sexta-feira, 27 de fevereiro de 2015

Chegando a maturidade...





Quando amamos algu√©m,  quer sejamos amigos,  namorados, m√£es, filhos, etc. Nos interessamos de fato pelo seu bem estar. O interesse √© notado nas a√ß√Ķes. Por isto, √© sempre importantes prestarmos a aten√ß√£o ao que as pessoa faz ao inv√©s do que ela diz. Afinal as a√ß√Ķes sempre estiveram mais em alta na bolsa de valores em rela√ß√£o √†s palavras. Estas √ļltimas, s√£o "palavras, apenas, palavras, pequenas."Talvez a pessoa n√£o perceba que aja de uma forma desinteressada ou ego√≠sta, porque n√£o se percebe. N√£o evoluiu, n√£o cresceu como pessoa. Esse crescimento √© fundamental para detectarmos as fraudes dos sentimentos, do tipo gato por lebre. Quando algu√©m querido est√° doente, por exemplo, mostramos interesse em saber o que √© este tipo de doen√ßa, como procede, tratamento e o que fazer para ajudar. Ora essa! Perguntar apenas ao enfermo, s√£o s√≥ palavras...trocar id√©ias com o enfermo e  ajudar √© bem diferente. Coment√°rios do tipo: "Se precisar de alguma coisa , pode falar comigo." Normalmente √© muito c√īmodo. Nem sempre quem passa por problemas, costuma dividir suas afli√ß√Ķes com os outros, por medo de ser inconveniente, ou at√© mesmo de mais adiante receber a velha lembran√ßa da alega√ß√£o, "quando precisou, eu estava ali." J√° dizia meu professor de Teologia: " Amigo nem sempre √© aquele que est√° com voc√™ nos momentos dif√≠ceis mas tamb√©m nos felizes, aquele que suporta a felicidade alheia, que vibra a cada conquista nossa."  E a cita√ß√£o da m√ļsica de Renato Russo " Quero ter algu√©m com quem conversar

Alguém que depois não use o que eu disse contra mim (...)"


 A influ√™ncia crist√£ que recebemos, nos incentiva a darmos mais do que recebermos. Fazendo isto em p√ļblico, √© not√≥rio, o doador se cerca de uma √°urea de benfeitor, suprassumo do bem, se n√£o for uma pessoa bem trabalhada. A medida que prosperarmos quer financeiramente ou, em qualquer outro aspecto, percebamos quem de fato fica feliz, e continua nos dando suporte para o nosso crescimento. √Č sempre bom observar.Tem que ser assim, principalmente na fam√≠lia. Digo que uma fam√≠lia unida √© como uma cidade fortificada, nada derruba. Todos est√£o protegidos. Ajudar a quem precisa √© caridade, ajudar a quem n√£o precisa √© generosidade. Ao abrirmos as nossas m√£os em aux√≠lio do outro, recebemos ao mesmo tempo, as ben√ß√£os divinas ca√≠rem, se as mesmas m√£os estiverem fechadas, perderemos.Ou a Lei do retorno...como quiserem.

" De que adianta, meus irmãos, alguém dizer que tem fé, se não tem obras? Acaso a fé pode salvá-lo? Se um irmão ou irmã estiver necessitando de roupas e do alimento de cada dia e um de vocês lhe disser: "Vá em paz, aqueça-se e alimente-se até satisfazer-se", sem porém lhe dar nada, de que adianta isso?
17 Assim também a fé, por si só, se não for acompanhada de obras, está morta.
18 Mas alguém dirá: "Você tem fé; eu tenho obras". Mostre-me a sua fé sem obras, e eu lhe mostrarei a minha fé pelas obras."

Tiago 2: 14-15


Enfim, que a maturidade me sirva, como assim j√° me vem fazendo, para ter  a sabedoria  de separar o joio do trigo, o que √© real do que n√£o √© real. E assim, vou caminhando livremente em dire√ß√£o ao sucesso, administrando com compet√™ncia a desordem dentro de mim, criando e recriando a minha vida, espalhando alegria por onde eu passar...

quinta-feira, 26 de fevereiro de 2015


Me cansei..




O cansa√ßo j√° faz parte da minha rotina. Sofro de uma fadiga cr√īnica. Pior do que esta, √© sofrer do cansa√ßo mental e emocional de rela√ß√Ķes f√ļteis, pessoas f√ļteis, sem profundidade, que nada t√™m a oferecer. Quando estamos bem de sa√ļde f√≠sica e emocional, suportamos certas coisas e sa√≠mos ilesas de certas situa√ß√Ķes. Quando estamos com atrofia emocional, baixa autoestima, baixo n√≠vel de serotonina, doente, uma simples picada de formiga doe na alma. O que dizer de brincadeiras de mal gosto? O que dizer quando nos fechamos para o mundo criando carapa√ßas para a pr√≥pria sobreviv√™ncia emocional e de repente pessoas "batem a porta" para entrar, com entusiasmo, oferecendo o que n√£o podem dar? Car√™ncia? Sim, tamb√©m.Levar uma crian√ßa para uma sorveteria, lanchonete e n√£o oferecer a ela nem um doce, enquanto ela v√™ os outros se deliciando √© muita maldade. Se n√£o tem grana, n√£o leva. Ou tirar o doce dela, enquanto come√ßa a saborear. Atualmente, preciso por sobreviv√™ncia emocional e f√≠sica, me manter distante de tudo e de todos que desconhecem o verdadeiro sentido das palavras, amor, respeito, carinho, amizade, entre outros. Empatia n√£o se existe mais, o mundo n√£o est√° ego√≠sta. Alguns preferem ser assim e espalham o veneno para todos os lados, infectando quem vai chegando. Fazendo muitos acreditarem que √© normal ser assim. √Č normal. Se assim √© ser normal, prefiro ser anormal, mas ser integra, cultivar valores preciosos,o que √© valoroso para mim: lealdade, respeito, aten√ß√£o, carinho, sinceridade,compreens√£o. N√£o gosto que brinquem com os meus sentimentos. Mas cada um s√≥ pode dar o que tem.

Solid√£o


quarta-feira, 25 de fevereiro de 2015

NUNCA ME SENTI TÃO POBRE ( PARA DESCONTRAIR)


Lixeiras da marca Louis Vuitton


Carros banhado a ouro.

Animais de estimação exóticos



 As Ferraris n√£o s√£o um luxo em Dubai, por esta raz√£o podem ser consideradas lixo.



OSTENTA√á√ÉO √Č ISSO AQUI. ME PERGUNTO O QUE √Č QUE EU ESTOU FAZENDO AINDA AQUI. ISSO AQUI √Č PARA VOC√ä QUE PENSA QUE √Č RICO.KKKKKKKKKKKKKKKKKKKKKK. NECESSITO URGENTEMENTE CASAR COM UM CARA DE DUBAI. VOU ENVIAR CURR√ćCULO :/ . LIXEIRA DA MARCA  Louis Vuitton ...ESSA √Č UM TAPA NA CARA DE QUEM USA A MARCA , COMO BOLSA E UM NOCAUTE  EM QUEM AINDA USA AS R√ČPLICAS DAS BOLSAS, TIPO, DO PARAGUAI, CHINA,KKKKKKKKKKKKK, RINDO LITROS, NUNCA ME SENTI T√ÉO POBRE,KKKKKKKKKKKKKKKK.


QUER MAIS...http://www.tatulegal.com/lugares/a-vida-luxuosa-que-levam-os-milionarios-de-dubai/

terça-feira, 24 de fevereiro de 2015

A paz no tr√Ęnsito √© dever de todos!!


Se fazer de vítima para levar vantagem...



Hoje passei por uma situa√ß√£o inusitada e at√© agora estou deveras pensativa. Sou muito atenciosa e devo ser na dire√ß√£o.Principalmente dando r√© em ruas movimentadas. Sei que os pedestres tamb√©m n√£o contribuem para melhorar o tr√Ęnsito, pois costumam "enfrentar" os carros, sabendo que todo enfrentamento de for√ßas quem tem a corda mais fina sai prejudicado. Mas o motorista tamb√©m tem a "corda fina", s√£o tantos aborrecimentos, tantas multas e ainda a press√£o popular que pelo desejo da justi√ßa s√ļbita, com as pr√≥prias m√£os, acabam por fazer julgamentos precipitados. Saindo do estacionamento da Cidade do Saber, dando r√©, bem devagar, pois os pedestres ali costumam ignorar os carros,noto de repente colado no fundo do carro um senhor de moleta. Um rapaz me chama e diz que tem um senhor que est√° atr√°s do meu carro. Tipo atingido.Enquanto isto passa um "imbecil" de bicicleta gritando olha o POBRE senhor a√≠, vai passar por cima? ) s√≥ rindo) DETALHE ELE N√ÉO ESTAVA PASSANDO, ELE APARECEU, OU SE ABAIXOU. Parei o carro e perguntei se ele e foi atingido, se machucou, antes de ele responder, outro rapaz com uma voz de malandro mesmo, me ordenou: Agora a senhora vai ter que levar ele, para "compensar". O que, n√£o sei. Ele disse:Eh, tomei um tombinho.Para uma pessoa no estado em que ele se apresentava, se realmente tivesse levado um empurr√£ozinho do carro, tava todo travado. E antes de mais nada, o rapaz com voz de malandro ( sem preconceito...mas a cara dizia tudo), j√° foi abrindo a porta do meu carro , do fundo e mandando o senhor entrar, a fim de eu levar ele at√© a SEMED, para uma consulta marcada, pois o mesmo tinha conv√™nio.Mandei ele sentar na frente, perguntei o nome, malmente quis dizer, disse que era Z√©,perguntei ao rapaz se era conhecido dele, ele disse que "seu Z√Č" conhecia ele desde pequeno. Perguntei onde ele morava, disse que era na Bomba e estava indo ANDANDO at√© a SEMED. Perguntei se ele tinha parente, ele disse que tinha , mas era assim mesmo.Ele me guiava numa per√≠cia, indicando as ruas como um conhecedor de rota, um motorista. Porque para quem n√£o dirige, nem sempre sabe onde √© contra m√£o. Deixei-o em frente a SEMED. Desceu calado. Tu agradeceu? Assim foi ele. Fui fazendo na minha cabe√ßa, toda a minha manobra.Se eu realmente tivesse atingido ele, ele tinha ca√≠do.Cometer barberagem, qualquer motorista comete, mas...sei n√£o viu...achei estranho demais. Fiquei pensando... assim como foi um senhor poderia ser um malfeitor. Atrasei a minha consulta e levei ele. A impress√£o que me deu...parece que √© de costume dele fazer isto em parceria com o rapaz...queria ficar s√≥ observando se ele iria fazer isto com outra "motorista", pois tenho certeza que se fosse homem, isso n√£o seria assim.Penso tamb√©m, na quantidade de pedestres que, embora tenha ciclovia aqui nas redondezas, andam de bicicleta no meio dos carros, de patins, passam por tr√°s de carros que est√£o manobrando a r√©, desconsideram as passarelas, atravessam a faixa de pedestre sem o sinal est√° verde e quando o acidente acontece, √© sempre ele a v√≠tima. Existem motoristas irrespons√°veis, assim como pedestres. Enfim, as vezes as pessoas se fazem de v√≠tima porque se colocam nesta posi√ß√£o, andando de forma irrespons√°vel. Se arriscando.

segunda-feira, 23 de fevereiro de 2015

AGRADECER E USUFRUIR DAS OPORTUNIDADES





Reconhe√ßa, humildemente, que o mundo pode lhe conceder qualquer desejo, desde que voc√™ se conscientize da necess√°ria clareza mental de encontrar o seu lugar e discernir o que realmente quer obter. √Č aconselh√°vel que voc√™ passe a ver suas rela√ß√Ķes e sua vida como essenciais para se dar bem no dia-a-dia e chegar ao topo do Mundo.
Cada pessoa é um universo diferente que merece seu respeito e aceitação. Mantenha aberta sua mente e seu coração a todos que o rodeiam e até mesmo aos que estão longe. Mostre alegria por poder conviver com tantas pessoas diferentes que adicionam valores à sua vida e reconcilie-se com o seu passado para superar quaisquer conflitos. Percebendo a vida de forma globalizada e grande o bastante para você conhecê-la e conquistá-la inteiramente, tudo se tornará amigável e você se sentirá em casa onde quer que esteja.
Harmonize-se com tudo e todos e, principalmente, demonstre gratidão por tudo o que você é e por tudo que possui. Assim, o Mundo está aos seus pés e lhe concederá cada vez mais.

Grande felicidade surge a partir do momento em que você dá generosamente, sem esperar nada em troca. Bem, obviamente sempre esperamos algo em troca, mas existem pessoas que esperam mais do que outras. O sucesso está garantido quanto mais generosamente você agir.



Personare

domingo, 22 de fevereiro de 2015

O reducionismo nas opini√Ķes.



In√≠cio do ano, per√≠odo entre janeiro a mar√ßo, come√ßam os "intelectuais" de plant√£o, condenando o programa Big Brother Brasil, a rede Globo, como se a mesma rede, estivesse sofrendo horrores com estas cr√≠ticas. Sim, somos uma democracia, e deve haver a liberdade de express√£o. Por√©m, noto uma demoniza√ß√£o em rela√ß√£o √† rede Globo, como se as outras emissoras fossem o antro dos programas de fam√≠lia ( SQN). Como se tudo na vida fosse preto no branco. Toda generaliza√ß√£o √© opini√£o limitada e reducionista. Sendo reducionista , fecha-se o leque de possibilidades e se torna algo pequeno, n√£o avan√ßa. Podemos olhar tudo com novos olhares. Longe de defender este ou aquele programa ( at√© porque n√£o precisam de minha humilde defesa), falo da senten√ßa criada e dos carimbos colocados em cada coisa que se passa na m√≠dia, bem como na vida. Encaro com tristeza ao ver as pessoas comentarem que se assistirem este ou aquele programa, formar√£o o car√°ter da fam√≠lias. Existem pessoas que n√£o t√™m paci√™ncia de assistirem a nada e nem tampouco lerem um livro, por exemplo. Outros que odeiam redes sociais, alguns que gostam de ler bons livros, de redes sociais e de assistirem novelas, telejornais, etc e ainda assim, n√£o conseguem ter opini√£o sobre nada. N√£o sabem inferir sobre certos assuntos. Lembro da letra da m√ļsica do conjunto Kid Abelha num trecho que diz: " Eu tenho pressa e tanta coisa me interessa mas nada tanto assim." Alguns acham bonito e ser importante dizer:" eu n√£o tenho tempo de assistir novelas".Nada contra, mas isso n√£o as torna mais santas ou equilibradas do que ningu√©m. Possa ter atitudes piores do que os piores vil√Ķes das novelas e da√≠. A televis√£o n√£o forma car√°ter de ningu√©m. Pois se fosse assim os "intelectuais" de plant√£o, deveriam assistir as TV's oxig√™nios, aquelas que est√£o no ar, mas ningu√©m as ver. As ditas educativas, onde ainda aparecem  mais negros como apresentadores ( diferente dos telejornais dos hor√°rios nobres e programa√ß√£o de entretenimento), onde a programa√ß√£o √© de madrugada e por a√≠ se vai. Ser√° mesmo? Ser√° mesmo que os document√°rios sobre assuntos "profundos" t√™m toda esta audi√™ncia? Deveria ter, principalmente pelos que tanto se manifestam contra as ditas programa√ß√Ķes negativas. N√£o assistem reality shows, novelas, etc e tal, mas talvez sejam fissurados por v√≠deos que s√£o compartilhados aos rodo nas redes sociais, com situa√ß√Ķes de viol√™ncia expl√≠cita, porn√ī e coisa e tal. Tamb√©m n√£o tenho nada com a vida nem com os olhos do que cada um escolhe ver. Acredito que cada um deva saber o que quer assistir.E se preocupar como deve criar os seus filhos. As classifica√ß√Ķes de idade s√£o expl√≠citas nos programas, mas vejo desenhos animados que particularmente me incomodam, com classifica√ß√£o tida como baixa. Tudo sim deve ser analisado com coer√™ncia e de forma individual,sem ser rotulado. Ali√°s r√≥tulo, s√≥ mesmo para objetos e ainda assim existem os r√≥tulos de LIMPEZA PESADA, BRANCO TOTAL, TIRA MANCHAS, SEMPRE LIVRE (rsrsrsr), que s√≥ s√£o r√≥tulos mesmos, para nada servem. Vamos combinar!! Precisamos ler mais, muito mais e parar de rotular, reduzir tudo a um t√≠tulo, como se fossem gavetas: Programa bom, programa ruim, canal religioso bom ( hum), roupa adequada, pessoa do bem, pessoa do mal. AF! T√ī fora!!

quarta-feira, 18 de fevereiro de 2015

Ainda sobre a Fibromialgia...


Um dos melhores textos que li sobre essa s√≠ndrome, ainda na d√ļvida se sou portadora dela ou da AR artrite reumatoide, mas h√° muito de mim nestas descri√ß√Ķes. como Marwin...sentindo o peso do mundo sobre mim, estou melhorando e muito, mas as minhas noites ainda est√£o longe de serem reparadoras. Aproxima-se de uma hora da manh√£, a cabe√ßa n√£o para e resiste descansar. Sinto inveja de quem dorme! Quero dormir, quero dormirrrrrrr!!


Fibromialgia: o que você precisa saber.
O que é fibromialgia?
Fibromialgia n√£o chega a ser uma doen√ßa. Se voc√™ fizer uma biopsia das partes que doem, enviar para an√°lise, fazer cultura, olhar no microsc√≥pio (…), nada vai surgir. O tecido n√£o est√° doente. N√£o h√° nenhum v√≠rus ou bact√©ria. E, a boa not√≠cia, ningu√©m morre disso. No entanto, quem sofre de fibromialgia n√£o tem a  menor d√ļvida de que alguma coisa est√° errada.
Que nome dar?
Diz-se “s√≠ndrome”, “dist√ļrbio”, “patologia”. Seja l√° qual for o nome, existe, e causa imensa morbidade para os acometidos.
Quem tem fibromialgia?
Fibromialgia pode acometer homens e até crianças, mas isso é bastante raro. Mais de 95% das pessoas que sofrem deste mal são mulheres, geralmente com idade superior a 20 anos.
Quais os sintomas de fibromialgia?
Dor no corpo todo. Dor “na carne”, n√£o nas juntas. D√≥i o dia inteiro, mas a dor √© particularmente maior ao acordar (parece que se “levou uma surra” na noite anterior”), sente-se uma discreta melhora ao longo do dia, mas no final da tarde a dor volta com toda sua intensidade. Dorme-se mal nesta s√≠ndrome. A cabe√ßa “n√£o para”. Todos os problemas da humanidade passam na cabe√ßa da fibromi√°lgica, mas em especial os dos parentes pr√≥ximos. O sono √© descrito como “n√£o reparador”, ou seja, a pessoa n√£o descansa. Tem-se a sensa√ß√£o de cansa√ßo e sonol√™ncia por todo o dia. Em muitas pessoas as m√£os est√£o inchadas, principalmente pela manh√£, algumas vezes formigam, ou ficam dormentes. Para outras, por momentos, a respira√ß√£o pode ficar dif√≠cil, como se houvesse um grande peso sobre o peito. Essa sensa√ß√£o passa sozinha ap√≥s minutos ou horas mas tende a voltar ao longo do dia. Dores de cabe√ßa s√£o comuns. Causa ou conseq√ľ√™ncia, a depress√£o √© muito freq√ľentemente associada √† fibromialgia.
Como ter certeza de que eu tenho fibromialgia?
N√£o h√° exame diagn√≥stico espec√≠fico. √Č muito comum a pessoa passar de m√©dico em m√©dico, realizar milh√Ķes de exames, de sangue √† resson√Ęncia magn√©tica, sem encontrar nada de errado. O diagn√≥stico de fibromialgia √© baseado em exames laboratoriais normais, que excluem outras doen√ßas que possam imitar a fibromialgia, e no quadro cl√≠nico t√≠pico. Os famosos “pontos em gatilho” da fibromialgia (pontos bastante dolorosos √† palpa√ß√£o) s√£o indicativos mas com maior valor para trabalhos cl√≠nicos do que para o diagn√≥stico em indiv√≠duos.
O que causa fibromialgia?
Para ir direto ao ponto, o que causa a fibromialgia √© o sono ruim. Quem n√£o descansa por um per√≠odo cont√≠nuo e duradouro fica com dores no corpo todo. √Č o que acontece na fibromialgia e em outras patologias do sono. Em outra doen√ßa, a apn√©ia do sono, por exemplo, o indiv√≠duo n√£o dorme por uma raz√£o bem diferente: se ele aprofunda no sono engasga e sufoca. Mas o resultado √© o mesmo: dores no corpo, dores de cabe√ßa, cansa√ßo e sonol√™ncia. Uma m√£e que n√£o consegue dormir porque o beb√™ acorda a noite toda tamb√©m sente dores semelhantes. Mas, na fibromialgia, o que causa o sono ruim? Como j√° mencionado, a fibromi√°lgica n√£o dorme porque “a cabe√ßa n√£o desliga”. Porque ent√£o “a cabe√ßa n√£o desliga”? A√≠ entra o pr√≥ximo t√≥pico.
A personalidade fibromi√°lgica
Fibromi√°lgicas carregam o mundo nas costas. Preocupam-se com tudo e com todos. Porque o filho vai mal na escola, porque a filha perdeu o emprego, porque o genro n√£o d√° bola para os problemas, porque o marido n√£o se envolve… Trabalha e preocupa-se com e para todos. E freq√ľentemente aflige-a o fato de que ningu√©m se preocupa com estes problemas como ela. Bem, se uma pessoa toma conta do mundo sozinha, como √© que ela vai conseguir dormir? Quem vai tomar conta do mundo enquanto ela estiver “desligada”? Os problemas s√£o enormes, e ap√≥s um vem logo outro. E a fibromi√°lgica passa a vida esperando as coisas melhorarem para ela come√ßar a se cuidar, para come√ßar a ser feliz. Mas as coisas nunca
melhoram o bastante.
Fibromialgia tem cura?
Tem. Mas depende muito mais da paciente do que do m√©dico. Ao m√©dico cabe apenas orientar e passar algumas medica√ß√Ķes. As medica√ß√Ķes na fibromialgia n√£o s√£o m√°gicas. Elas se baseiam em relaxantes musculares, que melhoram o sono e “desligam” um pouco a pessoa, e antidepressivos. Alguns antidepressivos tamb√©m d√£o sono, outros apenas combatem a depress√£o associada, e diminuem a ansiedade. Muitas fibromi√°lgicas ficam dependentes de rem√©dios para dormir e ansiol√≠ticos, que resolvem muito parcialmente os problemas. Os relaxantes musculares e antidepressivos n√£o causam depend√™ncia, mas, infelizmente, perdem a efic√°cia ap√≥s mais ou menos de 8 a 12 meses. Ent√£o os problemas voltam, e os rem√©dios n√£o mais funcionam.
√Č verdade que esportes t√™m papel importante na fibromialgia?
Sim. Esporte age de diversas maneiras. Em primeiro lugar melhora a forma f√≠sica, a auto-estima e o organismo como um todo. Em segundo, libera uma s√©rie de horm√īnios e mediadores que aliviam a dor e o cansa√ßo. Em terceiro, pode melhorar a qualidade do sono. Por fim, o esporte √© um momento onde a fibromi√°lgica deixa o mundo de lado para cuidar de si mesmo. Isso apenas j√° √© grande avan√ßo! Qual esporte fazer? Tenha em mente duas coisas: primeiro, a atividade deve ser para a vida toda! Portanto n√£o fa√ßa algo que n√£o goste, ou que n√£o vai ag√ľentar muito tempo. Se academia te entedia, mas dan√ßa te d√° prazer, dance! Se cansar de um mude para outro. O importante √© n√£o ficar parada. Combine esfor√ßo aer√≥bico com alongamento. Muscula√ß√£o n√£o √© o mais indicado. Segundo, um corpo
dolorido e contra√≠do d√≥i mais ao exerc√≠cio. √Č comum e esperado que as dores piorem no in√≠cio das atividades f√≠sicas. Este √© o momento de usar as medica√ß√Ķes que seu reumatologista indicar, elas dar√£o algum al√≠vio. Insista. Continue. Fa√ßa por gosto e por voc√™.
Como curar fibromialgia?
Geralmente uma crise forte de dor anuncia que a pessoa est√° realmente num limite e que uma mudan√ßa no estilo de vida √© urgente. Algo est√° “demais”, pesado demais mesmo para esta pessoa campe√£ em ag√ľentar as coisas. Esta crise pode ser uma oportunidade de alavancar uma transforma√ß√£o, e a cura. Entenda esta crise de dor aguda como um grito do
corpo pedindo que a pessoa atenda as exig√™ncias maiores de sua ess√™ncia. Para curar a fibromialgia tem-se que tomar consci√™ncia dos mecanismos que causam a doen√ßa, e mud√°-los. Os rem√©dios s√£o fundamentais, viabilizam uma condi√ß√£o onde a transforma√ß√£o tem chances de acontecer, aliviam por alguns meses. Este tempo √© valioso para a pessoa mudar completamente o jeito como leva a vida. “Se trago as m√£os distantes do meu peito, √© que h√° dist√Ęncia entre inten√ß√£o e gesto”, diz Chico Buarque. Da mesma forma, conscientizar-se est√° ainda a alguma distancia de resolver o problema. Pode n√£o ser f√°cil mudar os padr√Ķes de comportamento de uma vida toda. Por isso psicoterapia √© fundamental. Simplesmente deixar de se preocupar com as coisas e pessoas n√£o √© poss√≠vel. Se fosse, deixaria um vazio enorme. A fibromi√°lgica pode perceber que h√° anos n√£o vive sua pr√≥pria vida. Reconstru√≠-la, retomar objetivos pr√≥prios e prazeres pessoais √© fundamental. Lidar com a culpa de “deixar as pessoas √† pr√≥pria sorte” tamb√©m pode ser dif√≠cil. A combina√ß√£o da medica√ß√£o certa, exerc√≠cios f√≠sicos, auto-conhecimento e muita vontade √© a √ļnica f√≥rmula capaz de operar milagres.
Autora:
Dra. Marina Petrilli Segnini dos Santos
Psic√≥loga – Psicoterap√™uta ( CRP 06/65345)

segunda-feira, 16 de fevereiro de 2015

O Mestre dos mestres

"√Č nas coisas simples e an√īnimas que se encontram os maiores tesouros da emo√ß√£o..." 




O carpinteiro de Nazaré amou apaixonadamente a humanidade, extraía grande prazer nas pequenas coisas . Até os seus opositores ficavam maravilhados com suas palavras. Em pouco tempo ficou conhecidíssimo. Numa época em que não existia internet:

"O assédio social e o excesso de atividades bateram fortemente à porta de Jesus. Aparentemente, ele não tinha mais tempo para nada. Deveria apenas se preocupar com os aplausos, em manter sua popularidade e cumprir seus compromissos sociais.Ele enfrentou duas provas nas quais os homens de sucesso frequentemente fracassam:

1.  Ter tempo para o mundo social, mas tamb√©m ter tempo para si.
2.  Preservar a simplicidade e a sensibilidade depois de se tornar um homem p√ļblico, uma estrela social.


Muitos que alcan√ßam o sucesso social, intelectual e financeiro n√£o alcan√ßam o sucesso em ter qualidade de vida. Eles t√™m tempo para todos, mas n√£o para o que lhe d√° prazer e para as pessoas que amam. Perdem sua gentileza √† medida que se atolam nas atividades. Mendigam o p√£o da alegria. H√° muitos mendigos vivendo em luxuosos condom√≠nios e trabalhando em bel√≠ssimos escrit√≥rios.”


DICAS PARA CONTEMPLAR O BELO

"Todas as pessoas devem sentir-se bonitas. N√£o seja escravo do padr√£o de beleza da m√≠dia. Diga diariamente: eu sou bonito(a)! Pois o feio e o belo s√£o relativos. Beleza est√° nos olhos de quem contempla... 
Contemplar o belo é colocar combustível na felicidade. Cuide de plantas, escreva poesias. Role no tapete com as crianças. Valorize as coisas que são aparentemente insignificantes. Escreva cartas para os amigos. Descubra os filhos. Explore o mundo dos seus pais. Fique dez minutos por dia em silêncio contemplativo. Falar da felicidade sem contemplar o belo é cair no vazio."

Augusto Cury


A fórmula da juventude



Dona Gertrudes, 92 anos, era uma senhora elegante e bem vestida. Estava de mudança para uma casa de repouso, pois o marido com quem vivera 70 anos havia falecido e ela ficou só. Depois de esperar pacientemente por uma hora na sala de visitas, ela ainda deu um lindo sorriso quando uma atendente veio dizer que seu quarto estava pronto.
A caminho do seu novo quarto, a atendente ia descrevendo os detalhes, inclusive as cortinas de tecido florido que enfeitavam a janela.
- Ah, eu adoro essas cortinas – disse ela com o entusiasmo de uma garotinha.
- Mas a senhora ainda nem viu seu quarto – disse a atendente.
- Nem preciso ver – respondeu ela – Felicidade √© algo que voc√™ decide por princ√≠pio. E eu j√° decidi que vou adorar! √Č uma decis√£o que tomo todo dia quando acordo. Eu tenho duas escolhas: Posso passar o dia inteiro na cama reclamando das dificuldades que tenho em certas partes do meu corpo, ou posso levantar da cama agradecendo pelas outras partes que ainda me obedecem. Cada dia √© um presente. E enquanto meus olhos abrirem vou focaliz√°-los no novo dia e tamb√©m nas boas lembran√ßas que eu guardei para esta √©poca da vida. A velhice √© como uma conta banc√°ria: voc√™ s√≥ retira dela aquilo que voc√™ guardou. Portanto, lhe aconselho depositar muita alegria na sua Conta de Lembran√ßas E como voc√™ v√™, eu continuo depositando.
- Dona Gertrudes, a senhora tem a alegria de uma jovem! Como consegue? – pergunta a atendente.
Com um sorriso, ela abre sua carteira e dela retira um pequeno papel e entrega à moça, dizendo:
- √Č simples! Eu conhe√ßo a F√≥rmula da Juventude. Eu mesmo a desenvolvi. Tome, fique com ela!
A atendente então lê o pequeno papel, que continha a seguinte mensagem:
A fórmula da juventude:
1 - Jogue fora todos os n√ļmeros n√£o essenciais para sua sobreviv√™ncia. Isto inclui a idade, o peso e a altura. Deixe que os m√©dicos se preocupem com isso.
2 - Continue aprendendo. Aprenda mais sobre computador, artesanato, jardinagem, qualquer coisa. Não deixe seu cérebro desocupado.
3 - Aprecie mais as pequenas coisas. Um dia saber√° o quanto elas eram grandes.
4 - Ria sempre, muito e alto. Ria at√© doer a barriga. Ria at√© perder o f√īlego.
5 - L√°grimas acontecem. Aguente firme e siga em frente. A √ļnica pessoa que acompanha voc√™ a vida toda √© VOC√ä mesmo. Esteja VIVO, enquanto voc√™ viver.
6 - Esteja sempre rodeado daquilo que voc√™ gosta: fam√≠lia, amigos, animais, lembran√ßas, m√ļsica, plantas, um hobby, o que for. 
7 - Aproveite sua sa√ļde. Se for boa, preserve-a. Se est√° inst√°vel, fa√ßa o necess√°rio para melhor√°-la.
8 -Nunca se arrependa. Se foi bom, é maravilhoso. Se foi ruim, é experiência.
9 - Trate a todas as pessoas com humildade e bondade. Seja bom. Faça o bem.
10 - Diga a quem você ama, o quanto você realmente o ama, em todas as oportunidades.
(autor desconhecido)


