quinta-feira, 7 de dezembro de 2017

Fibromialgia e a importância do carinho com o corpo.


IMAGEM RETIRADA DA INTERNET

Eu senti caroços aparecerem do nada na minha nuca que enrijecia assustadoramente, eu senti muita falta de ar, as dores tomavam o meu corpo como se eu estivesse recebendo um murro no estĂ´mago, enquanto isto as costas "reclamavam" de dor. Era tudo dor, quanta dor, insuportável dor! Parecia que vinha de um lugar inatingĂ­vel incurável. Fiquei sem ar, sem enxergar nada e suando gelado. Neste momento, ir atĂ© uma emergĂŞncia, certamente, me deixava com uma dĂşvida no ar. Eles vĂŁo aplicar ou um ansiolĂ­tico forte ou um analgĂ©sico , que nada resolveria , alĂ©m do mais , a exposição numa UPA ( Unidade de Pronto Atendimento), nĂŁo Ă© muito bem vinda para quem tem a imunidade baixa. Fazer o quĂŞ? Em meio a preocupação e atendimento das colegas, fiquei deitada no sofá , esperando um alĂ­vio atĂ© poder pegar a minha filha na escola. Nestas crises, nĂłs fibromiálgicos , costumamos nos perguntar o que terĂ­amos feito para que esta crise desencadeasse assim. É isto mesmo, nĂłs temos tanto cuidado devido a falta de qualidade de vida que Ă© como se quisĂ©ssemos rastrear com um GPS, todos os passos antes da crise, a fim de encontrar o elemento X," causador da crise". O causador nĂŁo conseguimos enxergar mais, porque ele ficou no passado, num passado tĂŁo bem guardado que sĂł atravĂ©s da terapia e como doses homeopáticas Ă© que conseguimos, talvez com dois anos de tratamento ininterrupto, encontrar o cerne da questĂŁo. DIZEM QUE PESSOAS SENSITIVAS E EMPATAS DESENVOLVEM A FIBROMIALGIA. Porque absorvem muito a energia do ambiente, costumam ser preocupadas por demais com o que aconteceu e com o que virá, como se pudessem segurar a vida e destinar os acontecimentos no seu devido tempo. Contraem os mĂşsculos do corpo, tensionando-os de forma inconsciente, vivem tensionados, sĂŁo metĂłdicos, detestam ser chamados a atenção, passĂ­veis de sofrerem assĂ©dio moral , porque percebem muito rápido a energia do ambiente e sentem a dor. E se do outro lado, o causador for um NARCISISTA EM POTENCIAL, esta pessoa sofrerá anos a fio atĂ© dizer CHEGA!!! OU ATÉ SEU CORPO DIZER CHEGA!!! A BĂ­blia diz que o coração calmo Ă© a vida do organismo carnal. Enquanto eu estava tendo a crise, o alĂ­vio foi o choro, um choro desenfreado de desespero que com as lágrimas caindo , parecia que sai junto um pingo de dor, pelo menos ,um pingo de dor, para ficar mais leve o sofrimento. Tudo o que eu sentia naquele momento de dor, era a necessidade de ser acariciada. E pedia Ă s pessoas que me massageassem, elas, embora com boa vontade , tinha medo de tocar , O CORPO DE CRISTAL, tocava , com muita leveza, quando o que eu queria era sentir uma massagem que apertasse o corpo todo, nĂŁo sei explicar bem, mas o corpo estava carente, carente das sensações maravilhosas que um abraço, um afago, causam, a sensação do prazer, da alegria. EntĂŁo percebi mais ainda , a necessidade de cuidar com muito carinho deste corpo que sofre muito, como se fosse um menino carente, precisando de todo afago necessário. S divertir, "levar" para passear, distrair "esse menino sofrido".Iniciei um processo de acupuntura, auriculoterapia, massagens ,ventosaterapia, tudo que tocasse o corpo a fim de massageá-lo e aquietasse ou acalmasse um corpo frágil a procura de paz. Senti falta da quiropraxia  com os profissionais graduados em Quiropraxia, para levar por volta de uma hora por aĂ­, tentando arrumar uma coluna que tambĂ©m está torta. Preciso sentir que estou sendo cuidada, ouvida, compreendida, quando isto nĂŁo acontece, o corpo padece e pede socorro, nĂŁo Ă© capricho, pois perdemos totalmente o controle do corpo, a mente manda mas o corpo nĂŁo obedece, Ă© uma falta de comunicação, ou melhor Ă© uma comunicação distorcida entre cĂ©rebro e corpo, onde nĂŁo rola o feedback, nĂŁo rola. Mesmo assim, vamos tentando e nessas "mal traçadas linhas" , vou clareando mais para quem nĂŁo entende o que Ă© esta coisa chamada de Fibromialgia.


Obrigada pelas visualizações
Prsoperidade Ă  todos
Iracema Correia

Nenhum comentário: