sexta-feira, 2 de dezembro de 2016

Não erramos quando amamos.




O destino deste amor é que tem que ser melhor direcionado. Somos o que podemos ser. Cada um só dá o que tem.
Recentemente li uma citação onde a autora descreve as mulheres como seres românticos que amam. Que interpretam um olhar de tesão como amor. Um gesto de atenção como amor, que vivemos eternamente a espera do Príncipe Encantado. Uma mulher subitamente comentou que isso era a herança de uma sociedade patriarcal, onde acreditamos e esperamos este amor e que precisaríamos desconstruir isto. Porque devo eu desconstruir-me? O que seria então este Príncipe Encantado? Nas versões modernas das princesas, são homens apoiando mulheres fortes, guerreiras que lutam pelos seus ideais mas que não perdem a delicadeza de ser feminina. O problema é quando, por cegueira auto imposta, confundimos o cavalheiro com o cavalo. E mesmo recebendo coices e pontapés, continuamos na luta insensata de querer transformar o “bicho  irracional “ num ser encantado.  Não erramos em amar e sonhar com um companheiro amoroso, carinhoso, atencioso e compreensivo. Erramos sim, ao destinar este amor para quem não nos corresponde. Mas precisamos saber o que queremos. A pergunta é : o que quero então para mim? Cada um sabe a sua resposta. Só não nos demos fáceis demais “ para quem não parece capaz de cuidar do que possui.” Há de haver em algum lugar alguém que se encaixe com a sua forma de amar.

Iracema Correia

terça-feira, 25 de outubro de 2016

Modo TURBO BÉLICO!




" A gente só vê inimigo quando a gente já quer brigar. Quando a gente não quer brigar, não vê inimigo em ninguém. Sabe que tudo se dá um jeito. Só encrenqueiro vê inimigo.Nunca te ocorreu porque algumas pessoas entram na sua vida ? É uma questão de afinidade. Sentou no banco da encrenca, trouxe encrenqueiro. Só tem inimigo para guerreiro. Quem não vem para guerrilhar, não tá no banco da marra, não faz da guerra a estratégia. Quem veio para vencer, dá um jeito em tudo sem guerra."

Calunga por Gasparetto.

Essa frase bem como o termo “modo bélico “ utilizado pelo coaching Arly Cravo e também Gisela Valin a quem eu copiei este texto do mural de sua página no Facebook , me fizeram relembrar tantas coisas. Principalmente a intenção do coração das pessoas. Uma sociedade pronta pra guerrear! Sociedade esta com atitudes díspares. Ora deseja o seu mal ora dá a vida pra salvar a do seu próximo.  Nitidamente perdida, assustada. Esse modo” Turbo Bélico “ é notado no trânsito, no local de trabalho, nas rodas de conversas, nos relacionamentos. Uma competição desenfreada para PROVAR sei lá o quê. Para mostrar quem é que “manda “ no relacionamento afetivo. Quem se importa mais que o outro? Quem pergunta primeiro como o outro está. Neste caso o primeiro leva desvantagem, numa visão bélica, pois mostra a sua fragilidade em relação ao outro. Mostra, mostra, mostra. Sempre MOSTRAR. Precisamos experimentar outras AMOSTRAS de afeto, carinho, cooperação. Não mostrar por mostrar, antes sentir lá dentro da alma a importância de ser. De ser afetuoso, gentil, generoso, amoroso, educado. Não se sentindo assim um derrotado porque aparentemente se fragilizou diante de algum sentimento. O que importa é a verdade que carregamos. E essa verdade se revelará a qualquer momento, mesmo que queiramos colocar a armadura de guerra. Querer estar sempre certo, ter a última palavra, não ceder lugar ao outro por puro orgulho é criar um clima doentio. O que ganharemos com isso? Estresse, tristezas, aborrecimentos! As pessoas só são o que têm. Se cultivarmos princípios mais nobres do que a competição, teremos paz de espírito e nos cercaremos dos nossos iguais.

Prosperidade à todos!
Iracema Correia

sexta-feira, 22 de julho de 2016

Luz na passarela e lá vem elas!!!!





Essa música foi uma espécie de entrada triunfante da então nova loira do grupo É o Tchan, a Sheila Melo. Muito apropriada pois a mesma irradia luz não só por ser bela mas por ser nativa do signo zodiacal regido pelo Sol, o Astro Rei. Ora pois, cá estou eu para falar da minha descoberta tardia com relação a Astrologia. Até meus trinta e cinco anos, nunca sabia, nem ligava para este lance de signo. Fui despertada à curiosidade epistemológica. Sim, uma curiosidade com objetivos de encontrar o cerne da coisa e não apenas o superficial. Fiquei surpresa e feliz ao me ver ali descrita.Com algumas observações um tanto que exageradas a respeito dos leoninos, em muitas literaturas "pseudosérias", procurei compreender de fato melhor as características do mesmo. Pois parto do princípio de que o autoconhecimento é a raiz de todas as respostas para decisões importantes da vida. E conhecer nosso signo solar é sem dúvida alguma a chave mestra. Descobri o meu decanato e planeta regente o que mo meu caso, não é um planeta e sim o Astro Rei. Embora os leoninos do segundo e terceiro decanato tenham similaridades comigo, os seus respectivos planetas regentes dão um toque a mais que diferenciam entre sí. Pois os segundo decanato tem regência em Sagitário regido por Júpiter e o terceiro decanato regido por áries que é regido por Marte ( Deus da Guerra) : D . Enfim, meu signo é do elemento fogo e fixo. Muita determinação, generosidade. Amamos a honra, a palavra, o respeito. Quando amamos somos inteiro. Mas quando desprezados ou humilhados, sabemos ser pedra de gelo. E normalmente como a palavra de um rei ( reis do Zodíaco), não costumamos voltar atrás uma vez tomada a decisão realmente . Cada leonino difere um do outro em diversos aspectos. Afinal o mapa astral é quem dirá de fato, quem somos por inteiro. Tenho ar no meu ascendente. Meu oposto. Dualidade completa entre como me mostro e como sou. Parabéns para mim por ter o privilégio de ter nascido entre 22 de Julho e 22 de agosto. Sabendo que estas datas variam de acordo a cada ano. Conheço leoninos do dia 23 de agosto por exemplo. Só o mapa astral dirá. No meu caso, não nasci em cuspide( saída de um signo e entrada d'outro) sou leonina nata regida pelo Sol. E quão bem me sinto por isto. Agora é só pegar o melhor de tudo isso e brilhar mais ainda. A lá Jennifer Lopez, Demi Lovato, Beatriz Segal, Glória Pires, Daniela Mercury, Sandra Bullock....e luz na passarela que lá vem elas. Poderosas!!!

