? Tamb√©m estar com algu√©m para viver a fantasia de estar acompanhado e continuar s√≥? Hoje e sempre, medito naquela m√ļsica de Tim Maia, Azul da Cor do Mar. "Na vida a gente tem que entender que uns nascem pra sofrer enquanto outros riem." E ainda que eu lute para amenizar a dor, procurando ter pensamentos positivos, ela est√° l√° no fundo,porque n√£o vem de agora, vem de muitos anos. De uma hist√≥ria s√≥ de lutas e poucos afagos.T√ī cansada sinceramente...cansada!!! Sou de carne e osso mas preciso viver como se fosse de ferro. CANSADA!


Socorro, n√£o estou sentindo nada
Nem medo, nem calor, nem fogo
N√£o vai dar mais pra chorar, nem pra rir
Socorro, alguma alma, mesmo que penada
Me entregue suas penas
J√° n√£o sinto amor, nem dor, j√° n√£o sinto nada
Socorro, alguém me dê um coração
Que esse j√° n√£o bate, nem apanha
Por favor, uma emoção pequena
Qualquer coisa
Qualquer coisa que se sinta
Em tantos sentimentos
Deve ter algum que sirva
Socorro, alguma rua que me dê sentido
Em qualquer cruzamento, acostamento, encruzilhada
Socorro, eu j√° n√£o sinto nada, nada



segunda-feira, 15 de dezembro de 2014

Ser complexo esse Ser Humano...

As vezes ou quase sempre, no sil√™ncio da noite, eu fico pensando tanta coisa. Um emaranhado de coisas que s√≥ resolvem vir a noite. Ou quando eu estou com as m√£os ocupadas e n√£o posso naquele exato momento, parar para escrever. Penso no qu√£o louco √© ser humano. Lembrei em parte da aula de Sociologia da Educa√ß√£o, na Universidade, onde o Soci√≥logo, nosso professor, destacou um termo que justamente me falhou a mem√≥ria, para se referir √† forma como a Sociologia define o conjunto de "vis√Ķes, teorias", que explicam o ser humano. Desta vez o Google n√£o me ajudou, ficou devendo. Psicologia, Sociologia, Antropologia, Astrologia...e haja "ias". Quanto tudo isto se junta e se mistura √© muito bom! Pois nos faz perceber que reduzir uma pessoa a partir de um ponto de vis√£o nosso, que pode at√© estar m√≠ope √© extremamente perigoso. Por vezes querem explicar a F√©, terceirizam Deus √†s religi√Ķes, condenam ou absolvem  o Homem por suas a√ß√Ķes, atrav√©s apenas de um olhar.Este ser humano √© biopsicossocial. E ainda vem a Astrologia refor√ßar o pedacinho do "bio", afirmando que as posi√ß√Ķes dos astros no momento do nosso nascimento,influenciam toda a nossa personalidade. O que dizer de mim: Sol em Le√£o, Ascendente em Aqu√°rio, V√™nus em C√Ęncer ( ningu√©m merece) e a Lua, ah!! A lua me traiu! Deixa quieto! De repente o gelado pode ser quente para uns. Um segundo pode ser uma eternidade para outros. O amor exagerado talvez seja complac√™ncia demais. O √≥dio pode ser um amor n√£o manifestado. O ser HUMANO...coisa de louco! O que √© normal ou patol√≥gico, como explica Freud.Quantos tristezas escondem por tr√°s de um sorriso, quantos "sins" existem por tr√°s de alguns "n√£os"? E quem ir√° dizer que existe raz√£o nas coisas feitas pelo cora√ß√£o? Sei l√°? S√≥ sei que nada sei. Estamos em constante crescimento, tudo nos serve para o amadurecimento dependendo da forma como conduzimos. Entendermos o que h√° na cabe√ßa de um Ser Humano √© trabalho bonito, mas inalcan√ß√°vel.Bonito mesmo √© tentar sempre alcan√ßar...ainda que jamais cheguemos l√°..essa √© a ideia, creio eu. 




s√°bado, 13 de dezembro de 2014

REINVENTE, TENTE, FAÇA ALGO DIFERENTE.

Ainda citando a palestra do Dr. Lair Ribeiro, lembrando-me desta sua Cita√ß√£o: " O que voc√™ faz por divers√£o, algu√©m faz por profiss√£o."

Esta semana, assistindo a um certo programa de televis√£o, vi exemplo de alguns profissionais que atuam enquanto trabalham. Uma atua√ß√£o positiva pois alegram o ambiente e ao mesmo tempo, aprendem, utilizando de intelig√™ncia emocional, transformando o que poderia ser mais um dia de " batente" em mais um dia de fazer a diferen√ßa. O exemplo do cobrador de √īnibus que aprendeu algumas frases b√°sicas de v√°rios idiomas a fim de orientar os turistas na cidade,orientando o local certo de parar e as vezes quando √© poss√≠vel, tamb√©m ler. O guarda de tr√Ęnsito que  pelo fato de ter que mudar de dire√ß√£o o tempo todo por ser uma via  com cruzamento, criou para facilitar o servi√ßo, alguns passos, parecendo os de dan√ßa , divertindo a si e aos transeuntes.Sabemos que precisamos trabalhar para a sobreviv√™ncia e que muitas vezes n√£o dispomos de oportunidades para escolhermos a carreira e ainda assim, sempre rola a d√ļvida.Enfim acredito ser fundamental acordarmos toda manh√£ pensando em fazer o  nosso melhor, independente da nossa ocupa√ß√£o. Certamente, isto far√° diferen√ßa na nossa vida e na vida dos "afetados" pelo nosso trabalho. O servi√ßo p√ļblico por exemplo: Imagine ser atendido por um m√©dico compreensivo, atencioso,que antes de diagnosticar  faz alguns questionamentos relevantes para tentar compreender o que se passa na vida de um paciente. N√£o falo de bate papo √≠ntimo, pois seria utopia, mas nos quinze minutos de cada consulta, muitas coisas poderiam ser associadas aos sintomas em si . Afinal, o ser humano √© uno, tudo est√° relacionado e a maioria das doen√ßas v√™m de origem psicossom√°ticas. J√° tive o privil√©gio de ser atendida por profissionais assim no servi√ßo p√ļblico e elogiei-os de imediato, por fazerem a diferen√ßa. Em contrapartida, tamb√©m j√° encontrei no servi√ßo privado, profissionais desestimulados, mal humorados, tecendo coment√°rios desagrad√°veis de forma clara, apresentando sintomas de desgosto pelo que faziam.√Č tr√°gico isto! Fazer a diferen√ßa √© a possibilidade de sempre reinventar! E se n√£o estivermos satisfeitos com o que fazemos, cair fora, isso mesmo, para n√£o infestarmos o ambiente e a n√≥s mesmos com energias negativas. Mas, se isso n√£o for poss√≠vel para o momento, REINVENTE, TENTE, FA√áA ALGO DIFERENTE.



Educação abre portas -parte II

√Č j√° falei sobre este assunto aqui. Mas sem sombra de d√ļvidas a nossa postura, demonstra mesmo o que somos. Longe de citar estas regras de etiquetas criadas na Idade M√©dia para apenas, separar aparentemente o nobre do plebeu. Mas refletir a necessidade de que ,como seres sociais , temos de cultivar h√°bitos de educa√ß√£o. Que certamente, abrem portas.Reflito ao criar a minha filha e ver o comportamento de algumas crian√ßas nas casas dos outros, nas lojas,nas suas pr√≥prias casas, na escola, ambientes em geral. Cito: Falar baixo, n√£o interromper uma  conversa entre adultos, pedir licen√ßa se os pais estiverem conversando, lavar as m√£os ap√≥s a sa√≠da do banheiro, dar descargas ap√≥s o uso do vaso sanit√°rio, n√£o falar de boca cheia ( afinal n√£o √© nada agrad√°vel ver a comida sendo estra√ßalhada entre os dentes  de outra pessoa, enquanto comemos), apagar as luzes ap√≥s sair de um c√īmodo, n√£o ouvir m√ļsica alta ao ponto de incomodar o outro, pedir desculpas e atender a pessoa com a qual machucamos, n√£o utilizar as redes sociais para ofender, humilhar a imagem de algu√©m ou expor coment√°rios negativos, indiretas, na p√°gina desta.Ufa! Falando em rede social, ap√≥s as "luzes dos refletores", podemos perceber que da forma como somos, nos comportamos por sua vez, nas redes sociais. No local de trabalho ent√£o.A boa educa√ß√£o, bem como a qualifica√ß√£o profissional e o modo como fomos criados, deve- nos guiar todos os dias ao tratarmos nossos colegas, subordinados ou superiores hierarquicamente, ao agirmos honestamente quando confiados para n√≥s a responsabilidade de um setor, de uma casa , dos filhos do patr√£o ( no caso de uma bab√°, motoristas, etc). Para isto, n√£o temeremos processos, acusa√ß√Ķes indevidas, medo de perder emprego, de perder amizades, de sentirmos-nos sozinhos. Afinal, quem n√£o deseja estar ao lado de uma pessoa agrad√°vel, que embora seja humana, se esfor√ßa em n√£o incomodar tanto as pessoas ao seu redor, em ser confi√°vel, s√©ria ( n√£o necessariamente sem senso de humor), respeitadora, que controla a l√≠ngua? Bom mesmo √© recebermos in√ļmeros convites para irmos nas casas de conhecidos, amigos e podermos escolher para onde iremos, porque somos bem recebidos. Melhor do que nos oferecermos. √Č claro que existem grupos que mesmo a pessoa sendo educada , muitas vezes √© colocada de lado. Talvez com intuito de desprez√°-la, talvez por inveja ou coisa qualquer. O que n√£o deixa de ser uma falta de educa√ß√£o. E destes certamente queremos dist√Ęncia.Pelo menos eu quero! A educa√ß√£o √© o maior legado que podemos deixar aos nossos filhos. E espero continuar refletindo e analisando sobre isto, durante o processo de constru√ß√£o do car√°ter de minha filha, bem como da minha evolu√ß√£o pessoal.


sexta-feira, 5 de dezembro de 2014

O Caminho da Prosperidade

Ouvindo a Palestra do Médico Dr. Lair Ribeiro sobre o caminho para a prosperidade. Achei muito pertinente o tema e mais instigante a forma como ele aborda. Segundo ele é importante ouvirmos mais vezes a fim de internalizarmos essa nova visão de prosperidade. Sendo assim, resolvi fazer uma resenha para memorização, exatamente MEMORIZAÇÃO.

Segundo Dr. Lair Ribeiro, nossos pensamentos se manifestam na pr√°tica. Sendo assim, se pensarmos que dinheiro √© f√°cil de chegar, o dinheiro chegar√° f√°cil. Ao contr√°rio disto, o mesmo se sucede na mesma propor√ß√£o.Precisamos "DECLARAR, SOLICITAR, ARRISCAR e AGRADECER". Declarando ao Universo o que queremos, solicitando o desejo e arriscando.Mas um risco calculado. Ele cita o exemplo do "trapezista que passa por um per√≠odo de vulnerabilidade"  embora tendo experi√™ncia no que faz, ao trocar de corda, se v√™ no abismo. Afirma que n√£o h√° seguran√ßa em nada, embora tenha "gente que queira seguran√ßa". E que existem oportunidades. Mas se n√£o arriscar n√£o conseguir√° realizar o que quer. E agradecer. Segundo o Palestrante , " A gratid√£o √© a m√£e de todas as virtudes" que devemos " agradecer o que temos para termos mais o que se deseja" comparando esta pr√°tica como um " sistema de retroalimenta√ß√£o". Afirma que nesta palestra s√£o considerados os "aspectos cient√≠ficos, filos√≥ficos e psicol√≥gicos da prosperidade".Conceitua a Ci√™ncia como o "estudo das leis de causa e efeito", a Filosofia como " estudo dos pensamentos" e a Psicologia como o " efeito dos pensamentos no comportamento".Que n√£o existe pensamento errado mas " como pensamos, a coisa √© para n√≥s".Se pensarmos que podemos ou n√£o podemos, est√° certo do mesmo jeito.Exemplifica o caso de uma pessoa que joga na Loteria e percebe que o seu Bilhete fora premiado e embora n√£o seja um dia √ļtil para resgatar o seu pr√™mio,aguarda o dia chegar.Esta pessoa tem a "certeza da prosperidade", embora possua nas suas m√£os, apenas um bilhete premiado.O Dr. Lair Ribeiro afirma "que a mente est√° em conex√£o com a intelig√™ncia divina".E que o nosso corpo tem poder curativo. Se tivermos um corte no ded√£o do p√©, o corpo se encarregar√° de cur√°-lo.Que devemos aprender " a criar do nada". Exemplifica que uma cadeira fora criada do nada. Antes, apenas era uma ideia. Ele aconselha-nos a fazer uma autoan√°lise, indagando-nos: " O que penso que fez a minha vida ser o que √© hoje?" Aborda a palavra SUGEST√ēES.Que sugest√Ķes negativas ouvimos muitas.Desde quando eramos criancinhas.Que " os pais cometem erros de negatividade". A exemplo de uma crian√ßa de quatro anos que para cada elogio recebe dez "n√£os".Precisamos " Escutar e gravar com a voz, pensamentos positivos." Perguntarmos-nos " Qual √© a minha finalidade de vida?" e que "v√°rios milagres acontecem fazendo esta pergunta durante vinte e um dias".Devemos " alinhar as metas com as finalidades".Compara a Lei da Riqueza com a Lei da gravidade. Segundo o palestrante, " todo dinheiro √© criado pela mente humana" e que " problema financeiro se resolve com imagina√ß√£o".Atenta para o caso do Brasil que cada vez que toma dinheiro emprestado ao FMI, n√≥s ficamos " subordinados", citando  assim o termo " neocoloniza√ß√£o".Para ele, o processo criativo come√ßa na mente.Fala em LEI DO GANHAR e LEI DO GASTAR.Na Lei do Gastar " o valor do dinheiro √© determinado pelo vendedor e pelo comprador de cada transa√ß√£o.E que quem enriquece √© quem sabe gastar.Salienta a import√Ęncia da Lei do economizar, utilizando o termo "D√≠zimo Pessoal" ( dez por cento) como sendo o percentual que dever√≠amos tirar de nosso sal√°rio mensal para "pagarmos a n√≥s mesmos". Pois ele atenta-nos que recebemos o dinheiro e pagamos a todo mundo, menos a n√≥s mesmos. E que quando fazemos isso, "uma m√°gica ocorre" porque logo pensamos e mandamos uma recado para o Universo: "tenho o suficiente e ainda sobra".Explanando o significado do numeral um como significando "criatividade" e o numeral zero como "mais".Desta forma este d√≠zimo n√£o deve ser utilizado em "nada perec√≠vel ou roub√°vel". Cita o exemplo da natureza e Lei universal em que a √°gua vai para onde tem √°gua. Da mesma forma " o dinheiro vai para quem tem dinheiro, sendo o cr√©dito paradoxal,vai para quem tem." Lembra-nos que ao chegarmos no banco, mesmo precisados de dinheiro, se n√£o tivermos cr√©dito,ainda em necessidade, n√£o o conseguiremos.Enquanto que quem tem dinheiro e cr√©dito na pra√ßa, mesmo n√£o precisando do dinheiro,  se precis√°-lo, o tem √† disposi√ß√£o." O investimento √© fundamental" que ao investirmos temos que considerar os fatores que neste investimento deve possuir: " mais ou menos LEGALIDADE ( sem burlar a lei) ,mais ou menos RENTABILIDADE, mais ou menos SEGURAN√áA ( n√£o h√° nada seguro) e mais ou menos LIQUIDEZ". A express√£o "mais ou menos"pelo fato de que nada √© cem por cento. O Dr. Lair Ribeiro nos mostra os aspectos psicol√≥gicos da coisa em que " o modo como nascemos faz a diferen√ßa". Na maneira como enxergamos e lidamos com a prosperidade e que dependendo do caso, existem terapias corporais para tal.Que alguns possuem a "s√≠ndrome da desaprova√ß√£o dos pais como uma necessidade inconsciente de ganhar menos que os pais".E as negatividades em rela√ß√£o ao dinheiro. E que "mais importante do que Carma √© o nosso livre-arb√≠trio. Somos co criadores da nossa exist√™ncia." Aponta a import√Ęncia de se "trabalhar inteligentemente" para ganhar dinheiro e que muitas pessoas podem afirmar  "estava t√£o ocupada trabalhando que n√£o tive tempo de ganhar dinheiro". Desta forma nem sempre o trabalho duro implica em ganhar dinheiro pois " o que voc√™ faz por divers√£o, algu√©m faz por profiss√£o."Aconselhando-nos assim a "pegar um Hobby e transformar em profiss√£o.Fazer o que gosta e gostar do que faz". Que a prosperidade independe da Ocupa√ß√£o ou forma√ß√£o acad√™mica. "O estudo por si s√≥ n√£o √© o suficiente". Pois existem pessoas com a mesmas forma√ß√Ķes, mesmas ocupa√ß√Ķes e que diferenciam o n√≠vel da prosperidade. E que "mais importante que a erudi√ß√£o √© a pr√°tica e o universo √© um lugar potencialmente abundante."

