s√°bado, 29 de agosto de 2015

Viajando com a MPB



 No quesito da vida amorosa, “quem sabe eu ainda sou uma garotinha”
‘Eu sou o poeta (poetisa) e n√£o aprendi a amar’
“Bobeira √© n√£o viver a realidade”, que no meu mais novo olhar √© se entregar o m√≠nimo poss√≠vel e quem sabe nem mesmo amar.
   O problema √© quando amamos demais, a balan√ßa pesa para o lado do outro que de forma franca nos diz: “Tudo que quer de mim, expectativas irreais, Tudo o que quer me d√° √© demais √© pesado.” E desta forma “h√° um desencontro, veja por este ponto h√° tantas pessoas especiais.”
E desta forma “Levo a minha vida assim.
Espero a hora certa de me divertir
Levo a minha vida assim
Não olho só pra quem quiser saber de mim
Me movo para longe de quem n√£o v√™ nada al√©m de si”.
Temos que escolher ent√£o com quem queremos nos identificar pois, “Eu quero andar por onde se tenha o sentido o puro sentido.
√Č cansativo, triste ouvirmos “N√£o imagine que te quero mal, apenas n√£o te quero mais.
N√£o vou dizer que foi ruim tamb√©m n√£o foi t√£o bom assim.” Isto mexe com a autoestima de uma pessoa que n√£o est√° preparada para as negativas da vida. Por isto vemos tantas doa√ß√Ķes e tantas depend√™ncias, extremas, pessoas que amam demais exacerbadamente, esquecendo muitas vezes de se amar. Esquecem que “Estamos s√≥s e nenhum de n√≥s sabe onde vai parar” e que “A d√ļvida √© o pre√ßo da pureza e √© in√ļtil ter certeza.”
 Que digamos ao outro ou outra “Eu estava em paz quando voc√™ chegou.” Mas que continuemos com a nossa paz, pois esta coisa de “ carne e unha, alma g√™mea”, as vezes pode ser confuso e perdermos a nossa pr√≥pria identidade. √Č bom ir devagar, pois “ se a gente n√£o exagerar a dose” ‘talvez poderemos viver um amor Grand’ hotel.’

N√£o deixemos que ‘o nosso amor se transforme em bom dia”, afinal o segredo da felicidade √© ser feliz mesmo estando s√≥. E se de repente reencontrarmos quem um dia nos foi especial, que possamos ouvir dele:

 “Muito prazer em rev√™-la, voc√™ est√° bonita
Muito elegante, mais jovem, t√£o cheia de vida
Eu ainda falo de flores e declamo seu nome
Mesmo os meus dedos me traem, discam o seu telefone

√Č minha cara, eu mudei, minha cara
Mas por dentro eu n√£o mudo
O sentimento não para, a doença não sara
Seu amor ainda é tudo, tudo

Daquele momento até hoje esperei você
Daquele maldito momento até hoje, só você
Eu sei que o culpado de não ter você sou eu
E esse medo terr√≠vel de amar outra vez √© meu.”

Boas audi√ß√Ķes! Aproveitem a nossa MPB para sonhar, amar, curtir e se divertir!N√≥s podemos! A MPB √© maravilhosa!
Obrigada por lerem.
Iracema Correia



Sinta-se livre para entender!


sexta-feira, 28 de agosto de 2015

Vivendo em doses homeop√°ticas.





De gota em gota o balde enche.
A paciência é a mãe de todas as virtudes.
Devagar e sempre.
De gr√£o em gr√£o a galinha enche o papo.


E por ai se v√£o tantos dizeres da sabedoria popular com rela√ß√£o √† import√Ęncia de saber viver um dia de cada vez. Vinha pensando hoje enquanto dirigia, muito pensativa porque pela terceira vez eu estava tentando resolver uma situa√ß√£o, que j√° deveria ter sido resolvida e mais uma vez algo ficou pendente. Voltei e aproveitei o tempo que havia sobrado para resolver outra coisa e em seguida ir a uma consulta que se o problema tivesse sido resolvido, certamente n√£o teria dado tempo para ir. Ent√£o os meus miolos come√ßaram a se conectar, viajando em pensamentos e suposi√ß√Ķes. Porque ser√° que certas coisas n√£o acontecem quando queremos? Ser√° que h√° algum plano do destino ou divino para nos ensinar uma li√ß√£o? Curiosamente, fiquei admirada comigo, pois, a Senhorita Iracema Correia Ansiedade “Pr√©-ocupa√ß√£o” da Silva Xavier Sorrisal Colesterol, apesar de n√£o ter resolvido o problema, n√£o se estressou e deixou o mesmo para o dia que fora agendado pela “en√©sima” quarta vez. Ent√£o me lembrei de quando o meu carro foi guinchado. Senti-me nua, nova na cidade, n√£o havia percebido que naquele local n√£o podia estacionar ( hoje j√° pode, d√£) e quando voltei com a minha pequena, cad√™ o carro? Em plena sexta feira aproximadamente 17 horas. O DETRAN fechado j e eu n√£o sabia onde era o DETRAN. Que dia estressante meu Deus! Mas o vigilante me disse uma coisa que nunca esqueci, depois que eu expliquei a situa√ß√£o para ele que iria pagar tr√™s di√°rias devido ao final de semana. Como iria me virar? Enfim, resumindo ele me disse: “A senhora j√° parou para pensar que talvez este fato aconteceu para a senhora ser poupada de algo pior? J√° pensou que poderia estar com o carro e acontecer um acidente? Pense que talvez isso o que aconteceu n√£o tenha sido nada em compara√ß√£o com o que poderia acontecer. Pense assim senhora. E descanse o final de semana. Tenha um final de semana aben√ßoado.” Voltei para casa refletindo nas palavras dele, com a minha pequena.
    Seria assim um convite ao comodismo, ao vamos empurrando enquanto der? Ser complacente consigo mesmo? Creio que n√£o. Mas sim uma reflex√£o de que temos limita√ß√Ķes. E por vezes esquecemos-nos disto. Eu me esque√ßo disto. Queremos abarcar o mundo com as pernas e acabamos n√£o ficando com nada.
    Lembro-me da mitologia grega e da hist√≥ria de Midas e agora a m√ļsica do Guilherme Arantes “..tudo que ela toca vira ouro.” Exemplo de perfei√ß√£o, perfeccionismo not√°vel, produ√ß√£o acima da m√©dia. Os Midas da vida que conseguem trabalhar, produzir, ser perfeito, por√©m n√£o conseguem ter contato real, verdadeiro com ningu√©m, pois tudo que toca vira ouro.
    A sociedade e esta economia capitalista de consumo imediato onde tudo √© na base da pressa, nos diz que precisamos cumprir prazos, metas, ser pontuais, produ√ß√£o, produ√ß√£o...enfim, meu corpo hoje respondeu por tudo que fiz com ele. A forma como o maltratei quando durante toda a minha vida fui obrigada e por osmose, me obriguei a cobrar de mim mesma perfei√ß√£o. Desde a escola at√© a Faculdade sempre me esforcei em ter as melhores notas, os melhores resultados. Procurei ser PERFEITA em tudo. Perfeita esposa, filha, aluna, profissional, irm√£, m√£e. Ai ai, perfeita nada! Ningu√©m √© perfeito! Hoje amargas decep√ß√Ķes em quase todos estes setores da minha vida. Isto reflete em doen√ßas psicossom√°ticas que adquiri. N√£o √© um convite ao desleixo, mas sim √† reflex√£o de que somos o que podemos ser. De que n√£o temos o dom√≠nio das coisas na vida. Que se n√£o deu hoje, paci√™ncia, tenta amanh√£. Fazer o melhor, mas NUNCA, nunca mesmo se sacrificar. Nem Deus quer que fa√ßamos sacrif√≠cios para Ele.
    A vida √© um constante aprendizado. Aprendi e aprendo todos os dias com coisas pequenas que viver um dia de cada vez, fazendo as coisas aos poucos √© muito mais saud√°vel. Para que a casa perfeitamente limpa, o almo√ßo perfeitamente pronto, filhos impecavelmente arrumados, por√©m estressados com os gritos e a ansiedade de se cumprir hor√°rios, se n√£o tiveram nem sequer tempo de conversarem? Lembro-me do filme Mulheres Perfeitas, muito bom, hil√°rio e com uma mensagem bem legal. N√£o existiam mulheres perfeitas, n√£o vou dizer o que eram, pois quem n√£o assistiu poder√° perder o sabor da expectativa. Enfim sem mais delongas, pois em doses homeop√°ticas, quase escrevi um livro agora. Vamos viver um dia de cada vez. “Portanto, n√£o andeis ansiosos pelo dia de amanh√£, pois o amanh√£ se preocupar√° consigo mesmo. Basta a cada dia o seu pr√≥prio mal.”
Mateus 6:34