domingo, 15 de fevereiro de 2015

Mais um para ler


Relutei para adquiri-lo pois estava blindando a minha bolsa √† prova de qualquer gasto, principalmente pelo fato de haver AINDA, dois ou tr√™s livros que estou lendo , isto porque tenho o h√°bito louco de ler mais de um ao mesmo tempo. Sempre fui assim, minha mente √© perif√©rica, assimilo diferentes informa√ß√Ķes instantaneamente, isso para mim √© muito bom.Todas as vezes que eu ia nas Americanas pegava, colocava no carrinho, tirava de novo. E os pre√ßos oscilando, nas Americanas estava de 27 reais. Entrei no site do Extra ( detalhe, vou cobrar ao extra pela propaganda e √† autora ,rsrsrsrsrs), e qual n√£o √© a minha surpresa...opa 14 reais, comprando no boleto doze reais e setenta centavos e frete gr√°tis. Uau! Antes de ler o livro, j√° estou blindando a minha bolsa. Af! A pior coisa que existe √©, termos gostos refinados em propor√ß√£o a quantidade de dinheiro dispon√≠vel,rssr.E esse mundo e essa internet e tuuudo, √© uma tenta√ß√£o. At√© que sou econ√īmica, viciada em promo√ß√Ķes. Bom, quanto ao livro, achei muito pertinente, ( ainda estou na p√°gina 71), na p√°gina 59 a autora cita uma par√°bola da cultura judaica, sob o t√≠tulo: Eita campinho ruim! Onde compara a postura de dois irm√£os que receberam um  terreno cada um e obtiveram resultados diferentes neles. Sendo salientada a atitude diferente dos dois para a obten√ß√£o dos resultados. Fugirmos de pessoas acomodadas que est√£o sempre com negatividade, vendo dificuldades em tudo. Lembrei-me de uma frase que diz: " As dificuldades residem num lugar, onde ningu√©m as procura."( desconhe√ßo o autor).E fugir tamb√©m dos cr√≠ticos de plant√£o. Na verdade, sempre existem mais pessoas para nos desmotivar, principalmente quando estamos progredindo ou tomando uma decis√£o que envolve a nossa felicidade, prosperidade. Enfim, estou lendo, estou gostando.

sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

Os cuidados com o momento do parto..





Seguindo esta linha de racioc√≠nio, pensando tamb√©m nas regras de etiqueta ( ultrapassadas, diga-se de passagem) criada por esta "galerinha euroc√™ntrica", onde tamb√©m, por elas, dividia-se o nobre ( chic) do plebeu( mal educado) . Algu√©m dita uma norma, algu√©m, formador de opini√£o e aquilo vira regra.At√© hoje com o "adolescer" do Capitalismo, ainda h√° quem carregue, ( ou seja, a maioria) muitas dessas regrinhas de etiqueta, ditas como "normais""chiques",esquecem que vivemos num mundo de constante mobilidade social, as classes sociais,est√£o tendo constantes sa√≠das e entradas de membros, como um elevador, uns descendo, outros subindo ( e com esta crise ent√£o, mais descem,rsrsrs). Quanto ao parto ser assistido por um profissional de Medicina,√© not√°vel por meio de dados, a diminui√ß√£o das mortes tanto de beb√™s quanto de mam√£es. Com rela√ß√£o a posi√ß√£o do parto, acredito que deveria ser melhor pensado.O instante do parto, √© fundamental para a sa√ļde f√≠sica e emocional de ambos.Percebo muito descaso em rela√ß√£o √†s parturientes. Atitudes machistas, vindo de alguns profissionais da √°rea de medicina, chega ser repugnante: " Pare de gemer de dor, pois quando voc√™ fez..n√£o gritou de dor."Horr√≠vel isto! A gravidez √© uma luta entre a vida e a morte, onde duas ou mais destas vidas, est√£o envolvidas. Meu parto n√£o foi normal, minha filha foi retirada com trinta e cinco semanas ( at√© hoje n√£o sei como √© esta contagem dos obstetras ( rsrrsrs). S√≥ tive tempo para fixar os olhos bem nela a fim de ningu√©m me enganar depois ( risos). N√£o a amamentei de imediato,n√£o colocaram em meu peito. Fui direto para a UTI e l√° permanec√≠ por tr√™s dias e ela, " de boa", me aguardando na maternidade, tomando o leite para rec√©m nascidos. At√© hoje, me pergunto se foi correta esta pr√°tica da maternidade, tida como modelo. N√£o tive direito a acompanhante, s√≥ depois que briguei para ter, pois fiquei l√° por oito dias. Mesmo assim, estes acompanhantes n√£o tiveram o direito de dormir em uma cama. Eu em! Bom, o Minist√©rio da Sa√ļde pretende humanizar os partos daqui para frente. Que Deus nos aben√ßoe, quer dizer √†s pr√≥ximas mam√£es, porque eu, quero encerrar aqui, por quest√Ķes de sa√ļde tamb√©m. ( rsrsrsssr).


Minist√©rio da Sa√ļde
Clique Aqui
http://bvsms.saude.gov.br/bvs/saudelegis/sas/2014/prt0371_07_05_2014.html

quinta-feira, 12 de fevereiro de 2015

Maturidade



"(...)Aprende que maturidade tem mais a ver com os tipos de experi√™ncias que se teve e o que voc√™ aprendeu com elas, do que o n√ļmero de anivers√°rios voc√™ celebrou (...)

Imaturo √© quem acha que tem nas suas m√£os algo ou algu√©m. J√° dizia Karl Marx " Tudo o que √© solido se desmancha no ar." A vida deve ser feita de recome√ßos, reconquistas. Imaturo √© quem acredita que j√° conquistou uma amizade, esquecendo de reconsiderar os sentimentos alheios, desvestindo-se das delicadezas dos tratamentos dados no in√≠cio da mesma ou, as vezes, guardar os bons tratamentos para os de fora enquanto que para os da fam√≠lia, deixar de demonstrar considera√ß√£o.Por ser da fam√≠lia o tal costume, dispensaria formalidades.Esquecermos de quem est√° conosco todo o tempo, pelo simples fato, da certeza de que a pessoa nunca nos abandonar√° √© dispers√£o, seguran√ßa demasiada. Acreditar na utopia, de que estando ela em nossas m√£os, por supostamente depender ( emocional ou fisicamente),tratar bem,atender aos nossos anseios sempre √© porque respira o nosso ar e por sua vez, n√£o sobreviver√° sem o nosso oxig√™nio. Como se a √≥rbita desta pessoa, girasse em torno de n√≥s, aparentemente Esta certeza √© perigosa por demais.Ainda que jamais comentemos ou pensemos nisto, de forma inconsciente e sutil, nas nossas a√ß√Ķes,manifestamos, seja por aus√™ncias, desprezos,apatia,etc Nunca √© t√£o f√°cil se perder quando se julga conhecer o caminho. 

