sábado, 14 de abril de 2018

Eu não quero mais mentir....usar espinhos que só causam dor.






"Eu não enxergo mais o inferno que me atraiu 
dos cegos do castelo me despeço e vou
a pé até encontrar
um caminho, o lugar
pro que eu sou..."

    Hoje uma pessoa me disse que ao ouvir esta belíssima música de Nando Reis, se lembrou de mim. E cantou o trecho acima que ela considerava mais forte a característica. Como não sentir-se lisonjeada ao ouvir uma música de boa qualidade ser associada a minha pessoa? É certo que a música, como uma bela poesia, é sentida e tocada por cada pessoa de uma forma muito particular, peculiar, subjetiva, ainda que o autor desta, tenha outro propósito. Essa é o real sentido da mesma. Ser sentida, fecharmos os olhos ao ouví-la e "viajarmos" para qualquer dimensão.
    Deveras...., ultimamente tenho fugido dos espinhos que me causam dor,esquecendo e não querendo enxergar o inferno que me atraiu. Buscando, até a pé, um caminho em que eu me encontre. E essa é a grande sacada da vida, seguir estes instintos mentais. O que faz você pulsar, o que te traz paz e não guerra. As vezes é difícil se libertar de situações de padrões, repetições de situações desnecessárias. Sair de um universo  que não passa de uma mentira, tantos universos,muitas vezes preferidos do que este mundão real. Como o mundo é algo "ameaçador", as vezes utilizamos de todas as formas de fuga e todos os seus "efeitos colaterais", a infelicidade é um destes efeitos e o seu antônimo o desejo de todos.
    Vejo nesta música, independente de qualquer situação, um alguém que acorda pra vida, que percebe que não dá mais para continuar, seja lá qual for a situação.Dormindo de olhos abertos, vendo a vida passar, estando inerte, não.  Chega!!!  EU VOU LEVANTAR! Por mim, pois há muita vontade de mudar, de viver literalmente ' e SE ' caso' você quiser me achar, e se você me trouxer o seu lar, eu vou cuidar, do seu jardim,... jantar...céu e mar'.

Iracema Correia
    

Nenhum comentário: