quinta-feira, 13 de abril de 2017

Os 100 sintomas da Fibromialgia.





ATENÇÃO: Este é um artigo que circula bastante na internet e foi extraído do livro "Prisonniers de la Fibromyalgie, ou maladie de la fatigue chronique, l’espoir retrouvé” do Dr. André Mergui. É muito importante saber que todos os fibromiálgicos vão ter alguns destes sintomas mas nenhum vai ter todos os sintomas.

Também é importante saber que os sintomas aqui descritos podem ser provocados por outras patologias, que devem ser descartadas até se chegar a um diagnóstico de fibromialgia. A regra de ouro é sempre a mesma: consulte o seu médico sobre cada um dos sintomas que sente.

Nota da editora: A lista refere 100 sintomas porém muitos aparecem em duplicado, descritos apenas por palavras diferentes. Acredito ter conseguido resumir e organizar os sintomas que podemos sentir. É evidente que, ainda assim, muitos estão relacionados entre si. Esta espécie de lista pretende apenas reconhecer alguns dos sintomas associados à fibromialgia, a título meramente informativo.

1. Ansiedade

2. Falta de ar

3. Depressão 

4. Crises de pânico
Podem aparecer sob a forma de crise de pânico nocturno ou terror nocturno. Geralmente começa com manifestações comportamentais de intenso medo (ainda durante o sono) culminando num despertar abrupto, com respiração rápida e, por vezes, com um grito de pânico.

5. Palpitações cardíacas 
Sensação de estar envolvido em nevoeiro, um estado de confusão ao qual os americanos chamam fibrofog.
7. Diminuição do rendimento intelectual
A sensação de se ter perdido a  vivacidade de espírito.

8. Perda de concentração

9. Perda de memória 

10. Estado de confusão
Torna-se difícil reconhecer lugares familiares, pessoas conhecidas, manter uma conversa, etc.

11. Dificuldade de expressão ou comunicação
Desde a falta de voz ou de força para articular as palavras, passando pelo esquecimento do vocabulário até à disfasia - perturbação de linguagem que consiste na má coordenação das palavras. 

12. Irritabilidade
13. Mudanças de humor
As variações de humor que um fibromiálgico pode ter são muito importantes na forma como os outros o vêm pois contribuem para que não seja levado a sério como portador de uma doença.
Estas flutuações dependem dos níveis de endorfinas disponíveis no organismo. Também surgem porque a dor que sente é esgotante, consome a sua vitalidade, acaba com a força e a vontade, descontrola o sistema nervoso. Acaba por ter problemas para controlar as suas reacções e perde a serenidade com alguma frequência. Pode acabar por ter crises de pânico ou de choro.

14. Suicídio
A ideia é recorrente mas raras vezes é posta em prática, felizmente.

15. Sono não reparador
O portador de fibromialgia dorme menos e de forma não reparadora. Observa-se um distúrbio na 4ª fase do sono, segunda fase do sono profundo. Nesta fase, o cérebro trabalha quase que exclusivamente com as ondas delta lentas. É uma fase importante para se sentir revigorado pela manhã. Se a etapa for muito curta, o sono não vai ser satisfatório. As ondas delta são medições da actividade do cérebro e normalmente estão associadas com o começo dos sonhos, ou seja, o descanso so cérebro das actividades do dia a dia. Um distúrbio nesta fase do sono descontrola a hormona do crescimento que é responsável pela regeneração dos tecidos, pela boa forma do sistema imune e está envolvida no controle do metabolismo. Na prática o fibromiálgico tem fases de insónia e fases de hipersomnia, desperta várias vezes durante a noite, muitas das vezes sem conseguir adormecer outra vez e, de manhã, sente-se tão cansado como se não tivesse dormido. O professor doutor Harvey Moldofsky, um psiquiatra canadiano especialista em distúrbios do sono, demonstrou que os portadores de fibromialgia sofrem de um distúrbio no sono profundo, em ondas lentas.   
16. Apneia do sono
Condição clínica caracterizada por episódios repetitivos de obstrução da via aérea superior durante o sono, resultando frequentemente em dessaturação de oxigénio e microdespertares.

17. Síndrome das pernas irrequietas
Esta síndrome é um distúrbio do sono em que a pessoa sente uma necessidade involuntária de movimentar as pernas. Geralmente o sintoma ocorre a noite ao deitar-se, havendo alívio com o esse movimento, porem muitas vezes a pessoa passa muito tempo - até muitas horas - movimentando as pernas e isto prejudica o sono.

18. Espasmos nocturnos
Incontroláveis, nos braços e nas pernas.

19. Rigidez
O paciente tem a sensação de estar apertado dentro de um colete de gesso que dificulta os seus movimentos. É mais frequente de manhã, ao sair da cama e depois de ter estado no máximo 30 minutos na mesma posição, de pé, sentado ou na cama. Conduzir pode activar esta rigidez que tem a particularidade de se agravar com mudanças de temperatura ou dependendo da humidade ambiente.

20. Diminuição do rendimento físico
A impossibilidade de continuar a fazer tudo o que se fazia, como se se tivesse envelhecido rapidamente, a sensação de estar sobrecarregado e no limite das capacidades.
  
21. Astenia
A fadiga crónica é caracterizada por uma sensação generalizada de debilidade e falta de vitalidade, que se sente tanto a nível físico como intelectual, e que afecta a capacidade de trabalhar ou realizar tarefas simples.

22. Dificuldade em subir ou descer escadas

23. Dificuldade em levantar os braços

24. Articulação temporo-mandibular
A articulação da mandíbula com o crânio que deve ser silenciosa e indolor pode tornar-se dolorosa ao abrir e fechar a boca, provocando um estalido ou a sensação de que a mandíbula saíu do sítio. É difícil abrir completamente a boca. Desvio da mandíbula ao abrir e fechar a boca.

25. Bruxismo
As mandíbulas estão sempre cerradas e rangem-se os dentes, de dia e de noite.

26. Mastigação difícil 

27. Disfagia
Dificuldade em deglutir, engasgamento
28. Sensibilidade nas gengivas 

29. Laringite e amigdalite frequentes

30. Irritação na garganta 
A sensação de ter mucosidades na faringe.

31. Boca seca
32. Olhos secos
33. Picadelas nos olhos
Podem sentir-se picadelas como se se tivesse um grão de areia que não saísse da conjuntiva. 
34. Visão enevoada
35. Olhos vermelhos
Os globos oculares podem ficar vermelhos e inflamados, depois de uma leitura, por exemplo. 
36. Espasmos incontroláveis nas pálpebras.

37. Visão dupla
É frequente também aparecerem falsas imagens que se deslocam em frente aos olhos. Estes sintomas podem prejudicar a condução de veículos.
Cólicas, alternância entre diarreia e prisão de ventre, pouca tolerância a alguns alimentos e muito mais...

39. Problemas digestivos
Dores, gases, ardência no estômago, náuseas. 

40. Audição
Perda das frequências baixas ou diminuição da acuidade auditiva. Acuidade é a capacidade acentuada de sentir e descriminar estímulos sensoriais.

41. Canal auditivo
Os pacientes referem a sensação de estar sempre tapado, como se fabricasse cera em excesso.
42. Zumbidos ou assobios nos ouvidos
Provêem de espasmos dos músculos tensores do tímpano e são muito incómodos, no mínimo. O ruído incessante torna-se obsessivo e acaba por dar a sensação de que se está a ficar louco. Há pacientes que descrevem também sons de campainhas, diminuição de audição e pruridos ocasionais.

43. Perda de força e falta de sensibilidade
Ao nível das mãos com predomínio unilateral sobre o 4º e 5º dedos. 
44. Formigueiro
Aparece muitas vezes nas mãos e mais raramente nos pés. Quando acontece nas mãos pode irradiar até às costas.
45. Síndrome do túnel cárpico
A fibromialgia pode provocar sintomas semelhantes aos desta síndrome. A síndrome do canal cárpico é uma condição causada por um aperto nervoso ao nível da face anterior do punho que às vezes provoca adormecimento, formigueiro  e dor no antebraço, mão e dedos.

46. Cãimbras musculares
47. Espasmos musculares

48. Pele
Pele seca e escamosa 

49. Comichão
Acompanhada de uma vontade incontrolável de coçar, principalmente nos pulsos e tornozelos.
50. Mudanças de coloração cutânea
Por vezes a pele fica com um aspecto marmoreado

51. Déficit de ferro
Pode causar queda de cabelo, unhas estriadas, secura da mucosa bucal, gretas nos lábios.

52. Circulação sanguínea
Parece alterada, com mudanças na coloração da pele nos lóbulos das orelhas, nas mãos e nos tornozelos. Os pacientes descrevem uma sensibilidade exagerada ao frio e ao calor. Dedos vermelhos ou brancos e gelados.

53. Inchaço nas extremidades
Este tipo de inchaço não tem a ver com articulações o que permite diferenciá-lo de afecções inflamatórias articulares. Pode aparecer nos dedos, mãos, pés ou pernas, normalmente num só lado.

54. Dificuldade em caminhar
É frequente precisar de apoio para caminhar, tanto com bengala como com a ajuda de alguém.

55. Torpor
Para além de facilmente cairem os objectos das mãos, o paciente com fibromialgia tropeça, choca com objectos e lesiona-se com facilidade.