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

EXTRAINDO LEITE DE PEDRA...


"Em absoluta primeira m√£o (V√ćRGULA) diretamente das entranhas da Imp√©rio das J√≥ias (V√ćRGULA) onde a Imperatriz Maria Marta vai me conceder dentro de instantes uma entrevista exclusiv√≠ssima ( V√ćRGULA) confirmo o reaparecimento do comendador Jos√© Alfredo de Madeiros ( PONTO)
H√° alguns meses dado como morto e supostamente at√© enterrado(V√ćRGULA)o ex-defunto tamb√©m conhecido como Abomin√°vel Homem de Preto foi preso e levado pra Pol√≠cia Federal ( PONTO)."

Sou aquela professora que fica esperta em tudo que a meninada est√° vendo para poder adaptar nas aulas. Acredito que o caminho seja por a√≠. Extraindo leite de pedra, sim, √© poss√≠vel.Lembro-me que certa vez, trabalhando sobre o tema CAPITALISMO, me diverti pra ded√©u com uma turma multisseriada, alunos na faixa de 18 anos ou mais,tinha at√© alunos com filhos. Pensei: " Deus meu, como abordar um tema deste, numa turma que sinceramente, mal deixava eu falar. Muitos rapazes, muita algazarra, turma gente boa, mas desmotivados pacas. √Č chato ser reprovado, passar anos a fio assim. Bom a culpa tamb√©m √© deles e de todo um contexto. Voltando ao assunto CAPITALISMO.Iniciei perguntando se algu√©m sabia o que significava a palavra CAPITAL.Todos disseram que era dinheiro. Ser√°?Pois √©, vamos l√°. Come√ßamos a contar de forma coletiva, ( eu perguntava e eles respondiam, completando a hist√≥ria), a vida de um jogador de futebol ( assunto interessante para a maioria), que quando conseguia ser contratado por um time grande realizava logo um sonho. Perguntei: Qual era? Todos em un√≠ssono: "Comprar uma casa para a m√£e." E rimos. Perguntei o porqu√™: " normalmente a m√£e mora de aluguel, e para garantir, tira logo ela do aluguel." E depois o que ele compra? " Uma casa para ele professora, mans√£o." Ok! Para qu√™? " Usufruir do dinheiro recebido". Ok. Continuei:


Eu: E se amanh√£ ou depois o clube dispensar ele, como sobreviver√°?
Turma: Vendendo a casa, a mansão, e investir a grana. ( Bem assim, sem interferência minha)
Eu: Aquela mans√£o √© o capital dele, porque pode gerar renda, ele pode alugar ou vender. Mas gera renda.( continuei) e...se ele continuar progredindo no clube, o que poder√° fazer para continuar investindo o seu dinheiro? 
Turma: Montar uma boca de fumo professora ou um ponto de Prostituição ( ri de engasgar).
Bom, a ideia era fazer eles entenderem que Capital gera renda e não é o dinheiro em si e então até falarmos do capitalismo, até falarmos do socialismo, até comparar capitalismo X socialismo, assim...sem graça, não iria rolar. Sei que algumas coisas aqui não são politicamente corretas, mas não induzi a turma. Apenas analisei o entendimento deles. E pasmem, foi uma das aulas mais divertidas que participei.
√Č sou assim, procuro arrancar no escuro, as p√©rolas que existem em cada aluno.
Vendo a novela Imp√©rio ( sou apaixonada por dramaturgia, diferente de ser noveleira), mas n√£o posso deixar de admirar a bel√≠ssima interpreta√ß√£o de Paulo Betti, como o Blogueiro Th√©o Pereira.Um jornalismo question√°vel. Me chamou a aten√ß√£o a forma como ele escreve, como que ditando com riquezas de detalhes o texto para postar no Blogger. Ent√£o pensei: " Poxa, se eu estivesse em sala, iria escrever com os alunos um texto e ir√≠amos ler assim, dando extrema √™nfase na pontua√ß√£o, de forma engra√ßada mesmo, imitando o Th√©o. Certamente seria divertido!! H√° muita coisa "escondida" por a√≠, muito leite dentro de pedras.√Č s√≥ saber utilizar a ferramenta certa e o manejo adequado.


OS ANIMAIS MIDI√ĀTICOS





"O homem √© um animal pol√≠tico — dizia Arist√≥teles. Isso no tempo da √°gora e do are√≥pago. Arist√≥teles tamb√©m desenvolveu uma l√≥gica, cujas premissas determinam at√© hoje qualquer discurso que se pretenda racional. Mas vivemos dias televisivos, de apelo ao irracional, em que a boa l√≥gica n√£o vale um vint√©m. O homem contempor√Ęneo tornou-se um animal midi√°tico, que aceita sem titubear nem pensar qualquer despaut√©rio que emane do v√≠deo ou que esteja impresso. O que a imprensa afirma ou reproduz, o animal midi√°tico engole e digere (...).
Sinal dos tempos, os animais midi√°ticos est√£o proliferando mais que coelhos no cio. Uma nuvem de incultura est√° descendo sobre as cidades e contaminando as conversa√ß√Ķes cotidianas. J√° tive de ouvir considera√ß√Ķes sobre a hist√≥ria do Brasil... a partir da novela Quintos dos Infernos. H√° quem discorra com propriedade sobre o Isl√£ s√≥ porque assiste ao tal de Clone. Pior ainda, h√° quem pretenda entender de clonagem porque viu a tal novela. H√° ainda os que citam o Fant√°stico como fonte de seus conhecimentos. N√£o falta quem pretenda discutir a hist√≥ria recente do Brasil, a partir de um filme sobre Lamarca. Os jornais, em suas chamadas, noticiam os eventos fict√≠cios de uma novela ao lado dos fatos do mundo real. √Č como se a leitura tivesse sido jogada a um museu de curiosidades hist√≥ricas e a √ļnica fonte de informa√ß√£o contempor√Ęnea fosse a telinha.
Os animais midi√°ticos tendem a se tornar legi√£o. Conversar se torna cada vez mais penoso."

Janer Cristaldo










terça-feira, 10 de fevereiro de 2015

Fibromialgia- Um diagnóstico difícil






Tenho passado por v√°rios m√©dicos ha cerca de um ano, para saber de onde surgiram estes incha√ßos nos punhos, p√©s, etc. O diagn√≥stico acusa a S√≠ndrome do T√ļnel do Carpo. Por√©m os bra√ßos muito inchados e os p√©s tamb√©m. Muitas dores! Ins√īnia, enfim, agora a suspeita da m√©dica Reumatologista de ser a mais nova e antiga doen√ßa da vez, a  Fibromialgia. Algumas informa√ß√Ķes sobre o tema, dizem que a mesma n√£o causa incha√ßo no corpo. S√≥ sei que sinto dores terr√≠veis.S√≥ sei que j√° enfrentei uma crise de dores na regi√£o lombar, inexplic√°vel. O dif√≠cil de tudo isto, n√£o √© enfrentar as dores e sim, enfrentar a briga de ego dos m√©dicos que, em muitos casos, rejeitam at√© os exames assinados pelos colegas de medicina. Perguntei para um deles: Como fico doutor, se eu n√£o tenho o que o exame acusou? O que devo fazer? Resposta: N√£o sei, s√≥ sei que "isto" voc√™ n√£o tem.√Č complicado. E ent√£o voc√™ recorre ao Dr, Google, busca tratamentos alternativos e depois recebe bronca de m√©dicos por conta da automedica√ß√£o. Sei que os profissionais da medicina enfrentam dificuldades como qualquer profissional. Por√©m, √© interessante que OU√áAM os pacientes, seu hist√≥rico, gastem POR FAVOR, os quinze minutos com qualidade, para atend√™-los. E agora que n√≥s fomos divididos em partes para sermos examinados , fica dif√≠cil saber, qual √© o m√©dico ou ter tempo para conseguir ir em tantos. Um se especializa no p√©, o outro na m√£o. Quem se especializa no p√© n√£o diz nada sobre a m√£o."Doutor, meus p√©s doem tamb√©m!" Resposta: " Mas eu s√≥ olho as m√£os, neste caso voc√™ tem que buscar um especialista de p√©s." As vezes me sinto como um boi, quer dizer somos assim: 


Olhando bem, t√ī t√£o inchada que todas as minhas partes acredito serem fil√© mignon ( s√≥ rindo), mas √© mesmo!! Uhuuuu! Mas os m√©dicos s√£o assim: olham um peda√ßo, n√£o olham outro ( isso quando olham), salvo alguns diferentes profissionais, que tem a delicadeza de olhar, tocar no paciente,o velho e imprescind√≠vel, exame f√≠sico, que parece ter sido anulado dos manuais da  pr√°tica  de medicina.Quanto a fibromialgia, √© pedir a Deus para acertar o diagn√≥stico que √©, antes de mais nada, anular atrav√©s de exames laboratoriais, todas as outras possibilidades de doen√ßas, que, se for essa s√≠ndrome, normalmente os exames nada dar√£o. Enfim, muita dor, cansa√ßo, ins√īnia, depr√™. N√£o depr√™ de apenas ficar triste, porque luto com todas as for√ßas para manter-me em equil√≠brio. Mas a depr√™ que mora dentro da pessoa, querendo lhe sufocar, lhe derrubar. Mas com f√© em Deus, vou encontrar um medicamento que diminua as dores e o incha√ßo. E para todas as pessoas que sofrem deste dist√ļrbio,a Fibromialgia, que tenham o apoio da fam√≠lia, colegas e amigos. N√£o achem que √© frescura s√≥ por n√£o ser pass√≠vel de observa√ß√£o. O apoio emocional, o ambiente e a qualidade de vida s√£o pe√ßas chaves no tratamento.





segunda-feira, 9 de fevereiro de 2015

Negue



Negue seu amor e o seu carinho
Diga que você já me esqueceu
Pise machucando com jeitinho
Este coração que ainda é seu
Diga que meu pranto é covardia
Mas não se esqueça
Que você foi meu um dia
Diga que j√° n√£o me quer
Negue que me pertenceu
Que eu mostro a boca molhada
Ainda marcada pelo beijo seu


Link: http://www.vagalume.com.br/maria-bethania/negue.html#ixzz3RHDT2lTM

CASAR E MORAR JUNTO





Casar e morar junto s√£o duas coisas completamente diferentes. N√£o tem nada a ver com seu status no cart√≥rio. Tem a ver com entrega. Voc√™ pode casar com todas as honras. Dar uma festa linda. Gastar os tubos na Lua de Mel. Se mudar com o marido para um apartamento lindo. pronto. decorado. cheio de almofadas em cima da cama… Voc√™s podem ter se casado – mas v√£o demorar muito pra saber o que √© morar junto. Acho que existem casais que se casam com pompas, e nunca talvez tenham realmente morado juntos. Morar junto √© saber dividir. Saber cobrar. Saber ceder. Saber doar. Morar junto √© dividir as contas e as almas. Morar junto √© ter um pilha de lou√ßa pra lavar, depois de um dia terr√≠vel de 10 horas de trabalho. E o outro cantar com voc√™ para que, em um karaok√™ com detergente, o trabalho se torne divertido. Morar junto √© ter que assistir Homem Aranha no Telecine Action, e se esfor√ßar para achar legal. Morar junto √© tomar banho junto.Transformar o chuveiro em uma cachoeira. (e o banheiro em um charco) Morar junto √© ouvir onde d√≥i no outro. Do que ele sente medo. Onde ele √© crian√ßa. O que o deixa fr√°gil. Morar junto √© poder chorar sem parar. E ser ouvida. E cuidada. Mas √© tamb√©m rir. E achar gra√ßa em alguma coisa, quando o outro est√° pra baixo. Morar junto √© fazer contabilidade de frustra√ß√Ķes, e saber quando n√£o colocar na conta do outro. Morar junto √© demorar para levantar. Morar junto n√£o precisa de uma casa, e sim de um espa√ßo. Quem mora junto geralmente √© solid√°rio. Casar n√£o. Qualquer um casa. Pra casar basta assinatura e champanhe. Casar leva umas horas. Morar junto leva tempo. O tempo todo. Quando moramos juntos vemos o cabelo dele crescer e ela cortar uma franja. Quando moramos juntos viramos adultos aos pouquinhos, dando um adeus do√≠do ao adolescente que √©ramos. Quando moramos junto mudamos junto. E o outro vira um outro diferente com os anos. E n√≥s vamos aprendendo a amar aquela nova pessoa, todo dia. At√© o dia que, talvez, deixemos de morar juntos.