“Quem por estar ansioso pode acrescentar um s√≥ c√īvado √° dura√ß√£o da sua vida?” Mateus 6:27

Que Deus dê a todos paciência e tranquilidade!
Aos pouquinhos caminhamos e chegamos l√°.
Gratid√£o por lerem.

Iracema Correia

quinta-feira, 27 de agosto de 2015

Dentro do caos, eu vejo a saída.





Fazer faxina em uma casa para mim √© terrivelmente desgastante. √Č mais interessante e intelig√≠vel, fazer manuten√ß√Ķes constantes. Reservar um dia para por tudo em ordem, cria um caos total. Sem d√ļvida, muitas pessoas preferem que assim seja. A sensa√ß√£o maravilhosa que sentimos depois ao vermos um ambiente limpo e arejado, n√£o tem igual. Inicialmente retiramos caixas, pap√©is velhos, objetos guardados h√° tanto tempo que nem sequer utilizamos, apesar de que, podemos reciclar e customizar muitas coisas. Nossa vida tem muito da hist√≥ria da F√™nix. Das cinzas ressurgirmos. A quest√£o √© que muitas vezes por medo, quem sabe, deixamos de fazer uma faxina em nossa vida. D√° uma geral. Observar o que est√° funcionando ou n√£o. Encarar os medos de frente. Medo de encarar a conta banc√°ria, as d√≠vidas? Com medo ou sem medo elas continuar√£o l√°. √Č bem melhor sabermos em que terreno estamos pisando. Assim, teremos seguran√ßa ao caminhar. Encarar as d√≠vidas, fazer uma planilha, de repente descobre-se que elas n√£o s√£o t√£o grandes assim,s√≥ estavam desarrumadas, sentiremos um medo, ansiedade, mas √© s√≥ por um instante, depois organiza , p√Ķe para fora tudo aquilo que necessariamente n√£o acrescenta em nada na nossa vida, que na realidade s√≥ nos faz gastar dinheiro em v√£o. Quando fazemos esta planilha, descobrimos que est√°vamos por cima de um amontoado de coisas que s√≥ faziam nos endividar. Partimos ent√£o para a limpeza, e a paz mental reina. Para isto acontecer √© necess√°rio ENCARAR O PROBLEMA. N√£o ter medo do caos.
    Por vezes na vida, ficamos com medo de desarrumar a nossa aparente normalidade. Est√° tudo t√£o certinho, t√£o ajeitado, no seu lugar. Um aparente ambiente de paz. Talvez um turbilh√£o de coisas esteja acontecendo por debaixo desta normalidade e estejamos tentando tapar o sol com a peneira, por medo de encarar os fatos. Isto vale para tudo na vida! Medo de fazer um exame m√©dico para n√£o encarar o resultado. Seja l√° qual for o resultado, ele esta l√°, com medo ou sem medo, se for algo grave, vai “explodir”. O que seria este caos? O enfrentamento do problema, a real situa√ß√£o, as adapta√ß√Ķes necess√°rias e o processo de cura, se ela for poss√≠vel. Se ainda n√£o for (mas sempre h√° a esperan√ßa), viver um dia de cada vez.
    A vida tem me ensinado que viver compartilhando experi√™ncias, id√©ias, enfim, trocando conhecimentos, √© a melhor forma de usufru√≠-la. Quantas pessoas passam por situa√ß√Ķes na vida e de repente p√Ķe l√° na Internet o tema e descobre que um monte de pessoas tamb√©m passa por situa√ß√£o similar? Isto acontece porque esta gente do bem aprendeu a compartilhar. A mostrar para o mundo que em meio ao caos, encontramos a sa√≠da ou at√© a melhor forma de conduzir tudo. O mundo, a internet, precisa de mais pessoas assim. Ainda existe uma cultura de omiss√£o muito grande para compartilhar experi√™ncias. N√£o digo transformar uma rede social em espec√≠fico para expor seus problemas pessoais de forma vulgar. Mas h√° pessoas sim que fazem um di√°rio de como lidam com certas situa√ß√Ķes diariamente. M√£es solteiras, pais solteiros, casais se separando ou se reapaixonado, pais relatando dificuldades em se relacionar com seus filhos adolescentes, pessoas lutando contra v√≠cios, contra a obesidade, entre tantos.
    Viver para mim ainda √© compartilhar. Acreditar que tudo tem solu√ß√£o por mais dif√≠cil que pare√ßa, por mais bagun√ßa que tenhamos que fazer. Se n√£o est√° bom, vamos encarar o problema de frente. Encarar a bagun√ßa por um per√≠odo e se regozijar com a paz, a felicidade e a harmonia alcan√ßada.

Boas reflex√Ķes!
Excelentes faxinas!
Descubram a felicidade dentro do caos.
Iracema Correia

    

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Deixando de ser vítima.






    Sempre ouvi, vindo de amigos e conhecidos o coment√°rio: “Voc√™ √© forte!”. E por sua vez, sempre me incomodei Afinal, “por mais forte que seja uma ‘mulher” sempre chega o momento de cair diante de um sentimento..’ Utilizando a m√ļsica do cantor Edson Gomes e fazendo uma ousada adapta√ß√£o, quero dizer que a for√ßa que emana dentro de n√≥s, tamb√©m √© suscet√≠vel aos sentimentos. Cada pessoa, diante de situa√ß√Ķes tr√°gicas da vida reage de formas diversas. Isto n√£o as torna mais fracas ou mais fortes. As circunst√Ęncias da vida nos ensinam a sermos fortes. Quando queremos algo, lutamos por isto at√© o fim.
   Segundo certo livro que li, um jovem rapaz perguntou ao fil√≥sofo S√≥crates, como ele poderia obter sabedoria. Dizem que S√≥crates mergulhou a cabe√ßa deste jovem e segurou por um tempo enquanto o rapaz se batia. Depois, ao retirar a cabe√ßa do rapaz  imergida na √°gua, S√≥crates perguntou-o: Quando voc√™ estava l√° dentro o que mais desejou? E o rapaz respondeu: "Ar, s√≥ desejei ar para respirar." Quando queremos algo, de verdade, procuramos, encontramos uma for√ßa estranha.
    Ser forte √© deixar de fazer o papel de v√≠tima e se tornar senhor do nosso destino.
    Tive a oportunidade de observar como as pessoas gostam de se manter no papel de v√≠tima, como se sentissem o prazer de lamentar as suas tristezas ao ponto de perceber que havia uma esp√©cie de competi√ß√£o entre quem era o mais miser√°vel. O SOFREDOR.
    Participei de um grupo de apoio na rede social, de pessoas com doen√ßas cr√īnicas e auto-imunes. Por v√°rias vezes, sugeri m√©todos de tratamentos naturais a fim de tentar ajudar os que comigo padeciam das mesmas dores. Mas toda vez que publicava algo, uma forma natural para aliviar dores, etc. a minha publica√ß√£o era reprovada pelos administradores. N√£o por motivos de desrespeito ou algo parecido. Mas, segundo um deles, para n√£o estimular as pessoas a fazerem um tratamento natural alternativo, sem base cient√≠fica alguma, s√≥ para animar as pessoas e deix√°-las mais desanimadas. Percebi tamb√©m, que havia muito incentivo aos rem√©dios, cita√ß√Ķes de marcas e quando o assunto era Vitamina D, suplementos ou algo parecido, para refor√ßar o tratamento natural, era totalmente desencorajado. Logo parei e pensei: N√£o √© isto que quero para mim. S√≥ lamentar? Quero a cura! Ou algo mais pr√≥ximo disto. Sai do grupo e procuro hoje tudo que possa me servir como tratamento alternativo. Continuo INFELIZMENTE, AINDA, dependente de drogas l√≠citas, por√©m, na busca incessante da cura, ainda que tardia. Comecei a participar ent√£o de grupos que acreditam em tratamentos naturais e j√° estou me sentindo bem melhor.
    Descobri assim que sou forte, por op√ß√£o. E ser forte √© um poder que emana de dentro de n√≥s de acordo com as circunst√Ęncias em que vivemos. Onde ser forte n√£o √© mais a alternativa e sim, a √ļnica sa√≠da. Ser dependente de algo ou algu√©m nos enfraquece. A independ√™ncia realmente √© algo bom, maravilhoso. N√£o significa que sejamos desprovidos de carinho ou n√£o precisemos deles. Mas que podemos sobreviver sim, ainda que como diz o Salmo b√≠blico: ‘ o nosso pr√≥prio pai e a nossa pr√≥pria m√£e nos abandonasse, o pr√≥prio Deus nos acolheria.’ E quem nunca percebeu o poder que aparece do nada diante de situa√ß√Ķes adversas? S√≥ os fortes entendem. O felino gatinho √© dengoso, ronrona em busca de dengo, se esfrega no dono atr√°s da comida, deita na cama dele com toda pregui√ßa, mas engana-se quem acha que o bichano apesar de dengoso seja dependente. Deixe faltar comida para ele que logo o mesmo encontrar√° outro lar.
    Hoje, n√£o mais fico chateada quando me dizem que sou forte. Sou mesmo, como uma felina, dengosa, mas independente o suficiente para lutar pela sobreviv√™ncia com dec√™ncia e orgulho.


Prosperidade a todos!
Gratid√£o por lerem!

Iracema Correia

segunda-feira, 24 de agosto de 2015

O que a carência nos faz.



    Presentear a quem n√£o precisa √© sinal de generosidade. Dar a quem precisa √© caridade. A B√≠blia diz que quando damos com a m√£o direita, fazer de modo que a esquerda n√£o veja. Uma forma de chamar a nossa aten√ß√£o quanto ao perigo de fazer o bem e contar vantagem. Afinal, quem n√£o vive para servir,n√£o serve para viver ( frase de caneca). 
    O amor ao pr√≥ximo, o senso de caridade crist√£, a miseric√≥rdia ou qualquer outro princ√≠pio norteiam esta pr√°tica. Algumas empresas com isto, conseguem isen√ß√£o de impostos, alguns artistas, notoriedade.H√° pessoas que se deixam explorar e outras que se aproveitam da boa vontade. O que leva estas pessoas a se permitir serem exploradas? Em alguns casos, o desejo oculto de ser amado. Isto torna-se perigoso quando o explorador √© um vampiro emocional. Aquela pessoa que sabe com quem est√° lidando. Sabe que a pessoa, muitas vezes uma mulher apaixonada, carente, far√° de tudo para n√£o perder o afago, nem que seja tempor√°rio do outro ou vice versa.S√£o chamados de vampiros emocionais, qualquer pessoa que se aproveita da car√™ncia, bondade, inoc√™ncia de algu√©m para obter qualquer tipo de privil√©gio para si. √Č comum o ser explorado n√£o perceber e outros de fora enxergar e at√© mesmo abrir os olhos. Por√©m, em muitos casos, a pessoa est√° t√£o envolvida na situa√ß√£o por uma ilus√£o, desejo ou falta de algo, que se permite deixar "enganar" por estes exploradores. Pode ser um homem ou mulher que explora a car√™ncia do outro em troca da satisfa√ß√£o sexual, uma pessoa que finge ser afetuoso com algu√©m e em troca obt√©m recursos financeiros, etc. S√£o tantos exemplos de vampirismo emocionais! Precisamos talvez analisar o que est√° sendo bom para n√≥s. Pensar se aquela situa√ß√£o nos traz benef√≠cio, se vale a pena, se estamos felizes ou s√≥ nos enganando. E por muitas vezes, amargarmos o choro, a solid√£o de uma rela√ß√£o artificial, onde s√≥ existe na cabe√ßa do explorado. mais uma vez temos que nos amar. Cultivar a autoestima , amor pr√≥prio e confian√ßa. Sabendo que tudo o que √© bom, acontece naturalmente, sem sofrimentos, sem barreiras, flui. E na vida existem in√ļmeras possibilidades. √Č s√≥ abrir os olhos que elas aparecer√£o. 

Prosperidade à todos!
Iracema Correia
    

domingo, 23 de agosto de 2015

MITOS E VERDADES SOBRE DRENAGEM LINF√ĀTICA Descubra se a t√©cnica emagrece, contraindica√ß√Ķes e mais




A drenagem linfática pode ser uma grande aliada para as mulheres. A massagem terapêutica atua na prevenção de celulite e ajuda a limpar toxinas que formam os nódulos de gordura. Isso elimina o inchaço do corpo e aumenta a oxigenação da pele em curto prazo. O método ainda deixa a pele com uma aparência mais saudável, além de proporcionar uma melhor circulação sanguínea.
As mulheres costumam passar por quedas das taxas hormonais em v√°rios momentos da vida, como menstrua√ß√£oTPMgesta√ß√£o e menopausa. Trabalhando a circula√ß√£o sangu√≠nea por meio da drenagem linf√°tica, √© poss√≠vel normalizar um pouco melhor essas taxas hormonais, melhorando o bem-estar e ganhando mais sa√ļde.

COMO FUNCIONA A MASSAGEM

O sistema linf√°tico funciona paralelamente ao circulat√≥rio. √Č formado por uma grande rede de vasos, distribu√≠dos por todo o corpo, coletando os l√≠quidos dispersos, filtrando e direcionando-os para circula√ß√£o sangu√≠nea. Desta maneira, a drenagem atua com manobras que levam estes l√≠quidos para as estruturas respons√°veis em colet√°-los.
A massagem √© realizada atrav√©s de press√Ķes leves. √Č importante frisar que o m√©todo n√£o √© doloroso, tampouco deixa hematomas (roxos na pele). As press√Ķes feitas na pele direcionam os l√≠quidos do corpo para as estruturas do sistema linf√°tico, onde ser√° eliminado atrav√©s da urina.

DRENAGEM LINF√ĀTICA NA GESTA√á√ÉO

A drenagem linf√°tica costuma ser muito indicada durante a gravidez, j√° que a reten√ß√£o de l√≠quidos √© uma das caracter√≠sticas mais marcantes nesta fase da vida da mulher. Isso acontece por que para dar conta do novo ser que est√° sendo gerado, o corpo da mam√£e aumenta o volume sangu√≠neo em quase 50%, fazendo com que os l√≠quidos dos capilares transbordem, causando o incha√ßo. Quando este l√≠quido extravasa para o corpo em grande quantidade, o organismo sozinho n√£o d√° conta de coletar e eliminar pela urina. Isso leva a um ac√ļmulo de componentes sujos perdidos no corpo, o que causa intoxica√ß√£o. Esta intoxica√ß√£o √© percebida pelo nosso organismo, e gera excessos de respostas nervosas, deixando-nos em estado de irrita√ß√£o, nervosos.
Na gravidez, a drenagem somente pode ser realizada por um profissional especializado em gestantes, pois a massagem requer alguns cuidados fundamentais e algumas adapta√ß√Ķes para o beneficio da m√£e. A gr√°vida precisa, inclusive, de uma prescri√ß√£o m√©dica para o in√≠cio do tratamento.

DIMINUIÇÃO DOS SINTOMAS NA TPM

A tens√£o pr√©-menstrual √© um conjunto de sintomas que se inicia at√© quinze dias antes da menstrua√ß√£o, e cessa no in√≠cio do fluxo menstrual. Atualmente, muitos estudos est√£o comprovando a exist√™ncia dos sintomas desta s√≠ndrome durante toda a menstrua√ß√£o e um pouco ap√≥s o t√©rmino tamb√©m. Isso se d√° entre outros motivos pela mudan√ßa de h√°bitos sociais, estresse e m√° alimenta√ß√£o, reduzindo a resposta nervosa para inibir a produ√ß√£o dos horm√īnios no momento certo.
Os sintomas da TPM s√£o: irritabilidade, altera√ß√Ķes de humor, ins√īnia, vontade excessiva de comer doce, ansiedade, comportamento depressivo, impulsividade, confus√£o mental, fadiga, incha√ßos pelo corpo, dor lombar, aumento de peso tempor√°rio e enxaqueca. Tudo isso acontece pelo desequil√≠brio entre estr√≥geno e progesterona, altera√ß√Ķes na atividade de endorfina e serotonina (horm√īnios da felicidade e do prazer), mais o excesso de prolactina e defici√™ncia das vitaminas B6 e vitamina E.
Todas estas intercorr√™ncias s√£o tratadas atrav√©s da drenagem linf√°tica. O horm√īnio progesterona, presente em grande quantidade na TPM, causa flacidez na parede venosa, ou seja, os vasos ficam mais grossos e j√° n√£o podem contrair como antes para levar o sangue para o resto do corpo. Consequentemente, causam preju√≠zo da circula√ß√£o sangu√≠nea. Isso dificulta a chegada de oxig√™nio por todo corpo, juntamente com os horm√īnios de inibi√ß√£o da TPM. Os sintomas ent√£o ficam mais intensos.
Sendo assim, a drenagem linfática atua numa melhor resposta do sistema circulatório, melhorando a atuação do organismo para inibição dos sintomas da TPM, além de eliminar as toxinas que causam irritação e melhorar a retenção hídrica que causa o inchaço.

DRENAGEM ELIMINA CELULITE?

Sim, desde que o problema esteja no in√≠cio. Mas com certeza a drenagem previne maiores forma√ß√Ķes. Qualquer que seja a causa da celulite - m√° alimenta√ß√£o, sedentarismo, cigarro ou altera√ß√Ķes hormonais - o problema come√ßa com um processo de reten√ß√£o de l√≠quido que levar√° √° m√° oxigena√ß√£o do tecido, endurecendo at√© formar n√≥dulos. A drenagem eliminar√° o l√≠quido excessivo e quebrar√° o ciclo vicioso da celulite.

DRENAGEM LINF√ĀTICA E EMAGRECIMENTO

A drenagem diminui a reten√ß√£o de l√≠quidos em √°reas do corpo que est√£o propensas ao ac√ļmulo de gordura, como abdome e coxas. Tamb√©m acelera o metabolismo, favorecendo a queima dos estoques de gordura.

A MASSAGEM FUNCIONA SOZINHA?

Se o intuito da drenagem for terapêutico, ou seja, alguma doença, alteração do corpo ou cirurgia onde o médico tenha indicado drenagem, a resposta é sim, a drenagem age por si só. No entanto, se o intuito é modelar o corpo, é necessário ir além da drenagem e adotar uma mudança de hábitos alimentares. Algumas atividades físicas também podem ser associadas à massagem. Para saber o que é mais adequado para você, é preciso fazer uma avaliação com um profissional especializado em drenagem. Cabe ao especialista orientar qual alimentação ou atividades físicas são mais adequadas, assim como se existe alguma alteração no seu organismo que pode estar prejudicando a perda de peso. Junto com a drenagem linfática pode-se ainda associar o uso de aparelhos e cosméticos que auxiliam na redução de medidas.

RUMO AO CORPO IDEAL

A ingest√£o de ch√° verde potencializa internamente o efeito da drenagem linf√°tica. A bebida ativa o sistema imunol√≥gico, atuando na ativa√ß√£o do metabolismo e tamb√©m na elimina√ß√£o de toxinas e incha√ßo. Segundo estudos feitos por acad√™micos e universidades de todo o mundo, como a University of New Jersey, tomar ch√° verde diariamente ajuda a diminuir a incid√™ncia de alguns tipos de doen√ßas oncol√≥gicas (como nos pulm√Ķes, mama, p√Ęncreas ou c√≥lon) ou a perder peso.
O chá verde age ao nível termogênico, isto é, aumenta o nível de trabalho do metabolismo. Em termos práticos, estimula a atividade metabólica ao incentivar o organismo a despender mais energia, e como não é um neurotransmissor ou supressor de apetite, não causa qualquer tipo de alteração. Apenas deve ser tomado com alguma atenção no caso das pessoas que sofrem de problemas de pressão arterial alta, uma vez que o chá verde para emagrecer pode aumentá-la ainda mais.
Vale lembrar que o chá verde é mais eficiente que o chá branco e o chá vermelho, diferente do que muitos dizem. O chá verde tem todas as propriedades dos outros dois, e sua diferenciação está no modo de preparo. Onde o chá verde assim como os outros são feitos a partir da planta Camellia sinensis, no entanto passam por uma infusão, onde as ervas sofrem pouca oxidação, o que não acontece com as folhas dos outros chás. Isso atribui ao chá verde excelentes benefícios que foram citados anteriormente.
Quanto maior a quantidade de água ingerida, mais veloz é a liberação das toxinas do corpo e a eliminação do inchaço. Por isso deve-se ingerir, no mínimo, cerca de 1,5 litros de água por dia.
Para obter bons resultados com a drenagem s√£o necess√°rias no m√≠nimo dez sess√Ķes, feitas de uma a tr√™s vezes por semana, sendo uma semana seguida da outra. √Č fundamental a realiza√ß√£o de atividades f√≠sicas - de prefer√™ncia aer√≥bicas - como caminhada, corrida, nata√ß√£o e bicicleta. Tamb√©m devemos mudar os h√°bitos alimentares, comendo menos e mais vezes, para aumentar o metabolismo e queimar maior caloria.