Iracema Correia

quinta-feira, 30 de junho de 2016

Entojada de gente ciumenta.



Me desculpe quem é ciumento. Mas não tenho a menor paciência pra crises de ciúmes. Homem ou mulher . Amizade ou relação entre casais, etc. Penso que quando conhecemos o nosso valor, não nos abalaremos tanto com qualquer comentário ou qualquer coisa. Não digo em casos gritantes, mas se isso ocorrer já é uma prova de que o outro não me merece. Quando adolescente, é normal a insegurança. Mas vindo de pessoas supostamente maduras, chega me causa náuseas. O outro é um objeto por acaso seu para LHE PERTENCER??? De forma que não possa conversar com ninguém? Ou olhar? Será que você também não olha para outra pessoa? Penso que ciúmes é uma forma de julgar os outros pela nossa personalidade. É por isso que muita gente tem dificuldades de começar uma relação, pois antes até mesmo de firmar um compromisso, já está tendo crises convulsivas de posse sobre o outro. E o pior de tudo NÃO ASSUME. Isso não é nada bonito nem saudável.Deus me defenda de gente ciumenta perto de mim! Só tenho ciúmes do que me pertence por direito. Meu salário ganho, meus bens adquiridos com esforço, porque cuido e não gosto que ninguém destrua. Quem me conhece bem sabe muito do que tô falando.Quem quiser vir comigo que me dê a mão,  se não, escolha os seus iguais, simples assim. Ciúme é doença e em casos graves,  desvio de caráter mesmo,que precisa ser tratado com autoconhecimento. Entojada com gente ciumenta. 😣😣😣😣Iracema Correiama Correia

sábado, 25 de junho de 2016

Cara de Madeira





Eu sempre defendi a bandeira da sinceridade. Acredito que ela simplifica de forma extraordinária a nossa existência. Quando somos honestos em nossos relacionamentos tudo flui melhor.  Assim ninguém precisa ficar com medo de amar ou gastar horas analisando todas as possibilidades ou ainda tentar a façanha de adivinhar os pensamentos alheios. Fico imaginando a infinidade de carreiras finalizadas, em amores renunciados e pessoas infelizes porque não tomaram posse da verdade consigo e com o próximo.  Parece tão simples e salutar!  Por que ainda insistem em fugir da praticidade? Então eu cresci o suficiente para entender que TUDO  nesta vida tem preços e que a  conveniência e o conforto estão na tendência contemporânea. Ser sincero custa caro,  é arriscado e ainda exige bom senso. Tem um preço. Por levantar esta bandeira meus braços não se cansaram, contudo quebrar a cara tem sido tão natural quanto a luz do dia. Há  vezes que eu penso,  desta vez nem super bonder resolve. (risos). Meu caro,  a mim é preferível sofrer por algo real,  e não por martírio e arrependimento.  Do que me adianta o orgulho envelhecido com a coleção de " e se "?! Isso deixa a consciência tão fedida como mofo. Talvez quando eu for velha minha cara estará mais remendada que aquela xícara preferida. No entanto  terei uma certeza,  nunca deixei amores perdidos pelo caminho. Gosto da verdade não porque é o caminho mais fácil,  mas porque é o mais justo. Então aquela senhora será  quem ela sempre foi.  Afinal ela nunca foi do tipo que coleciona máscaras e " e se... "

Fonte: http://3peregrinas.blogspot.com.br/2014/08/minha-cara-de-madeira.html?m=1

sexta-feira, 24 de junho de 2016

Honestidade...por onde andas?




Honestidade...por onde andas?

Por vezes percebo como é comum a confusão entre honestidade e sinceridade e em como estas caminham numa linha tênue com a grosseria. Não vejo a necessidade de expormos nossas opiniões sobre a vida de alguém, principalmente quando não somos solicitados. Haja vista que uma opinião ainda que sincera, não deixa de ser o seu modo particular e subjetivo sobre a vida em geral. Qualquer tentativa de impor isso a alguém não deixa de ser uma violência. Pois invade a privacidade alheia, sua fé,  costumes, etc. para impor o que você pensa sobre o assunto em questão. Seria bom que a sinceridade de fato viesse aliada com a honestidade . E com ela toda a integridade moral e ética. Encoberto com uma verdade de caráter, com filtro para a grosseria não passar. Apenas o que somos e o que sentimos de fato. Sem maquiagem, sem deixar dúvidas ou algo subtendido. Uma elegância de caráter e postura de quem pensa e age de forma coerente. Honesta, mais precisamente, consigo.

Iracema Correia
Juro solenemente que direi a verdade....nada mais que a verdade. Hum!!