quinta-feira, 31 de dezembro de 2015

Que Deus nos abençoe hoje e sempre!



Prosperidade, autoconhecimento, paz, " muito dinheiro no bolso e saúde pra dar e vender!" 5 4 3 2 .....

Que Deus nos abençoe hoje e sempre!
Abraços
Iracema Correia

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Respeitem as diferenças!



Sobre inclusão social, sobre bullyyng, sobre preconceito...

Pensando hoje com os meus botões:

A minha princesa tem oito anos, mais de um metro e meio de altura. Dificuldade para encontrar roupas infantis, neste caso ela usa Teen, adolescente, mas não cheia de decorações infantis para a idade dela. Se vai num parquinho, em alguns casos, algumas pessoas preconceituosas medem a idade de uma criança pelo tamanho dela,isso me aborrece pacas. Há uma coisa chamada DIFERENÇAS, que muitos se esquecem de lembrar, ou não fazem questão. Basta olhar pro rostinho e ver os dentinhos ainda trocando, que por sinal só se foram seis, até o presente momento. Crianças altas, costumam tropeçar fácil, porque a idade mental não corresponde com o desenvolvimento avançado do corpo.Ocorre o contrário também, crianças com idade mental menor do que a biológica. Precisam de um olhar especial, mais do que especial. Isso GRAÇAS A DEUS está mudando. Mas quanto ao comportamento de pessoas, principalmente mulheres, mães, em relação a uma criança que APARENTA ter dez ou doze anos, mas não tem, e chega ao ponto de chamar a criança a atenção e impedi-la de brincar no meio das outras num parque, por causa do seu tamanho, é ser muito cruel, malvado.Ah! Sem falar os comentários carregados de preconceito que acha que toda criança "cheinha", digo "cheinha", não obesa ( e se caso for é problema para os pais e nutricionistas resolverem), é porque come muito doce, recheado, etc e tal. METABOLISMO NEM SEMPRE TEM A VER COM O QUE SE COME, UMA CRIANÇA MAGRA NÃO QUER DIZER, CRIANÇA BEM NUTRIDA, A BOA ALIMENTAÇÃO É PERCEPTÍVEL NA SAÚDE DA CRIANÇA, EM COMO O SEU CORPO REAGE DIANTE DAS ENFERMIDADES, PELA SUA ENERGIA, E NEM SEMPRE CRIANÇAS ATIVAS QUER DIZER CRIANÇA, HIPERATIVA, CONHECIMENTO É TUDO, INFORMAÇÃO É A MELHOR SAÍDA PARA O PRECONCEITO. Passo por isto direto e vejo a carinha triste dela quando me diz: "Mãe, eu só cresci, mas ainda sou criança! " E é e ainda será por um bom tempo, ainda que cresça mais. Precisamos parar de generalizar tudo! E no quesito CRIANÇA, é a bola do meu olho. Não importa o que , quem ou de onde a criança seja, ela precisa de atenção, cuidado, carinho e proteção. Tô de olho nesta galera imprudente que insiste em se fingir de ignorante no quesito RESPEITO. Só de olho bem aberto.

" Segundo o  endocrinologista pediatra Luiz Cláudio Castro, membro da Comissão de Comunicação Social da SBEM, explica que a alta estatura, na maioria das vezes, é o resultado do potencial genético da criança, por ser filha de pais altos. Esse quadro é chamado de alta estatura constitucional ou familiar. “Nesse grupo de crianças, a preocupação maior dos pais é com as meninas, pelo receio de que venham se tornar mulheres muito altas, com problemas posturais ou descontentes com o tipo físico, muitas vezes decorrentes de questões sociais”, diz o médico."

Fonte: http://www.endocrino.org.br/quando-crescer-pode-ser-um-problema/

Iracema Correia

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

20 SINAIS DE QUE VOCÊ REALMENTE ENTENDE A LEI DA ATRAÇÃO





Acredito que boas orações, aliadas a uma forte fé , pensamentos e atitudes positivas, são capazes de nos dá força para a cada dia. Pensar positivo ainda que diante de adversidades. Evitar entrar em pânico porque este é um grande inimigo. E acreditar que dias melhores virão.
Iracema Correia