PRECAU√á√ēES

A drenagem linf√°tica dever√° ser realizada por um profissional qualificado, fisioterapeuta, esteticista ou ainda um terapeuta apto para a massagem. Segundo estudos cient√≠ficos da Universidade de Fortaleza, a drenagem linf√°tica manual √© incomparavelmente mais eficiente que a drenagem feita por aparelhos mec√Ęnicos.
As manobras da drenagem devem ser realizadas em toques suaves para que seja possível alcançar os líquidos perdidos no corpo. Quando é feita muita pressão ocorre a obstrução dos vasos desses líquidos, e não se obtém resultado nenhum. Portanto, a dica é fugir das drenagens fortes e doloridas.


A massagem deve ser leve e relaxante, mas tem contraindica√ß√Ķes, identificadas por meio de uma avalia√ß√£o profissional. √Č o especialista que dir√° se voc√™ pode ou n√£o se submeter ao tratamento. N√£o √© necess√°ria prescri√ß√£o m√©dica, exceto nos casos de drenagem para gr√°vidas, p√≥s-cir√ļrgico ou mastectomia, que s√£o casos espec√≠ficos, indicados somente para fisioterapeutas aplicarem o m√©todo.

Fonte:http://www.personare.com.br/mitos-e-verdades-sobre-drenagem-linfatica-m2087

s√°bado, 22 de agosto de 2015

Lidando com os problemas e buscando a paz.






A alegria não deve ser uma estação de chegada, mas sim, um modo de se viajar.
Cultivar a paz, a alegria em ambientes in√≥spitos √© uma arte. Mas como toda arte √© necess√°ria dedica√ß√£o, desenvolver habilidades necess√°rias para pratic√°-la cada dia melhor. √Č uma capacidade que todos temos. O que faz muitos conseguirem reagir razoavelmente bem diante dos obst√°culos enquanto que outros surtam? A forma como enxergamos o problema.

1.    Existem coisas que n√£o dependem de n√≥s para ter a solu√ß√£o. Ora, se n√£o depende de mim, resta aguardar o pr√≥prio tempo e condi√ß√Ķes favor√°veis. Enquanto isto fa√ßamos o nosso melhor a cada dia, estabelecendo metas de forma tranq√ľila e serena, sem “pr√©- ocupa√ß√Ķes” desnecess√°rias que s√≥ ir√£o nos adoecer.
2.    Um sonho que n√£o se concretizou ainda: O da casa pr√≥pria, a exemplo. Ter uma casa pr√≥pria √© bom, maravilhoso! Enquanto isto n√£o se concretiza, pensemos que podemos escolher onde morar, dentro das nossas possibilidades, alugando uma casa, apartamento, ou seja, l√° o que for e que se enfrentarmos problemas l√°, podemos nos mudar. Estamos pagando, afinal queremos tamb√©m ser bem tratados. Somos clientes em um hotel, cinco estrelas ou n√£o, mas somos clientes. Procuremos ser excelentes clientes, de forma que o inquilino pense duas vezes antes de querer nos perder.
3.    A solid√£o, a falta de pessoas confi√°veis. O que queremos ent√£o? Qualitativo ou quantitativo? Eu tenho que me interessar por quem se interessa genuinamente por mim. Ainda que sejam poucos, mas que sejam verdadeiros. Este mund√£o de meu Deus est√° cheio de pessoas. √Č s√≥ se abrir para o mundo sem medo, se precaver por ser observador e cultivar in√ļmeras amizades.
4.    Ser generoso para consigo mesmo √© uma forma de amor pr√≥prio e cultivar a autoestima. Eu preciso ter para mim o suficiente para depois ent√£o, oferecer ao outro.
5.    Estar cercado de pessoas falsas tamb√©m n√£o √© nada f√°cil. Por√©m somos respons√°veis pelo modo como pensamos a respeito do outro. Tanto de forma excessivamente mal como excessivamente bem. Cabe a n√≥s enxergar as coisas claramente. E se caso for ver√≠dico o que pensemos, agradecemos no caso do bem e no caso do mal, entreguemos a Deus. Afinal, Deus est√° em todos n√≥s. Pe√ßamos a Ele que se manifeste naquela pessoa t√£o necessitada, em forma de boas a√ß√Ķes. A medida que olhamos a pessoa com outros olhos, o nosso mundo muda.


Iracema Correia.  

sexta-feira, 21 de agosto de 2015

O fim de um casamento...





Com filhos envolvidos, quando a m√£e fica com os filhos, normalmente o pai costuma se separar tamb√©m da crian√ßa. O contr√°rio tamb√©m acontece, pois para toda regra existe exce√ß√£o. Discuss√Ķes tolas por conta de nada. Troca de ofensas, acusa√ß√Ķes, enfim, nada leva a nada. Nenhum relacionamento acaba de um dia para outro. Quando um n√£o quer dois n√£o brigam. Quando um tamb√©m n√£o quer, dois n√£o fazem as pazes.
    Muitas pessoas t√™m dificuldades de expressar os seus sentimentos e guardam por anos m√°goas, o balde vai enchendo, at√© que a √ļltima gota √© o suficiente para entornar tudo. Outras gritam, avisam tamb√©m por anos. Mas √© comum o outro lado n√£o levar a s√©rio. E de repente, s√£o pegos de surpresas, assustados, sem ch√£o.
    Sempre me perguntei se algu√©m muda com o tempo, se conseguimos mudar uma pessoa. S√≥ se a pr√≥pria pessoa quiser. Por√©m, podemos conduzir as coisas, estabelecendo acordos e metas. N√£o permitindo que certas atitudes do parceiro que prejudiquem a uni√£o, repita-se por tantas vezes. Procurando ser firme. E se a pessoa pede desculpas, mas repetir de novo e de novo e de novo...
    Cabe a cada c√īnjuge decidir se √© capaz de suportar, pois quando casamos, “amigamos”, mesmo sem prometer a l√≠der religioso algum, estabelecemos acordos simb√≥licos, de uni√£o, lealdade e na doen√ßa, na alegria, na pobreza e na riqueza, at√© que a morte nos separe. O que fazer se o casamento mais parece o per√≠odo das vacas magras, dos sete anos de azar? Costumo dizer que a solu√ß√£o do problema est√° no problema. Uma terapia de casal ajudar√° certamente, se ambos quiserem, pois uma andorinha s√≥ n√£o faz ver√£o. Mas e se a excita√ß√£o ( tes√£o), a qu√≠mica,a amizade, o respeito, tiverem acabado? Ser√° que √© f√°cil recuperar? Nunca √©. Mas a vida d√° sinais, para sabermos se estamos no caminho certo. Antes de nos envolver com algu√©m, observemos como esta pessoa se comporta quando n√£o est√° sendo observado. Normalmente, quando n√£o se est√° sendo observado, a pessoa costuma agir naturalmente. Observemos em coisas simples como numa brincadeira em grupo com amigos, como a pessoa se comporta. Se sempre “puxa a sardinha” para o seu lado, se auto elogia o tempo todo. Enfim, algumas observa√ß√Ķes. Como trata seus pais, m√£e, irm√£os. Embora isto n√£o seja f√°cil muitas vezes, pois no caso das mulheres, alguns pais costumam enfeitar qualidades inexistentes na filha. Da mesma forma em alguns casos, o filho √© visto pela m√£e como um eterno beb√™ que nunca cresce. E costuma por “panos quentes” nos defeitos. Mas ningu√©m consegue fingir por tanto tempo.

    O fato √©: Defeitos todos t√™m. Mas o que esperamos de um relacionamento √© o que vai determinar se suportaremos ou n√£o certas atitudes do nosso c√īnjuge. Se caso isso n√£o acontecer, suportar, por exemplo, os maus tratos, v√≠cios que prejudicam a paz e seguran√ßa da fam√≠lia, o descaso para com as obriga√ß√Ķes, cito, cuidar dos filhos, da casa, trabalhar para garantir o sustento (de acordo com os combinados), afinal, cada fam√≠lia √© uma unidade, com leis pr√≥prias. Enfim, e se isto estiver afetando a nossa felicidade e a forma de encararmos o mundo, afetando a nossa sa√ļde... Uma boa medita√ß√£o, ora√ß√£o, reflex√£o, receber conselhos e pautar sobre eles, ajudar√£o bastante. A decis√£o √© individual. Mas que tomemos esta dolorosa e triste decis√£o com paci√™ncia e sabedoria, muita sabedoria, pois precisaremos dela para continuar seguindo em frente, acreditando que o felizes para sempre ainda acontecer√°.

terça-feira, 18 de agosto de 2015

As metas nos ajudam a atingir o objetivo!



Como diz um velho ditado:

“N√£o h√° vento favor√°vel, para quem n√£o sabe para onde vai.”

   Metas,objetivos, miss√Ķes. √Ä medida que o tempo passa podemos nos perder no caminho, ficarmos desorientados, sem dire√ß√£o e at√© mesmo esquecermos o objetivo a seguir.
    Acredito que todos t√™m objetivos. Um caminho a trilhar e um pilar que nos sirva de seguran√ßa para a constru√ß√£o da nossa vida. Se caso n√£o soubermos, o pr√≥prio cora√ß√£o dir√°, os nossos instintos, por onde a nossa motiva√ß√£o caminhar. Depois de identificar este objetivo, √© primordial que tracemos ent√£o o caminho a percorrer, a trilha que se apresenta em forma de m√©todos que utilizaremos para alcan√ßar tais objetivos. Certamente estas metas devem pautar em princ√≠pios, filosofias de vida, t√°ticas, etc. Caso contr√°rio, o caminho pode ficar confuso, cansativo. O “passeio” perder√° o sabor e deixaremos de apreciar a longa paisagem. Assim √© a vida.
     Andar sem rumo, sem base, sem meta, nos torna andarilhos sem destino. Qual objetivo? Sabe-se l√° Deus! Esta coisa do deixa a vida me levar, creio eu que s√≥ funciona na m√ļsica mesmo.Na Lei da Atra√ß√£o, entregamos ao Universo os nossos desejos e, ap√≥s o pedido ser feito aos c√©us, confiamos! Mas, certamente algo fazemos para alcan√ß√°-los. Saber  por exemplo,que trabalho nos faz t√£o bem ao ponto de “ganharmos dinheiro sem precisarmos trabalhar um s√≥ dia.”, identificar as caracter√≠sticas que desejamos em uma pessoa especial para que quando o eleito ou a eleita aparecer, focarmos e dizer: Enfim, era voc√™!”Se caso n√£o preencher os nossos requisitos, recuar o quanto antes ou se envolver o quanto menos que for poss√≠vel. Assim preservamos nosso cora√ß√£o de estar ao lado de quem n√£o tem qualidades admir√°veis por n√≥s. Para mim umas das qualidades que mais admiro em um homem √© a honestidade, car√°ter, coragem, disposi√ß√£o para o trabalho, a intelig√™ncia e sem d√ļvida, uma pessoa que esteja com o cora√ß√£o livre para mim. Desta forma, qualquer pessoa que esteja distante destas caracter√≠sticas, passar√° por mim sem causar impacto. Apenas passar√°.Da mesma forma, por meio destes princ√≠pios tomaremos como base todas as demais decis√Ķes na vida. Sempre de olho no foco, chegaremos l√°.

    

s√°bado, 15 de agosto de 2015

Até quando vale a pena se posicionar? Até quanto a lealdade vai?



   Viver escondido entre as folhas, com roupas camufladas √© a t√©cnica de guerra. Afinal o inimigo se confundir√° e ter√° dificuldade em nos atacar.
    Tenho observado que esta atitude vem sendo mais comum do que nunca. No dia a dia, encontrar pessoas que se posicione de forma neutra, justa, sem medo, tem sido como encontrar um diamante raro. No local de trabalho √© muito comum notar isto. Alguns por desejo de ascens√£o ( seja l√° qual for), evitam tecer qualquer tipo de coment√°rio que venha de encontro com as id√©ias da dire√ß√£o de uma empresa. Sempre vivi isto. Sempre me posicionei, embora nunca tivesse interesse algum em dirigir nada. Apesar de sempre interpretarem ao contr√°rio e v√™em em mim, uma amea√ßa. Sei l√° o porqu√™. Estar na frente de uma empresa que n√£o √© sua √© de uma responsabilidade muito grande. E financeiramente n√£o compensa. Ainda que a mesma seja p√ļblica. O risco de corrup√ß√£o √© muito grande. Conversando com uma estudante universit√°ria, senti a sua angustia por perceber a passividade com a qual os seus colegas aceitam atitudes impostas pelos professores que muitas vezes exageram na autoridade e no poder sobre os estudantes. Dei um conselho para ela que nunca imaginei sair da minha boca: “Se posicione menos, n√£o vale a pena ser o bode expiat√≥rio. Se camufle, seja ego√≠sta e procure o seu melhor.” Penso em quantas pessoas morreram em nome da liberdade de express√£o. Vejo discursos t√£o bonitos, p√īsteres sendo compartilhados aos montes nas redes sociais,cita√ß√Ķes de pessoas famosas do tipo que diz que encontramos inimizades quando nos posicionamos. Pessoas que compartilham talvez nem percebam de fato o que significa isto. As redes sociais possibilitaram a oportunidade para que estas frases se tornassem mais conhecidas. Que bom! Ainda que n√£o sejam das pessoas citadas e nem mesmo compreendidas.
     Entendo que temos que nos amar primeiramente e que √© muito dif√≠cil algu√©m segurar as nossas m√£os quando estamos sendo o alvo de uma persegui√ß√£o. Mais dif√≠cil ainda √© ver pessoas que se dizem amigas, se refreando de falar a verdade diante de situa√ß√Ķes de injusti√ßa. Defendendo uma pessoa que age de forma injusta com um colega, chamando de boa gente, porque esta pessoa lhe favorece. Isto √© prostitui√ß√£o. Corrup√ß√£o. E agora a realidade em que o Brasil vive, est√° ficando bem pior. Nunca vi tanta gente com medo de externar de fato o que sente, mas sim em defender o seu p√£o, ainda que este seja roubado. N√£o acredito em dignidade quando uma pessoa n√£o √© capaz de se posicionar diante de uma injusti√ßa. Fico pasma quando vejo professores concursados recuando de se expor diante de situa√ß√Ķes rid√≠culas de injusti√ßa. Educadores, valha-me Deus! Que pena dos educandos! Ent√£o analiso que tudo isto que vivo √© s√≥ um palco onde as pessoas atuam. Discurso bonitos s√£o s√≥ enche√ß√£o de chouri√ßa!
    Concluo assim que se diante de situa√ß√Ķes dif√≠ceis, voc√™ n√£o tem ningu√©m para segurar a tua m√£o. Se refreie de viver querendo salvar o mundo. Fa√ßa a sua parte e o seu melhor. Pois n√£o conseguimos mudar o mundo. S√≥ mudando antes a n√≥s mesmos. E sendo ego√≠stas sim, vestindo o nosso santo primeiro, para depois vestir o dos outros. Sendo generosos para conosco. √Č a Lei da selva se camuflar! N√£o vejo mais aqui, pelo menos no Brasil, raz√£o para eu estar defendendo bandeira alguma. Muito menos entrar em um grupo como se eu fosse mais um ingrediente da massa de bolo. Amizade pra mim √© lealdade. Toda rela√ß√£o deve ser pautada nisto. Quem √© leal e fiel n√£o se deixa nunca se aterrorizar. Defende qualquer pessoa da injusti√ßa. Mas esta qualidade est√° sendo extinta muito r√°pido. At√© nas rela√ß√Ķes amorosas. Vejo marido e esposa sendo desleal e infiel um com os outros porque os interesses financeiros falam mais alto. Para que me serve uma rela√ß√£o assim? Para que me serve estar com pessoas ao lado que n√£o ajunta comigo? S√≥ espalha?  Antes s√≥ do que mal acompanhada.
    Quem comigo n√£o ajunta, espalha.
    Amo a mim e tudo o que eu puder fazer para minha felicidade e paz genu√≠na, assim o farei. Prosperidade a todos e que Deus tenha piedade e proteja aqueles de cora√ß√£o puro.
     


quinta-feira, 13 de agosto de 2015

Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe; Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.



Se um homem quer você, nada pode mantê-lo longe;
Se ele não te quer, nada pode fazê-lo ficar.
Pare de dar desculpas (de arranjar justificativas) para um homem e seu comportamento.Permita que sua intuição (ou espírito) te proteja das mágoas.
Pare de tentar se modificar para uma relação que não tem que acontecer.
Mais devagar é melhor. Nunca dedique sua vida a um homem antes que você encontre um que realmente te faz feliz.
Se uma rela√ß√£o terminar porque o homem n√£o te tratou como voc√™ merecia,”foda-se, mande pro inferno, esquece!”, voc√™s n√£o podem “ser amigos”. Um amigo n√£o destrataria outro amigo.
N√£o conserte.
Se voc√™ sente que ele est√° te enrolando, provavelmente √© porque ele est√° mesmo…
N√£o continue (a rela√ß√£o) porque voc√™ acha que “ele vai melhorar”.
Você vai se chatear daqui um ano por continuar a relação quando as coisas ainda não estiverem melhores.
A √ļnica pessoa que voc√™ pode controlar em uma rela√ß√£o √© voc√™ mesma.
Evite homens que têm um monte de filhos, e de um monte de mulheres diferentes. Ele não casou com elas quando elas ficaram grávidas, então, porque ele te trataria diferente?
Sempre tenha seu próprio círculo de amizade, separadamente do dele.
Coloque limites no modo como um homem te trata.
Se algo te irritar,fa√ßa um esc√Ęndalo.
Nunca deixe um homem saber de tudo. Mais tarde ele usará isso contra você.
Você não pode mudar o comportamento de um homem. A mudança vem de dentro.
Nunca o deixe sentir que ele √© mais importante que voc√™… mesmo se ele tiver um maior grau de escolaridade ou um emprego melhor.
Não o torne um semi-deus. Ele é um homem, nada além ou aquém disso.
Nunca deixe um homem definir quem você é.
Nunca pegue o homem de alguém emprestado.
Se ele traiu alguém com você, ele te trairá.
Um homem vai te tratar do jeito que você permitir que ele te trate.
Todos os homens NÃO são cachorros.
Voc√™ n√£o deve ser a √ļnica a fazer tudo… compromisso √© uma via de m√£o dupla.
Voc√™ precisa de tempo para se cuidar entre as rela√ß√Ķes. Veja as suas quest√Ķes antes de um novo relacionamento.
N√£o h√° nada mais precioso quanto viajar.
Voc√™ nunca deve olhar para algu√©m sentindo que a pessoa ir√° te completar. Uma rela√ß√£o consiste de dois indiv√≠duos completos, procure algu√©m que ir√° te complementar… n√£o suplementar.
Namorar é bacana. mesmo se ele não for o esperado Sr. Correto.
Fa√ßa-o sentir falta de voc√™ algumas vezes… quando um homem sempre sabe que voc√™ est√° l√° e que voc√™ est√° sempre dispon√≠vel para ele, ele se acha.
Nunca se mude para a casa da m√£e dele. Nunca seja c√ļmplice (ou co-assine qualquer documento) de um homem.
Não se comprometa completamente com um homem que não te dá tudo o que você precisa.
Mantenha-o em seu radar, mas conhe√ßa outros…
Compartilhe isso com outras mulheres e homens (de modo que eles saibam).
Você fará alguém sorrir, outros repensarem sobre as escolhas e outras mulheres se prepararem.
O medo de ficar sozinha faz que v√°rias mulheres permane√ßam em rela√ß√Ķes que s√£o abusivas e lesivas.
Você deve saber que você é a melhor coisa que pode acontecer para alguém e se um homem te destrata é ele que vai perder uma coisa boa.
Se ele ficou atra√≠do por voc√™ √† primeira vista, saiba que ele n√£o foi o √ļnico.
Todos eles est√£o te olhando, ent√£o voc√™ tem v√°rias op√ß√Ķes.
Faça a escolha certa.
CUIDEM BEM DE SEUS CORA√á√ēES…

Texto original atribu√≠do a  Oprah Winfrey

Criar bons h√°bitos...