    Sabendo que o termo prosperidade se aplica a todas as √°reas da nossa vida: emocional, f√≠sica, financeira, etc.

Palestra dispon√≠vel em: https://www.youtube.com/watch?v=VNP5c-BlPj4


s√°bado, 29 de novembro de 2014

Ouvindo a voz do coração




Dentro de nós existe uma voz que poucos sabem ouvir...

Alguns demoram a vida inteira pra entendê-la...
Outros só escutam ela e são taxados de 'malucos'...
O fato √© que a VOZ DO CORA√á√ÉO deve ser ouvida imediatamente! Antes que sua vida passe, que sua sa√ļde acabe, que seus planos nunca deixem de ser apenas planos, sonhos, vazios...
Preencha sua vida com o que te faz bem! Ouça seu coração!
Por um minuto, tape seus ouvidos para o mundo exterior.... E escute ... sinta sua alma gritar! Nem s√≥ de bens materiais a vida √© feita... Nem s√≥ de comodismos e afetos pr√© estabelecidos... Muito menos de padr√Ķes sociais... Voc√™ vai se surpreender com o que ela tem a dizer...
Solte seu cabelo, deixe a barba crescer, use aquela roupa com estampa colorida e um sapato nada haver... Engorde, emagre√ßa quantas vezes quiser... Esque√ßa, os padr√Ķes! Ningu√©m √© perfeito, voc√™ tamb√©m n√£o precisa ser!!!!
PER MI TA-SE!!!!!!
E deixe falar que você está maluco! Não ligue pros 'outros' (sempre serão apenas outros) Ninguém sabe melhor do que você suas dores, batalhas e desejos... Pare de se preocupar com o que vão dizer!!! Sua família pode não entender no começo, mas se te amam vão te aceitar da maneira que tu és, da maneira que te vêm feliz!
Se seu sonho é ser monge, abrir um motel, ter um filho, namorar uma pessoa do mesmo sexo, ou simplesmente viajar pelo mundo, dê o melhor de si! Se entregue de corpo e alma! Seja o melhor naquilo que você faz! Pra você! Por você!
PARE de acreditar no que a televisão diz, no que seu vizinho mal amado fala.... vá ver com seus próprios olhos!!!
MUDE de planos, de ideia, de cor do cabelo, de amigos, de cidade, de namorado, quantas vezes achar necessário!! Temos pés, não raízes!!!!
Nascemos para aprender, evoluir, e ser felizes! Jamais admita viver por viver, entrar no modo automático de acordar trabalhar, comer, dormir... Trabalhe, lute por aquilo que você ama!E se você não sabe o que ama ainda, está em tempo de descobrir!!!!! MUDE!
A vida passa gente!!! Beleza acaba, sa√ļde n√£o dura pra sempre....
PERMITA-SE!
VIVA SEU HOJE!
OUÇA SEU CORAÇÃO!!!!!
ENCONTRE SEU CAMINHO!!!!!
O Amanh√£ pode n√£o chegar...

Retirado da P√°gina do Facebook 100 Dinheiro 100 Frescura e 1000 Destinos



sexta-feira, 28 de novembro de 2014

O Poder do subconsciente

Basicamente, a resposta √† prece √© a realiza√ß√£o do desejo de seu cora√ß√£o.As grandes verdades eternas e os princ√≠pios da vida s√£o anteriores  todas as religi√Ķes. Continue a insistir at√© que o dia amanhe√ßa e expulse as trevas.Na nossa mente subconsciente existe um poder maravilhoso. Ela √© tamb√©m, o √ļltimo local ONDE O PODER SERIA PROCURADO, e por este motivo s√≥ poucos o descobrem.Todos n√≥s possu√≠mos este poder.Na natureza existem princ√≠pios a exemplo: A √°gua procura o seu pr√≥prio n√≠vel, a mat√©ria expande-se quando aquecida. Da mesma forma, tamb√©m √© uma verdade universal que tudo que voc√™ grava na mente subconsciente √© manifestado na tela do espa√ßo como condi√ß√£o, experi√™ncia ou fato.Nossa prece √© atendida porque nossa mente subconsciente √© princ√≠pio. " Porque em verdade vos afirmo que se algu√©m disser a este monte: ergue-te e lan√ßa-te ao mar, e n√£o duvidar no seu cora√ß√£o,mas crer que se far√° o que diz, assim ser√° com ele."( Marcos 11: 23). √Č preciso acreditar na pr√≥pria cren√ßa. A prece √© atendida de acordo com a lei universal  de a√ß√£o e rea√ß√£o.Aquilo que semearmos na mente subconsciente √© o que iremos colher no corpo e no ambiente externo. Comecemos agora com pensamentos de PAZ, FELICIDADE, A√á√ÉO CORRETA. BOA VONTADE E PROSPERIDADE. Continue a plantar essas maravilhosas sementes de pensamento na horta da mente e vai colher uma safra abundante.


Alguns trechos do Livro O Poder do Subconsciente de Joseph Murphy.



segunda-feira, 24 de novembro de 2014

Reafirmando o meu compromisso com Humberto! INFINITA HIGHWAY!!






Sabe aquela m√ļsica que voc√™ gosta, aquela banda que voc√™ √© apaixonada e mais ainda pelo vocalista? Pois √© Humberto Gessinger do Engenheiros do Hawaii √© um destes privil√©giados ( rsrsr) sim privilegiados, pois tenho bom gosto! Al√©m daquela cabeleira linda, aquela voz que me faz correr demais, com ele, √© claro! Na Infinita Highway a 120, 140, 160...para ver at√© quanto o " motor" aguenta. Ulal√°! Enfim, o cara √© O CARA, Sem falar que √© capricorniano, amo este povo, trabalhador, com cara de brabo, mas doces por dentro. Talentoso pra caramba!√Č muito f√°cil depois que o cara est√° famoso dizer isto. Mas o legal de tudo √© voc√™ olhar para uns dezoito anos atr√°s e reafirmar a sua paix√£o pelos mesmos cantores. E n√£o se decepcionar com as suas escolhas. Acho que passei a semana toda ouvindo Infinita Highway! N√£o sei mas  cada vez que eu ouvia me dava vontade de ouvir de novo. Putz! Quando o cara chega e "diz" : 

Mas "A d√ļvida √© o pre√ßo da pureza"
E √© in√ļtil ter certeza
Eu vejo as placas dizendo "N√£o corra"

"N√£o morra", "N√£o fume"
"Eu vejo as placas cortando o horizonte
Elas parecem facas de dois gumes"


Parecem faca de dois gumes dizer, n√£o corra, n√£o morra.Como podemos viver sem sentir as emo√ß√Ķes da vida? Sem correr riscos morremos por dentro,n√£o sei querido Humberto se a ideia √© esta, mas assim compreendo.Pois √© esta m√ļsica n√£o me sai da cabe√ßa a uma semana, que toque gostoso! Assisti pelo Youtube uma entrevista antiga com o grupo Engenheiros, no Programa Livre de Serginho onde uma convidada pergunta para ele, Humberto, se ele conseguia lidar com o ass√©dio das f√£s. O cara disse que n√£o era muito assediado. Pasmem!! Hum! Ai, ai.Acho que eu tenho muita miss√Ķes a cumprir nesta vida! ( rsrsrs). Pois √© ainda bem que a m√ļsica que est√° me perseguindo √© a Infinita Highway. Acho que "ela" quer me dizer algo.

domingo, 23 de novembro de 2014

O que é esta tal felicidade?

Fico s√≥ pensando, chega o final de semana e eu quero curtir a casa, descansar ( normalmente quando estou trabalhando), ler um bom livro, assisti um bom filme. Mas a Educa√ß√£o brasileira est√° indo de mal a pior. Parece clich√™, j√° falei isto aqui sobre a falta de educa√ß√£o, empatia de olhar o outro, sentir o outro.Lembrar que apesar de estarmos " felizes" , querendo celebrar a vida. N√£o devo por isto ocupar o ouvido do meu vizinho com as minhas m√ļsicas altas e diga-se de passagem na minha vis√£o (de p√©ssima escolha) √©... aquelas m√ļsicas tempor√°rias que as gravadoras vendem aos rodo e as r√°dios tocam sem parar para causar a impress√£o de que √© a m√ļsica do momento, a solicitada. E estas "coisas" s√£o tocadas como que hipnoticamente at√© as pessoas se convencerem de que elas s√£o boas e por osmose come√ßam a ouvir e repetir.Enfim, lavagem cerebral para variar. O meu domingo foi um saco, metade dele foi ouvindo estas "coisas" que chamam de m√ļsica. O vizinho embaixo curtindo feliz a m√ļsica com uma galera e eu em cima sendo torturada.Fazer o qu√™? "Isso aqui √© um pouquinho de Brasil..este Brasil que canta e √© feliz..." Mas o que √© esta tal felicidade? Sei l√°. Sei que √© um estado de esp√≠rito, sensa√ß√£o de estarmos bem at√© mesmo sozinhos. Mas quando o nosso espa√ßo √© invadido, o que fazer? Abstrair, " viajar no inconsciente" para outra dimens√£o? √Č melhor sair e ir na pra√ßa  e passar o tempo todo cerca de 7 horas fora de casa at√© a "poeira" baixar.Que felicidade √© esta? N√£o a minha. Sinto-me feliz sim de n√£o incomodar ningu√©m, de viver na minha, de lembrar que o outro existe e deve ser respeitado. Acontece que onde vivo, esta preocupa√ß√£o n√£o √© o da comunidade, da sociedade. O que fazer? Dizem os palestrantes motivacionais que devemos pensar sempre positivo e que  o que pensamos torna realidade. Olha...num queira nem pensar no que eu estava pensando durante sete horas ouvindo arrocha e sofr√™ncia. Fabricar uma bomba caseira e BUMMMMMM!! S√≥ rindo mesmo! Acho que aprender a resignar-se. E isto √© bom? Suprimir emo√ß√Ķes? Eu em? Coisa de louco, viver num lugar onde o seu lugar √© invadido. Aqui o sistema econ√īmico muda para cada setor, para ouvirmos m√ļsicas, somos socialistas, o lance √© socializar. Para ajudarmos o outro somos INDIVIDUALISTAS.Quase isto...brincadeiras a parte.Enfim brasileiros e brasileiras, precisamos muito aprender a viver em sociedade, a cultivar e preservar alguns valores b√°sicos de sobreviv√™ncia. Precisamos tratar os outros como gostar√≠amos de ser tratados. Lembrar que h√° mais felicidade em dar ( em todos sentidos falando,rsrrsrs) do que em receber ( prefiro receber muito dinheiro,rsrsr).Estamos realmente carecendo de Educa√ß√£o n√£o s√≥ aquela que √© sistematizada nos bancos da escola, nas Universidades, mas a de casa mesmo. Aquela que nos ensina a respeitar o pr√≥ximo como a n√≥s mesmos. Se por no lugar do outro. Tem horas que acho que eu deveria ter nascido a uns quarenta anos atr√°s aqui no Brasil.Talvez tivesse enfrentado algumas dificuldades por conta da tecnologia atrasada, do atraso em algumas descobertas cient√≠ficas.Mas, n√£o sei....acho que teria sido melhor ! Ter dan√ßado ao som dos tempos das brilhantinas, mascando chiclete com rabo de cavalo e vestidinho anos sessenta com estampa de po√°. Muita hist√≥ria para contar! Ganhar beijos roubados, escrever cartas e  esperar recebe-las contando os dias ( ainda acompanhei esta √©poca) rsrs. As vezes a gente olha o passado e sente tanta emo√ß√£o com coisas simples. Coisas que a pressa do mundo atual est√° tirando. E a obrigat√≥ria felicidade que muitos querem viver, parece que fica mais no externo, expostas "apenas" aos quatro ventos. Para convencer os outros, pois de fato n√£o se tem tanta certeza assim.




quinta-feira, 20 de novembro de 2014

O QUE √Č ESTA TAL INVEJA?

Lembro-me com muitos risos um poster colocado no Facebook e no fundo, a imagem da comediante Dercy Gonçalves.Dizia assim: " Pare de ficar postando que todo mundo tem inveja de você p**** , ninguém tem inveja de pobre não!" Ri litros. Mas do jeito que foi escrito, parecia mesmo a Dercy falando, com aquele jeito dela despachado.Saudades da Dercy! Na minha outrora cabecinha, cria eu que inveja era algo que só os famosos e bem sucedidos financeiramente percebiam vindo dos outros é claro. Seria lógico, afinal, como " diz a Dercy do Facebook", para que ter inveja de pobre? Esta frase faz um sentido danado. Analisando-a filosoficamente, considerando que pobre segundo o dicionário significa entre outros:

Desprovido ou mal provido do necess√°rio.
Desgraçado, que inspira piedade.
Pessoa que vive em estado de necessidade.

O que seria o necess√°rio para se viver? Quem √© digno de pena? O que seria estado de necessidade realmente? Se considerarmos in√ļmeras vers√Ķes do que se √© necess√°rio para sobreviver, podemos ter a vis√£o b√≠blica de que tendo o sustento e com o que nos cobrir estaremos contentes e satisfeitos. Considerando esta vis√£o dentro de uma economia capitalista encontramos conflitos haja vista que a necessidade desmedida do consumo √© a regra √°urea do capitalismo. Sendo assim a necessidade √© algo relativamente constru√≠da dentro do meio econ√īmico e por sua vez social. Sendo constru√≠da no meio social e considerando que este mesmo meio social, como grupos sociais tamb√©m ao qual involunt√°ria ou voluntariamente  eu fa√ßa parte, cito: Igreja, Trabalho, Fam√≠lia, Mulheres,etc, caracterizam a minha identidade, meus valores,cren√ßas, anseios, etc. Desta forma "eu" posso me sentir desprovida do "necess√°rio" a depender do meio social onde me encontro. E, sendo assim, ainda que provida do necess√°rio para a sobreviv√™ncia, cito comida, teto, posso me sentir uma pobre. Por√©m, para muitos outros desprovidos do necess√°rio daquele meio social, cito a exemplo, trabalho, escola, faculdade eu possa ser rica e invejada. Quem est√° na faculdade precisa al√©m de muitas coisas, agilidade,capacidade de interpreta√ß√£o, boa oralidade, bons relacionamentos, etc. E se algu√©m carecer de caracter√≠sticas como estas pode sim vir a desenvolver a danada da INVEJA. Que nada mais √© que a falta de confian√ßa na capacidade pr√≥pria de ser o que desejar ser. De enxergar no outro o sucesso e em si a derrota. E as armas utilizadas erroneamente, para combater esta inveja, seria o denegrir a imagem do outro, ridicularizando-o, na tentativa frustrada de enfraquec√™-lo. Pobre ser humano. N√£o seria mais interessante entender como funciona a "M√ĀQUINA DO SUCESSO", para tamb√©m aprender a oper√°-la com maestria? Traduzindo em mi√ļdos, o que aquela pessoa que "eu" invejo tem que a deixa t√£o interessante? O que devo fazer para me sentir bem, feliz comigo mesma ? Ah, mas para isto deve haver uma boa dose de autoconhecimento. Olhar para dentro, pro escuro da sua alma. S√≥ que as luzes dos refletores da "fama", do destaque as vezes chamam muito mais a aten√ß√£o. Atraem os desavisados como a claridade da l√Ęmpada hipnotizam os mosquitos, atr√°s de orienta√ß√£o que por vezes acabam morrendo.Se tivessem luz pr√≥pria n√£o buscariam o brilho artificial. √Č isto! EUREKA!! Luz pr√≥pria! Car√™ncia, pobreza de luz interior √© o que faz as pessoas buscarem fora o que n√£o t√™m dentro. E ficam desnorteadas quando veem algu√©m brilhar. Hipnotizados. √Č triste! √Č " Dercy do facebook" o povo n√£o tem inveja de pobre n√£o. O invejoso √© que √© O POBRE.



quarta-feira, 19 de novembro de 2014

A Bela e a Fera no jogo da vida,novo level.

Essa vida sempre nos surpreendendo. Ou a gente que surpreende a vida? N√£o sei dizer. S√≥ sei e tenho certeza de que √© o "cora√ß√£o" alma, a sede de todas as nossas motiva√ß√Ķes. As a√ß√Ķes falam bem mais que as palavras. As palavras por vezes podem vir motivadas pelo calor do momento, pelo medo do outro, pelas incertezas, cren√ßas, tabus, ou sei l√° o qu√™.Os sentimentos, as inclina√ß√Ķes est√£o muito mais arraigadas e muitas vezes impercept√≠veis para os outros,mas dentro de n√≥s vibrando e pulsando fortemente. Como Mulher,tenho o tipo mulher de fases ( complicada e perfeitinha),rsrrsrs, meus ex namorados sempre diziam as mesmas coisas.Comigo imposs√≠vel rolar rotina. Todo dia eu era uma. Mas sempre muito intensa.√Č claro que a TPM ( treinada para matar), fase em que qualquer coisa que o parceiro disser para a gente ser√° usado contra ele,nos deixa muito sens√≠veis. O mundo em que vivemos hoje, os valores, a busca pelo conhecimento e ao mesmo tempo a expans√£o deste atrav√©s da Globaliza√ß√£o, resultado do acesso imediato das informa√ß√Ķes, nos faz, se aproveitados, tornar pessoas mais conhecedoras e por sua vez mais amadurecidas, se quisermos. Muitas coisas s√£o colocadas em cheque, situa√ß√Ķes, f√©, dogmas, cren√ßas, tabus. Enfim, como dizia Einstein, tudo √© relativo.Que bom que seja assim. Que bom olharmos o mundo assim, nem que seja na metade de um m√™s em que uma face Fera de Eva, ainda esteja em sono profundo.E a Bela pode se encantar com as in√ļmeras possibilidades e usufruir o que de melhor a vida tenha para nos oferecer. Tenho chegado no olho do furac√£o de uma crise existencial onde no frigir dos ovos, descobri que a minha vida s√≥ ter√° sentido e alegria para mim se eu estiver feliz com o que eu esteja fazendo. Seja l√° o que for. E que nem sempre as coisas precisam fazer muito sentido para valerem a pena.A quest√£o √© que muitas vezes eu demoro para perceber isto. E acabo perdendo oportunidades ou me precipitando, por incr√≠vel que pare√ßa pelo fato de pensar demais! Incr√≠vel mesmo pois quando racionalizamos certas coisas elas perdem a sua ess√™ncia. H√° coisas que s√£o imensur√°veis, inexplic√°veis, s√≥ sentidas e quase sempre inesquec√≠veis.Enfim, tento alcan√ßar o topo deste jogo da vida.Ainda n√£o cheguei l√°,ainda. Mas sinto que a mudan√ßa est√° chegando, alcan√ßando as fases lentamente e comemorando tudo isto porque est√° me fazendo bem, na fase Bela. Na fase Fera, NADA FAZ SENTIDO. PQP, me pergunto para que este tro√ßo chamado TPM existe? J√° n√£o basta ser "bicho esquisito" e sangrar todo m√™s?Neste per√≠odo deveria ser de quarentena, recolhimento total. Muitos afagos, abra√ßos,que os parceiros ou parceiras tapem os seus ouvidos e apenas amem incondicionalmente as suas mulheres especiais.Namoradas, noivas, amantes, ficantes, "peguetes", seja l√° o que for.E haja crise existencial a n√≠vel m√°ximo na pot√™ncia de base dez! A vida √© para ser vivida sim. Com crise existencial melhor ainda, se aproveitada. Pois √© atrav√©s destas crises que crescemos e conseguimos enxergar o mundo com novas possibilidades. Alcan√ßamos a liberdade de pensamento e de mobilidade. Movendo na dire√ß√£o em que a vida nos convida para aproveit√°-la. Deixa a vida nos levar querida Fera...segue os passos de Bela!!!




s√°bado, 15 de novembro de 2014

Pedindo a Deus!

√Č muito dif√≠cil viver com esta tristeza dentro de si. Por mais que eu tente empurr√°-la para longe de mim. Mais dif√≠cil √© ter que engoli-la e digerir sozinha. Desejar um abra√ßo de compreens√£o e n√£o achar. Viver como se fosse um menor abandonado, carente de aten√ß√£o e apoio.Mas n√£o √© qualquer aten√ß√£o, qualquer apoio. Preciso de luz para o meu dia. Hoje est√° tudo muito terr√≠vel, muito obscuro.Muito chato.Por mais que os pensamentos positivos sejam importantes neste momento. A dor √© maior. Meu Deus, me ajude, me ajude.Quanta dor, quanta tristeza. Manda embora. Me traz dias prazerosos por favor. Eu preciso. Alivia meu cora√ß√£o desta dor que n√£o para de doer. Destes pensamentos ruins. Me abra√ßa e me afaga.Am√©m.


Tristeza por favor vai embora!

N√£o dormir e "acordar" com uma sensa√ß√£o ruim de vazio . Algo patol√≥gico inexplic√°vel, faz o seu dia perder a gra√ßa.Por mais que eu tente viver um momento de cada vez. O cora√ß√£o acelera muito, os bra√ßos sem for√ßas para lutar, sem √Ęnimo para reagir e cuidar dos afazeres. Meu Deus, pergunto o porqu√™ vivo dentro de mim com tamanha depress√£o? Porque esta praga n√£o some da minha vida e eu comece a usufruir de fato a minha vida. O que d√≥i √© que sou muito alegre e quando me bato com algo que me machuca realmente fico triste. Mas vai passar, ainda que doa, ela vai passar...


sexta-feira, 14 de novembro de 2014

O meu bem querer





A arte do di√°logo.
Tão difícil de ser mantido.
Tão difícil de ser vivido.
Por  ser t√£o dif√≠cil de ser compreendido.
Melhor seria n√£o dialogar?
Esconder para n√£o magoar?
Sentir a dor mas n√£o gemer ?
E viver...
Mas como viver sem querer
Se o que quero eu quero mais
Mas  se este querer n√£o vem como eu quero?
O que fazer?
Aceitar um querer como eu n√£o quero?
E n√£o viver?
Ah! Assim não é querer
Assim é aceitar qualquer coisa
Meu querer não é qualquer coisa
√Č um tesouro que guardo
Que deve ser zelado
Por quem a ele for confiado
O meu querer é ser amada
Amando e sendo correspondida
Andando por esta vida
Ao lado de quem me faz bem
E quem me faz bem?
Quem n√£o me machuca
E n√£o se machuca pelo meu dizer
Pelo meu desejo de sempre ter
Ao meu lado  o meu bem querer
Nem me deixa chorar
Me causando tristeza
Impiedosa frieza
De me fazer magoar
Pelo meu desejo de sempre ter
Ao meu lado o meu bem querer.










terça-feira, 11 de novembro de 2014

Vivendo e Aprendendo!!!!!


Viver trope√ßando na vida para aprender qualquer coisa √© muito chato. Bom mesmo √© aprender com os erros alheios e n√£o cair neles. Ver qual foi o resultado das a√ß√Ķes daquela pessoa e sentir se vale a pena sentir o mesmo. Mas de vez em quando ouvimos conversa do tipo : " viva o momento". Que momento? Aqueles conselhos tolos de quem realmente n√£o est√° nem ai para os seus sentimentos. Ou que s√≥ quer no momento usufruir algo que lhe interessa. Como um vendedor que empurra para voc√™ uma mercadoria de baixa qualidade com toda l√°bia e depois quando voc√™ chega em casa, aos poucos percebe que foi lesado. O lance ent√£o √© n√£o cair em qualquer conto. Conto do vig√°rio. N√£o acreditar em qualquer sorriso, qualquer promessa de amizade,qualquer apar√™ncia de bondade. Infelizmente h√° mais propaganda enganosa do que produtos de boa qualidade. E para achar um profissional bom, com uma mercadoria boa, a pessoa tem que ser criteriosa,bastante observadora, n√£o agir no calor da emo√ß√£o, n√£o acreditar no felizes para sempre, no papai noel. Ter sangue frio. Estuprar a sua personalidade para sobreviver neste mundo infame. E ainda acreditar que apesar de poucos, os bons valem a pena e √© por eles que vale a pena continuar. E que venham este bons!!

Cansada!

A B√≠blia cita que houve um momento em que Deus deplorou ter feito o homem pois viu que a inclina√ß√£o dele era s√≥ m√°, todo o tempo e que achou apenas uma fam√≠lia a quem merecia a sua miseric√≥rdia. Enfim, trouxe o Dil√ļvio de √Āguas.Bom, acreditando ou n√£o na B√≠blia, qualquer pessoa h√° de convir que esta humanidade que esta a√≠ n√£o √© nada boazinha.Considerando tantas barb√°ries, brutalidades cometidas por esta humanidade desumana.Me pergunto: Como as coisas chegam aonde est√£o? Como pode uma pessoa passar tanto tempo numa Igreja, pronunciar uma Santidade e ao mesmo tempo ser leviano em tantos sentidos? Como pode uma pessoa estar na frente de uma Organiza√ß√£o de combate as drogas e ao mesmo tempo ser o maior traficante?Enfim, falo de uma humanidade que infelizmente n√£o olha para si, pra dentro do seu umbigo.Que prega mas n√£o cumpre. √Č melhor n√£o pregar. Ficar quieto porque assim causa menos danos. Estou cansada desta humanidade.Eu que fa√ßo parte dela.Estou cansada demais de tanta hipocrisia em cada esquina que eu ando. √Č dif√≠cil hoje manter relacionamentos saud√°veis. Pois neste mundo capitalista at√© uma sapato novo que a pessoa compra √© alvo de inveja de mentes anor√©xicas.Pessoas mal trabalhadas internamente sentem inveja um do outro por raz√Ķes t√£o pequenas. E preferem sabotar ao inv√©s de ter as pessoas " bem sucedidas" como exemplo. Em todo local de trabalho, sempre incomodei sem saber ( infelizmente), por causa das minhas habilidades de leitura, escrita, oralidade. Enfim, sempre fui muito perfeccionista em tudo que fa√ßo. E tudo que fa√ßo ,fa√ßo com amor, enquanto n√£o houver alegria naquilo em que estou fazendo, para mim n√£o faz sentido. √Č morto, eu me apago por dentro.Sou viva e preciso de vida.Trabalhar por osmose n√£o √© a minha.Infelizmente isto incomoda,incomodo pelo fato de ser politizada por gostar de expor as minhas opini√Ķes embasada, por gostar de pesquisar.Por receber elogios pelo trabalho que fa√ßo. O chato de tudo √© eu n√£o perceber at√© ent√£o que isto incomodava. Que ser o que eu sou naturalmente, cria dentro das pessoas √≥dio. Ao ponto de fazer elas me sabotarem de forma desumana e hostil. Indiretas, sarcasmos...T√ī com nojo de tudo isto, nojo. Nojo dos cachorros magros da vida que enquanto est√£o se servindo de voc√™ est√£o com voc√™. Na medida que n√£o precisam mais caem fora na maior cara de pau. Sem nem dizer adeus. " j√° comi, j√° bebi, o que eu quero mais aqui?". Estou enojada de facebook, whatsap e o escambau.Eleitos agora como a nova vers√£o da comunica√ß√£o olho a olho.L√≥gico! Os olhos falam a verdade, o tom da voz, a express√£o do rosto,atrav√©s de uma tela cada um pode fingir qualquer coisa. Porque ser verdadeiro, demostrar os verdadeiros sentimentos sai caro. Demostrar o √≥dio,a inveja, o desejo dos prazeres prim√°rios. √Č muito feio para uma sociedade que vive de apar√™ncias, do Feliz natal, Parab√©ns para voc√™, mas no fundo desejando a sua morte financeira, emocional e f√≠sica. T√ī cansada, talvez por ter sido ot√°ria a tanto tempo e acreditado em religi√£o, fam√≠lia, amigos. T√ī cansada.... 

s√°bado, 8 de novembro de 2014

O Bom Combate

Na vida, querendo ou n√£o estamos sempre guerreando.
Esta guerra come√ßa dentro de n√≥s. Lutamos contra nossos instintos prim√°rios a fim de sermos encaixados na sociedade. Enquanto houver luta, h√° vida. Lendo um certo livro,achei not√°vel um trecho em que dizia que os inimigos servem para ensinar muitas coisas e nos fortalecer.Ent√£o citou um exemplo de Mao Ts√© Tung, l√≠der comunista da China h√° tempos atr√°s que vivia em conflito com o partido nacionalista.E quando os japoneses decretaram guerra contra a China, alguns comunistas acharam bom n√£o se juntar aos nacionalistas para defender a China. E segundo Mao, seria uma oportunidade do ex√©rcito comunista outrora enferrujado, se preparar, combatendo com um inimigo a altura, no caso os japoneses. E assim estarem fortalecidos para derrubar futuramente os nacionalistas.E o seu plano deu certo. √Č aquela coisa de transformar um lim√£o em limonada.
    Acredito sim que na vida certos desafios devem servir-nos √† aprendizagem e fortalecimento.Mas nem sempre, existe um inimigo a altura ou que possua car√°ter o suficiente para um bom combate.At√© para perder tem que se ter car√°ter, para competir, para ganhar.Certos combates perdem a sua " beleza" quando neles s√£o utilizadas trapa√ßas : manipula√ß√Ķes, mentiras, golpes baixos, fuga da regra. Termina ai o bom combate. A sua "beleza". N√£o entendo l√° quase nada de artes marciais, mas sei que nelas existem regras para serem respeitadas, desta forma a luta √© limpa. Por isto que muitas destas artes marciais s√£o implantadas em alguns curr√≠culos escolares pois diferem da briga, onde o objetivo √© apenas machucar o oponente e sair vitorioso, utilizando-se de atos de barbaridade, entre outros. No jud√ī h√° o lema que guia a luta: " ceder para vencer." Alguns pais tem medo de permitir que seus filhos pratiquem as artes marciais e se tornarem mais violentos. A "opera√ß√£o"√© inversa. As regras da luta ensinam o respeito ao advers√°rio, entre outras coisas. 
    Por n√£o ser chegada a viver "batendo boca". Disputando quem d√° mais uma resposta sarc√°stica, mais ir√īnica, mais qualquer coisa, passo uma imagem de ser boba.Eu n√£o fujo √† luta, apenas recuo para pegar impulso, pois o golpe √© certeiro.A minha luta √© dentro do " tatame da justi√ßa" onde existem regras. A minha luta √© no "espa√ßo tempo" onde me preparo mental e fisicamente  para alcan√ßar os  meus objetivos, para mostrar a advers√°rio algum quem sou  ou o que posso fazer. Somente eu sinto o prazer do combate. Porque √© a mim  a quem interessa superar os meus limites.



segunda-feira, 3 de novembro de 2014

Educação abre portas..



Enquanto as pessoas viverem utilizando o espa√ßo coletivo para obrigarem as outras a engolirem as suas m√ļsicas em volume altamente inc√īmodo. N√£o dever√£o ter o direito de reclamar por seus direitos √† privacidade.Afinal quando eu ponho um som a qualquer hora do dia alto demais eu estou tirando o direito do outro de escolher a hora de dormir, a m√ļsica que quer ouvir, a pr√≥pria paz! ISTO √Č UMA FALTA GRAVE DE EDUCA√á√ÉO E RESPEITO.Eu procuro e quero,ainda que no momento seja utopia:

* Ter o direito a sil√™ncio para ler, dormir, ouvir uma m√ļsica em tom aud√≠vel mas que n√£o incomode o outro.

* Viver em uma sociedade que respeite as minhas escolhas o meu direito a ir e vir onde eu quiser sem ser incomodada ou taxada de antissocial.

Ha pouco tempo, conversando com uma amigo sobre outra amiga que mudou-se da sua casa rec√©m constru√≠da e linda, de bom gosto, muito bem decorada, pelo fato dos vizinhos todo final de semana estourarem as caixas de sons de seus carros e de suas casas com m√ļsicas horr√≠veis ( que poderiam at√© serem n√£o horr√≠veis, pois o que √© horr√≠vel, lixo pra uns pra outros n√£o o √©) e que ela n√£o conseguia ter paz pois o port√£o tremia, sus leituras ficaram limitadas a outros dias da semana. Este amigo comerciante me disse que ela, a minha amiga, deveria aprender a se socializar mais, relevar.Ora, eu respeito o espa√ßo do outro e eu sou o antissocial ? √Č incr√≠vel a invers√£o de valores desta sociedade med√≠ocre. Colocam seus carros na frente da porta, abrem o porta malas e pronto, se sentem deuses. Eu me pergunto: Seria necessidade de reafirmar a sua personalidade naquele bem, digo o carro, a caixa de som? Acredito que normalmente estas pessoas devam sofrer de algo chamado autoestima. Onde precisam que o outro lhe note, para se sentir bem. O espa√ßo √© coletivo pow. O ar √© respirado e utilizado por todos. Ser√° t√£o dif√≠cil entender isto? Tem locais que ocorre uma verdadeira competi√ß√£o de som mais alto. Isto √© rid√≠culo, grotesco, desumano. Estas pessoas quando se sentem invadidas v√£o com certeza reivindicar os seus direitos. Com que moral? Se aceitar estas atitudes √© ser do povo √© ser popular,ent√£o eu sou antissocial, extraterrestre, elitizada com todo prazer. A Educa√ß√£o nos abre portas. E esta independe de classe social, credo, orienta√ß√£o sexual, ou qualquer outra coisa. Afinal vejo muitos religiosos empurrarem goela abaixo os seus sons altos com m√ļsicas de suposto louvor.Louvamos a Deus nos outros.No amar o pr√≥ximo como a nos mesmos. Isto √© ant√≠tese de tudo o que Cristo ensino. Disparidade total. Me sentindo de saco cheio desta sociedade ego√≠sta e despreparada mentalmente para viver em grupo.




s√°bado, 1 de novembro de 2014

MESMO NO RISO O CORAÇÃO TALVEZ SINTA DOR...