Algumas pessoas acreditam que tudo que você tem que fazer para usar a Lei da Atração é apenas visualizar o que quer. No entanto, as pessoas que realmente entendem a Lei da Atração percebem que é preciso muito mais do que alguns pensamentos dispersos para criar a vida de seus sonhos.
Mesmo que a Lei da Atração seja simples (peça, acredite, receba), aqueles que a compreendem plenamente percebem que, em alguns casos, uma pessoa deve fazer uma mudança total de estilo de vida, a fim de aproveitar todo o seu potencial.
Embora cada um de nós tenha seus momentos ruins, você ainda vai ver que se realmente entende a Lei da Atração, provavelmente se esforçar para marcar muitos dos itens da lista abaixo. Você nem sempre pode ter tudo certo, mas tentar fazer muitas das coisas seguintes:
1. Você sonha maior do que a maioria das pessoas.
2. Você tem expectativas positivas.
3. Você sorri para estranhos.
4. Você evita mesquinharia, drama desnecessário e fofocas.
5. A vida simplesmente não é tão grave como costumava ser.
6. Você enxerga o lado bom das pessoas.
7. Você tem tempo para relaxamento mental, e entende que a mente que corre é o seu pior inimigo.
8. Diversão é uma prioridade.
9. Você deixa as coisas ruins irem.
10. Você raramente fala sobre os seus problemas (somente quando precisa de ajuda ou realmente precisa desabafar).
11. Quando as coisas se desfazem, você procura a coisa boa.
12. Você evita conversa mesquinha.
13. Você identifica sincronicidades durante todo o dia.
14. O riso é parte de sua rotina diária.
15. Você para pelo caminho para cheirar as rosas.
16. Você segue a intenção de ir com o fluxo.
17. Você assume a responsabilidade por sua vida, e tudo nela.
18. Você confia que tudo acontece por uma razão.
19. Você perdoar as pessoas por seus erros.
20. Você agradece com freqüência.
Então, você acha compreende a Lei da Atração muito bem?
Novamente, nós nunca vamos ser perfeitos (e estamos autorizados a ter dias ruins!), Mas se você encontrar-se nestes pensamentos e comportamentos regularmente, realmente vai entender que é o criador de sua própria realidade. Melhor ainda, você provavelmente estará tendo sucesso criando muitas coisas boas em sua vida!
Você acrescentaria algo a esta lista? Compartilhe suas opiniões e experiências através dos comentários!

___
Traduzido pela equipe de O Segredo


domingo, 13 de dezembro de 2015

Amando filosoficamente...

 Mais uma nova aquisição de uma série. Dentro desta série, ainda há aqueles livros, tamanho família, que vou deglutindo aos poucos. Matéria pesada, precisa ser bem mastigada para não causar indigestão. Mas o que dizer de um livro rosinha, com um casal romântico na capa? Logo vem à mente, ora pois,  de quem julga o livro pela capa, que se trata daqueles livros românticos que ensinam "receitas" para conquistar um novo amor. Pasmem, não é não. Ah! A minha propaganda, como sempre é voluntária. Apenas gosto do que é bom, do que é belo (mas aceito sim, uma bela remuneração pela propaganda, nada contra, não brigamos por isto ;) ) de textos inteligíveis, recheados de conteúdo que fazem a minha mente trabalhar. Alexey Dodsworth, autor do livro, conversei muito contigo cara, enquanto estou lendo a sua obra. Eu rindo de mim mesmo. O "pau quebrando" na rua, haja sofrência meu pai, para os meus ouvidos sensíveis! Eu não consigo compreender a lógica de seres humanos ouvirem em ritmo repetitivo as mesmas músicas de oito horas da manhã até o presente momento, as dezesseis horas e trinta minutos. E eu cá lendo uma das teorias de Nietzsche, onde ele nos convida à uma reflexão, traduzida mais ou menos assim pelo autor do livro: 'Se você descobrisse que toda a sua vida se repetirá nos mínimos detalhes por toda a eternidade, se amaldiçoaria ou ficaria feliz? Ainda que a sua existência não tenha sido boa ou não,por completo, há algum momento ou momentos tão magníficos que faria você pensar que tudo valeu a pena por causa deles? Se chegar a conclusão de que nada na sua vida faria valer a pena que ela se repetisse , está na hora de criar este momento. E para fazê-lo, é preciso querer esta vida. É preciso parar de esperar.'
    Numa viagem maravilhosa pelos Mitos gregos,pela Astrologia, citando e comparando o pensamento de vários filósofos como Aristóteles, Sócrates, Michel Foucault, Pascal, etc. Vamos compreendendo o amor e sua inquietude. O desejo de amar e ser amado plenamente. A necessidade de saber ( representando os atributos astrológicos do signo de Aquário), o que queremos em alguém, O querer ( atributo do signo de Leão) este querer não desejo, mas vontade de levantar e ir lá, pois é nesta vontade que o desejo se manifesta.Ousar, ( atributo astrológico do signo de Escorpião), onde a felicidade se manifesta sempre quando usufruímos, gozamos do que desejamos.E o calar ( Atributo astrológico do signo de Touro) como uma interiorização , reflexão do que se deseja. Evitar fazer propaganda demais do objeto do desejo, para não atrair inveja e cobiça. Olha aí! Agora, posso estar com meu " Príncipe Encantado" mas propagarei à todos que é um sapo gordo, chato e que come mosquito ! Lógico! Prazinimigas tirarem o olho! ( risos). Leitura magnífica, recheada de sofrência no pé do ouvido, mas entendendo que devemos dar um basta no sofrimento, que quando a mente nos engana de que somos felizes porque podemos acreditar nisto, por osmose, o corpo somatiza, chora e reage de diversas formas. Não podemos enganar o nosso corpo numa ilusão de um relacionamento falido. Nem por medo, não ousar e deixar de conseguir o que desejamos por falta de ação, vontade e ficar  querendo o que sabemos que certamente nos satisfará. O momento de viver é  o agora. Que sejamos felizes nesta vida, porque já estamos fadados à morte, segundo comentário atribuído à Sócrates, amemos sempre pensando que a pessoa que está ao nosso lado ou desejarmos, pode não mais estar lá, ou pelas fatalidades da vida, ou por cansar de esperar. A esperança é ruim, cria dúvidas, o bom mesmo é viver, amar e, se for filosofando, melhor ainda. Amo filosofar, mas tem horas que dá um nó no juízo. Porque a filosofia "fustiga nossa mente, desfaz ilusões". Pensando aqui comigo: " Enquanto os amantes da sofrência curtem o domingo, estou eu cá a ler filosofia. Será que eu sou normal? Bom, pelo menos estou me divertindo :D . 