    Segundo especialistas, o ser humano leva em m√©dia vinte e um dias para criar bons h√°bitos. H√°bitos s√£o h√°bitos, bons ou ruins. Se soubermos que algo ir√° nos fazer bem, seria inteligente da nossa parte ent√£o, utilizar este algo constantemente. A exemplo: orar ( Que del√≠cia de h√°bito!) principalmente antes de dormir, conversar com Deus , agradecer, pedir sabedoria. Ao acordar ent√£o, pedir a ELE mais sabedoria para encarar o dia, os colegas de trabalho, proteger a fam√≠lia, enfim, a ora√ß√£o √© um h√°bito que na minha vis√£o, nunca deve deixar de ser mantido.  Alimentar-se bem, comer bastantes frutas, legumes e verduras, estes dois √ļltimos de prefer√™ncia, crus. Fazem um bem danado, acelera o metabolismo, fortalece e limpa os dentes. Sim, √†s vezes comemos tantos alimentos cozidos que deixamos de utilizar a for√ßa das nossas “presas". Os h√°bitos dizem quem n√≥s somos. Primeiro, n√≥s fazemos os h√°bitos depois, os h√°bitos nos fazem. “M√°s companhias estragam h√°bitos √ļteis", diz a B√≠blia. Por mais que tentemos ser fortes, imbat√≠veis, uma hora ou outra podemos correr o risco de fazer algo que n√£o queremos e s√≥ por influ√™ncia continuar. Acredito que a√≠ entram os h√°bitos ruins tamb√©m, mais ainda no caso dos adolescentes em busca de identidade e no caso dos adultos, algo a se analisar: Usar drogas, fumar, embriagar-se, etc. Mas n√£o podemos culpar as m√°s companhias pelos h√°bitos que n√≥s escolhemos criar. Para sermos pessoas de h√°bitos saud√°veis, precisamos entender o que de fato nos faz bem. Harmonizar a mente consciente com a subconsciente. Se no consciente queremos ou n√£o queremos algo, deveremos ent√£o trabalhar em cima daquilo a ponto de infiltrar na mente subconsciente que trabalha por osmose. A maior prova disto √© quando mudamos um m√≥vel de lugar, por exemplo, quem de n√≥s nunca foi por osmose para um mesmo local da casa em busca de algo que sempre esteve l√° e de repente foi trocado por um ser cruel, que muitas vezes “xingamos”, sendo este ser em alguns casos , n√≥s mesmos? Neste caso, dizem que √© bom mudar a rotina a fim de exercitar os dois lados do c√©rebro! Como diz o ditado popular: " O costume do cachimbo deixa a boca torta." Mas em se falando em coisas boas como exercitar-se, meditar, ler, visitar algu√©m querido,enfim, tantas coisas boas para se cultivar! Para qu√™ criar maus h√°bitos? Falar mal das pessoas, fumar, embriagar-se, dormir muito tarde, reclamar da vida, brigar? Para qu√™ Deus meu? Se  nosso c√©rebro tem a mesma capacidade de criar maus e bons h√°bitos, sejamos s√°bios e para a nossa felicidade, criemos bons h√°bitos! 
 
Iracema Correia    
    

terça-feira, 11 de agosto de 2015

Como lidar com as críticas?



    √Č extremamente desagrad√°vel receber cr√≠ticas, principalmente quando percebemos que a mesma, procede de uma pessoa que talvez n√£o tenha l√° muito conhecimento sobre o assunto em quest√£o ou deixa a desejar justamente naquilo em que fala. Tudo que vier para n√≥s, de bom ou ruim. Devemos aproveitar para o nosso crescimento pessoal, Transformar.
    Reza a B√≠blia: “Fi√©is s√£o os ferimentos infligidos por algu√©m que ama, mas os beijos de quem odeia s√£o coisas a serem suplicadas." Prov√©rbios 27: 6. De fato, uma cr√≠tica ou conselho amoroso de quem nos ama talvez incomode para o momento, mas depois ' dar√£o frutos pac√≠ficos' como tamb√©m diz a B√≠blia. Mas, o que dizer, quando recebemos uma cr√≠tica injusta, vinda de pessoas que talvez n√£os nos amem ou  s√≥ estejam a fim mesmo de criticar?
    Podemos lidar com as cr√≠ticas, ora por buscar os fundamentos de se a mesma procede e, se caso for, procurar melhorar naquilo em que fora criticado ora por ' verificar se em nossas a√ß√Ķes ou palavras, perturbamos os preconceitos, supersti√ß√Ķes ou cren√ßas sect√°rias, mesquinhas, da pessoa que criticou. Neste caso √ļltimo, o problema n√£o seria nosso e sim da pessoa que criticou'. (baseado no trecho do livro O poder do Subconsciente de Joseph Murphy.).
    As emo√ß√Ķes seguem os pensamentos e temos o poder de rejeitar todos os que nos perturbam ou incomodam.

quarta-feira, 5 de agosto de 2015

Ideologia de gênero ou vírus mental?


Ideologia de g√™nero ou v√≠rus mental? Por √Ēmar Souki

Pol√≠ticos roubando, ladr√Ķes assaltando e matando, sa√ļde p√ļblica aos frangalhos, escolas caindo aos peda√ßos, drogados estirados nas pra√ßas p√ļblicas, a cada esquina um miser√°vel lhe estendendo a m√£o! E, de repente, √© mais importante filosofar sobre se somos homens, mulheres, ou goys (mistura de girls com boys), se crian√ßas de 3 anos devem ter op√ß√£o sobre a que sexo pertencem. Se devemos separar banheiros ou ter banheiros unissex. Se √© a fam√≠lia ou o estado que deve educar as crian√ßas. O estado cambaleie como os √©brios no fim da noite e ainda sugere que n√£o, n√£o precisa da fam√≠lia, pode educar as pessoas. Voc√™ entregaria seus filhos para serem educados por assaltantes? Quais seriam os valores que eles passariam para seus filhos? Qual seria a cartilha que os assaltantes iriam produzir para “educ√°-los”?
Um estado a deriva agora se arvora a dizer que não, não precisa da família. Isso é mais uma de suas mentiras, ou um dos vírus mentais espalhados pelo ar. Assim como temos vírus biológicos que causam vários tipos de doenças no corpo, há também os vírus mentais, que servem para causar a maior doença que existe: a alienação! À medida que se discute sobre a tal de ideologia de gênero, a população fica anestesiada. Não consegue ver o que realmente importa: a total falta de compromisso de nossos dirigentes e o império da mentira! Então, o vírus mental serve para que você mude o foco e não mais se preocupe tanto em pensar como ficará livre dos políticos corruptos. Quanto mais a população focar na tal de ideologia de gênero melhor, mais eles podem roubar sossegados.
De forma sagaz, criou-se um v√≠rus mental, para que os cidad√£os, pelo menos por algum tempo, fiquem anestesiados com rela√ß√£o aos grandes problemas que a na√ß√£o enfrenta. O que precisamos decidir n√£o √© a que sexo pertencemos, mas quando vamos conseguir nos livrar daqueles que, por meio do voto (conseguido atrav√©s de campanhas bilion√°rias), usurparam o poder nesta Terra de Santa Cruz. Quando voc√™ olha para a cara daqueles homens e mulheres do legislativo brasileiro, o que √© que sente? Admira√ß√£o ou asco? Voc√™ acha que eles est√£o “lutando” pelo seu bem estar ou pelo bem estar deles? Eles falam a verdade ou mentem? Eles acreditam em Deus ou no dinheiro? Voc√™ confiaria a educa√ß√£o de seus filhos a eles?
Nazistas e comunistas utilizaram da psicologia de massa para oprimir o povo. O que √© a psicologia de massa? Em s√≠ntese: quando uma mentira √© repetida pelos diversos meios de comunica√ß√£o ela passa a ser aceita como verdade. No caso do nazismo a mentira era que o povo alem√£o tinha superioridade e que poderia dominar o mundo. No caso do comunismo a mentira √© que o estado pode substituir a fam√≠lia e a religi√£o. Karl Marx, o criador da ideologia comunista, dizia que “a religi√£o √© o √≥pio do povo”. N√£o vivemos aqui nem o nazismo, nem o comunismo, mas o mau-caratismo. O mau-caratismo dos pol√≠ticos brasileiros est√° usando a mesma psicologia de massa que os nazistas e comunistas usavam. Usam os meios de comunica√ß√£o para repetirem mentiras que, com o tempo, podem parecer verdades. A mentira no caso da ideologia de g√™nero √© simplesmente esta: temos que resolver logo essa quest√£o! √Č uma quest√£o de vida ou morte! N√£o, n√£o √© mais a corrup√ß√£o ou o mau-caratismo. Antes que todos os outros problemas possam ser resolvidos, voc√™ e eu precisamos resolver primeiro a que grupo pertencemos, ao grupos dos homens, das mulheres ou dos goys.