Acordei exatamente agora as 00,50 minutos.Deitei umas oito horas da noite ( hor√°rio normal, gra√ßas a Deus!). Depois de um dia normal e prazeroso onde aprendi a jogar Tot√≥ e sinuca com um menino de dez anos. E rir com um cachorro seco que passava com um p√£o seco na boca, desfilando os cambitos na pista da Higway (Vulgo Cascalheira, 110... 120... 130,( EXAGERO) e os carros se desviando dele. Onde, pra variar, como amo a nossa MPB, pensei imediatamente na situa√ß√£o e lembrei de uma m√ļsica que o cachorro " deveria estar cantando": O acaso vai me proteger enquanto eu andar distra√≠do...( rindo litros com aquele serzinho que me chamou a aten√ß√£o e pensando..Meu Deus em que se fiam estas criaturinhas?) Rindo na ida e na volta, sempre rindo, rindo com as crian√ßas, rindo de tudo. Minha m√£e quando eu era pequena me dizia o tempo todo: " Feche os dentes!" At√© hoje procuro a porta para fechar. sou risonha por natureza, tenho cara de moleca e por ser risonha e falar demasiadamente besteiras, as vezes passo a imagem para alguns desavisados de que sou boba. Triste ilus√£o. O senso de humor √© a capacidade de aceitar ou discutir, de forma descontra√≠da qualquer coisa e levar a vida.Para pessoas sem este senso de humor, muitas vezes aproveitam a suposta brincadeira  para ofender um outro, mago√°-lo naquilo que n√£o tem a coragem de falar de forma s√©ria. Isto para mim √© sarcasmo e certamente estou fora.Deste veneno indelicado de proferir "verdades" com os " dentes abertos".Dizem que as maiores verdades ( o que pensam) s√£o ditas na brincadeira.Enfim o porqu√™ deste texto prolixo que n√£o sei se algu√©m l√™ mas me faz bem escrever. Tenho problemas ser√≠ssimos de ins√īnia h√° muitos anos, ansiedade cr√īnica, dores musculares porque contraio a minha musculatura todo o tempo. Em per√≠odos pr√© menstrual vivo um verdadeiro inferno. Dores, especialmente nos bra√ßos,os nervos atacam.E a s√≠ndrome potencializa. Tudo potencializa. Para os desavisados depress√£o √© frescura! Mas acordar na madrugada em p√Ęnico devido a sonhos terr√≠veis, pesadelos simplesmente porque n√£o tomei o ansiol√≠tico para dormir √© de dar uma tristeza imensa. J√° tentei me libertar desta depend√™ncia, mas n√£o consigo AINDA. Segundo a m√©dica psiquiatra isto n√£o √© depend√™ncia e sim uma subst√Ęncia em falta no meu organismo.Estou lendo, entre tantos livros, o Yoga para nervosos, Hatta Yoga, de Dr. Herm√≥genes, acredito que a pr√°tica leva a perfei√ß√£o. Estou aprendendo t√©cnicas de relaxamento. No momento todas s√£o paliativas.N√£o √© falta de f√© em Deus pois " ando " com Ele o tempo todo. E antes de me levantar devido ao p√Ęnico que senti, orei que ele me desse for√ßas para isto.Vi o computador e resolvi escrever. Malho, porque sei que faz bem, leio. E procuro relaxar.Evito assistir a filmes ou programas negativos, bem como conversas destes n√≠vel. Sei que ningu√©m merece estar ao lado de uma pessoa que s√≥ vive lamentando.J√° passei por isto e recebi at√© de alguns da fam√≠lia, colegas de trabalho e por ai se vai, t√≠tulos de fresca, pregui√ßosa que gosta de dormir demais,gorda de tanto nada fazer, etc. ( detalhe: eu me sustento desde os quatorze anos). Quero e sou forte e vou lutar com unhas e dentes para vencer esta terr√≠vel doen√ßa, chorando entre quatro paredes, rindo aos quatro ventos.Mas resolvendo comigo e Deus minhas tristezas e problemas. Sem esta de se vitimizar.Quero estar bem pois eu amo a vida e a vida me ama.Continuo rindo muito de mim e da vida. E vou agora tentar dormir , tomar meu rem√©dio, enxugar as l√°grimas e voltar a sorrir.

 

sexta-feira, 31 de outubro de 2014

MALHAÇÃO DE JUDAS!

Uni√£o em prol apenas de recha√ßar uma atitude errada de uma pessoa n√£o √© uni√£o e sim LINCHAMENTO. Seja ele virtual ou presencial. N√£o concordo de forma alguma com preconceitos, por√©m os " pr√©- conceitos" est√£o em toda parte em todo momento. J√° sofri e sofro in√ļmeros preconceitos durante a minha vida. Por quest√Ķes in√ļmeras e como n√£o fora virtualmente ou vis√≠vel ao p√ļblico, simplesmente perderam a for√ßa.Sempre penso e percebo que da mesma forma como as pessoas s√£o em suas caracter√≠sticas de personalidades, da mesma forma se comportam no tr√Ęnsito, numa festa, nas redes sociais. Por mais que as vezes tentem disfar√ßar, sempre d√£o uma escorregada.Analisando alguns coment√°rios sobre pessoas preconceituosas que teceram coment√°rios sobre nordestinos, negros, homossexuais entre outros grupos sociais.√Č curioso perceber o √≥dio das pessoas, impl√≠cito nestes coment√°rios. Agressivos, sarc√°sticos, incitando a viol√™ncia. Ou melhor fazendo Apologia √† viol√™ncia. Criam p√°ginas e exp√Ķem o JUDAS e todos come√ßam a espanca-lo. N√£o √© coitadinho quem chega numa rede social e exp√Ķe um coment√°rio muitas vezes sem pensar no peso do mesmo, incitando √≥dio a um grupo social ou pessoa.√Č uma boa oportunidade para contarmos at√© dez antes de expor uma opini√£o. Com o advento da tecnologia tudo fica mais exposto. At√© nossos pensamentos se n√£o cuidarmos vira alvo de investiga√ß√£o.( Me lembrei do filme Minority Report. Pupilas, pensamentos,identifica√ß√£o da presen√ßa de algu√©m atrav√©s da temperatura corporal, pol√≠cia pr√© crime? D√ļvida: mas o crime n√£o existiu AINDA. Muita coisa a se pensar.) Enfim, √© neste mundo em que vivemos. A velocidade com que as informa√ß√Ķes se proliferam s√≥ n√£o √© compat√≠vel com a velocidade da luz. Mas √© r√°pida o suficiente para se perceber o quanto somos movidos pelo agora, pela emo√ß√£o do momento.Pela imagem.Pelo o que apenas √© visto aos olhos, escaneados pela tecnologia.Num mundo onde imagem √© tudo! E assim vendem-se produtos,implantam-se id√©ias racistas, √≥dios e por ai se vai. Bom mesmo √© escanearmos nosso pensamentos. Como j√° dizia S√≥crates " 

  1. Conhece-te a Ti mesmo e conhecer√°s todo o universo e os deuses..." Resumindo, √© f√°cil chutar, cachorro morto, julgar e condenar um coment√°rio infeliz de uma pessoa e incitar a viol√™ncia contra a mesma. Dif√≠cil √© controlar nossos pensamentos ocultos onde moram neles toda esp√©cie de coisas negativas e positivas. Mas devido ao Verniz Social, mantemos ocultos aos olhos da maioria n√£o observadora. Mas expl√≠citos para uma minoria reflexiva e  no resultados de nossas a√ß√Ķes. N√£o esque√ßamos que A Lei do Retorno √© mais Imut√°vel das Leis Universais. E como cita a B√≠blia, se semeares generosamente colher√°s generosamente, de plantares parcimoniosamente colher√°s parcimoniosamente.




Canto, CANTA QUEM CANTA SEUS MALES ESPANTA!!

MPB SUA linda apaixonada por ti. Esta Musica e um Desabafo. Entre tantas. Meu Caso de amor com a MPB √© eterno. E uma terapia para mim Ouvir, cantar e compreender o SENTIDO de Cada Palavra destas Can√ß√Ķes. Sentir nas belas vozes interpretadas uma emo√ß√£o Desejada.

quinta-feira, 30 de outubro de 2014

Se você quiser voltar!!


Dupla que amo.Minha Diva Faf√° !! Esta MULHER canta do √ļtero. Int√©rprete Maravilhosa. Que qu√≠mica Perfeita entre os dois nesta M√ļsica, que por sinal, amo. Que Coisa boa de ver !!



Se você quer voltar pra mim
N√£o vai ser como era antes
Tem que ser tudo como eu quero
Sen√£o n√£o vamos ser amantes
Você bem sabe do que eu falo
O que sofri j√° foi bastante

Se você quer voltar pra mim
Condi√ß√Ķes eu n√£o aceito
Você bem sabe que eu te quero
Mas n√£o me fale desse jeito
Porque por bem você me leva
Mas dessa forma nada feito

Mas eu n√£o posso permitir
Esse amor a me ferir
Que me queiras quando queres
Que dividas teu carinho
Entre amigos e can√ß√Ķes
E quem sabe com mulheres

Mas eu sempre fui assim
Um boêmio, um sonhador
Pela vida apaixonado
Ser assim não é defeito
Me assuma desse jeito
Pra que eu fique do seu lado

Se você quiser voltar...
Se você quiser que eu volte...