Ps: Ainda estou na página 70 de 292 do livro e me sentindo no direito adquirido por mim, no meu Blogguer de resenhar sobre o livro. Que o autor não leia isto.

Iracema Correia

sexta-feira, 4 de dezembro de 2015

Esse Brasil, sei não viu!



Só observando os comentários dos brasileiros com relação aos problemas políticos e econômicos do país. É uma overdose de comentários agressivos, enxurradas de competições de quem sabe mais, de qual político é o mais errado. Parece briga de criança. Chega a ser patético!
O problema é que as questões políticas do Brasil são discutidas e levadas ao mesmo nível que uma partida de futebol, onde cada torcedor defende a bandeira do seu time. Há facções, gangues, grupos que defendem este ou aquele partido por interesses próprios e nunca do coletivo. E parece que o brasileiro, carece de ídolos e deseja ardentemente ter pessoas as quais seguir e venerar. Isto é nítido, no esporte,na música (muitos nem tão talentosos assim, mas alavancados pela mídia.), na dramaturgia (atores, atrizes da mídia de massa, talentos momentâneos), na religião, etc. A questão é que, nos exemplos citados acima, não há problemas, dentro do limite da civilidade. Porém, quando se trata da política, precisamos de mais amadurecimento emocional, usar a razão e tirar de fato o pensamento de Monarquia da cabeça. Não há REIS, NÃO SOMOS SÚDITOS, os políticos são servidores públicos e devem nos prestar satisfação, respeito e consideração. Não é uma via de mão única. Se erram, precisam pagar o erro. Não venham me dizer que um líder de uma empresa que assina papéis sem ler, que não tem o controle do que está acontecendo na mesma, onde funcionários desviam verbas e, ainda alegando desconhecer o fato, fazendo vistas grossas, pode ser considerado competente, responsável e comprometido com a empresa. Que dirás de todo um país! Numa corporação normal, o líder é o responsável por tudo o que acontece na empresa, dizer eu não sabia é no mínimo, assinar a própria sentença de incapacidade e incompetência, passível de demissão por justa causa. Quanto aos demais, de outras bandeiras, o mesmo procedimento tem e DEVE ocorrer. Creio que, em se tratando do dinheiro público, precisamos de mais respeito e satisfação. É uma pena que, quem paga IMPOSTOS junto comigo, em sua maioria, carece da compreensão da importância, do seu papel enquanto cidadão. E deixando ser desrespeitado, maltratado, carecendo do necessário básico para a sobrevivência e ainda assim, aceitando, apoiando e idolatrando tais líderes políticos.Isso é baixa autoestima, comodismo, falta de amor próprio e da consciência dos seus próprios direitos.Lamentável!
Fazendo uma salada de fruta com a música de Lulu Santos, afirmo:
Ainda leva uma cara
Pra gente poder dar risada ( de satisfação e não de acomodação, do tipo ..é assim mesmo, nunca muda! )
Assim caminha a humanidade ( O Brasil)
Com passos de formiga
E sem vontade...

Iracema Correia


terça-feira, 1 de dezembro de 2015

EXPECTATIVAS QUE MACHUCAM




Existem diversas formas de se decepcionar na vida.
Uma amizade perdida. A confiança quebrada. Um amor mal resolvido. O abandono de um filho. Uma demissão sem aviso prévio. Uma agressão física ou verbal de alguém que você considerava especial.
Não importa qual seja a sua decepção, ela sempre terá como pano de fundo as expectativas criadas em relação a algo ou alguém. Fato.
Temos a péssima mania de depositar nossas expectativas em cima de pessoas que, em alguns casos (muitos deles), não poderão supri-las. Às vezes porque simplesmente não desejam satisfaze-las. Outras, talvez, porque nem ao menos sabiam que elas existiam.
Mas tenho que dizer uma coisa (e repito isso para mim mesma todos os dias), ninguém é obrigado a adivinhar o que esperamos dela ou, ainda mais importante, não há como exigir de alguém um comportamento que ele não está disposto a ter. Cada um oferece aquilo que tem e aquilo que pode. Cabe a você perceber se pode conviver com isso ou não. E não, simplesmente deixe-o ir. Não se maltrate dessa maneira. Você não é obrigada a viver uma vida inteira de decepções. Não mesmo. O outro também não deve carregar esse tipo de peso em suas costas. A felicidade deve estar em você, não no outro. Nunca no outro. Lembre-se sempre disso.
Já parou para pensar em quantas vezes você ficou criando expectativas com relação à atitude de alguém? Nós criamos em nossas mentes fantasiosas a imagem de uma pessoa perfeita (dentro do que acreditamos ser a perfeição) e esperamos que ela o seja, milagrosamente. Isso não é só cruel com a gente, mas com quem recebe esse turbilhão de expectativas também.
O sucesso de qualquer relacionamento é, além do amor e respeito um pelo outro, criar o hábito de não criar expectativas desnecessárias ou, pelo menos, conversar sobre elas para que haja um acordo mútuo.
Criar expectativas faz com que nosso sofrimento seja constante. Primeiro porque ficamos ansiosos, esperando que determinada pessoa aja de acordo com o que planejamos. Depois porque, se isso não ocorre, remoemos por dias a fio a falta de sensibilidade do ser em questão.
Deixe a vida ser um pouco mais leve e seja surpreendida ao invés de decepcionada.
É mil vezes melhor.

Fonte: http://thesecret.tv.br/2015/11/expectativas-que-machucam/

Quando me amei – Carlos Drummond de Andrade




"Quando me amei de verdade, compreendi que em qualquer circunstância, eu estava no lugar certo, na hora certa, no momento exato. E, então, pude relaxar. Hoje sei que isso tem nome… autoestima.
Quando me amei de verdade, pude perceber que a minha angústia, meu sofrimento emocional, não passa de um sinal de que estou indo contra as minhas verdades. Hoje sei que isso é… autenticidade.
Quando me amei de verdade, parei de desejar que a minha vida fosse diferente e comecei a ver que tudo o que acontece contribui para o meu crescimento. Hoje chamo isso de… amadurecimento.
Quando me amei de verdade, comecei a perceber como é ofensivo tentar forçar alguma situação ou alguém apenas para realizar aquilo que desejo, mesmo sabendo que não é o momento ou a pessoa não está preparada, inclusive eu mesmo. Hoje sei que o nome disso é… respeito.
Quando me amei de verdade, comecei a me livrar de tudo que não fosse saudável… pessoas, tarefas, crenças, tudo e qualquer coisa que me deixasse para baixo. De início, minha razão chamou essa atitude de egoísmo. Hoje sei que se chama… amor -próprio.
Quando me amei de verdade, deixei de temer meu tempo livre e desisti de fazer grandes planos, abandonei os projetos megalômanos de futuro. Hoje faço o que acho certo, o que gosto, quando quero e no meu próprio ritmo. Hoje sei que isso é… simplicidade.
Quando me amei de verdade, desisti de querer ter sempre razão e, com isso, errei muito menos vezes. Hoje descobri a… humildade.
Quando me amei de verdade, desisti de ficar revivendo o passado e de me preocupar muito com o futuro. Agora, me mantenho no presente, que é onde a vida acontece. Hoje vivo um dia de cada vez. Isso é… plenitude.
Quando me amei de verdade, percebi que a minha mente pode me atormentar e me decepcionar. Mas quando eu a coloco a serviço do meu coração, ela se torna uma grande e valiosa aliada. Tudo isso é…. saber viver!
A cada dia que vivo, mais me convenço de que o desperdício da vida está no amor que não damos, nas forças que não usamos, na prudência egoísta que nada arrisca, e que, esquivando-se do sofrimento, perdemos também a felicidade.”


Carlos Drummond de Andrade