56. Joelhos
Os joelhos dobram-se sem motivo aparente e sem pré-aviso. 

57. Vertigens e tonturas 
Impressão de perda de contacto com o solo, de não sentir os próprios passos.
58. Pés
Quando o corpo não está no seu eixo o pé não se apoia uniformemente sobre o solo. Os apoios são transferidos, quase sempre, para a frente, de tal maneira que o facto de se levantar ou andar causa lesões no pé e podem aparecer vários tipos de ferida: calos, bolhas e inchaços. Num estado avançado isto pode dar origem a uma fasceíte plantar a tal ponto que o portador de fibromialgia perde a vontade de usar sapatos ou caminhar.

59. Hipersensibilidade sensorial
Aos cheiros, à luz, ao ruído, ao calor, ao frio, ao meio ambiente.
Fotofobia - impossibilidade de suportar a luz forte, tanto natural como artificial.
Misofonia - sensibilidade ao ruído.
Alodinia - sensibilidade ao toque; um beijo, o roçar da roupa, podem ser doloroso. 
Hiperosmia - sensibilidade aos cheiros.

60. Hipersensibilidade imunológica
Parecem alergias a vários alimentos, medicamentos, aditivos alimentares, à poluição porém desaparecem sem tratamento. Pode originar congestão do nariz, picadelas e ardência nos olhos e lacrimejar.

61. Hipersensibilidade térmica
Sensação de muito calor no Verão e demasiado frio no Inverno. Extremidades brancas, não vascularizadas, que parecem não ter sangue. Mudanças de temperatura rápidas, de um extremo ao outro, sem razão aparente. Arrepios.

62. Suor abundante

63. Mialgias
Dores musculares que podem afectar um ou vários músculos do coro e podem resultar de causas muito diversas. Na fibromialgia as dores são espontâneas, difusas e podem aparecer sob várias formas como sensação de queimadura, de picadela, de puxão e sentem-se nos músculos, tendões, ligamentos e pele. Mudam de lugar e de intensidade. Podem estar relacionadas com o tempo, a humidade, o stress ou a actividade física. Não há nenhuma parte do corpo onde não apareça dor.

64. Dor de cabeça
Este tipo de dor também aparece de diferentes formas: como enxaqueca, nos seios nasais, unilateralmente, "atrás" dos olhos, como se houvesse sinusite que não mostra sinais nos exames radiológicos.
65. Dor à pressão temporo-mandibular

66. Dor torácica unilateral
Perceptível a mais ou menos 4 cm do esterno. Esta dor aparece quase sempre do lado esquerdo, sobre a 5ª costela e impede o paciente de encher completamente os pulmões de ar.

67. Dores musculares bilaterais, à pressão
O Colégio Americano de Reumatologia descreveu 9 pontos, bilaterais, dolorosos, em 1990. Quando 11 destes 18 pontos são dolorosos à pressão, o sujeito tem 88% de probabilidades de ser fibromiálgico.

68. Vulvodínia
Dor ou sensação de queimadura na área ao redor da abertura da vulva sem que haja um motivo aparente.

69. Endometriose
Presença do endométrio – tecido que reveste o interior do útero – fora da cavidade uterina, ou seja, noutros órgãos da pelve: trompas, ovários, intestinos e bexiga.

70. Dismenorreia

A dor abdominal e/ou pélvica intensa que surge antes da menstruação ou coincidindo com a mesma, e dura aproximadamente 24 horas.

71. Diminuição da líbido
O desejo sexual hipoactivo é a diminuição ou ausência total de fantasias e de desejo de ter actividade sexual. Simplesmente, a pessoa sente que tanto faz ter sexo ou não, pois não faz falta para si. Há um grande sofrimento por sentir essa desmotivação e pelos problemas que causa a um casal. É indicada alguma forma de psicoterapia.

72. Diminuição da fertilidade masculina
Os transtornos hormonais no eixo hipotálamo-hipófise-gonadal diminuem a fertilidade.

73. Tiróide
Normalmente hipotiroidismo.

74. Urinar
Necessidade imperiosa e frequente de urinar, sem infecção - síndrome da bexiga irritável, que se complica que houver cistites (infecção na bexiga) frequentes. Na mulher é frequente a perda de urina ao menor esforço - andar, subir escadas, correr.

75. Exames médicos
- a fibromialgia não mostra alterações em radiografias, TAC ou ressonâncias magnéticas
- a fibromialgia não mostra alterações nas análises ao sangue normais
- a fibromialgia não mostra alterações se for feita uma biópsia

- O Dr. Jon Russel, do Health Science Center, da Universidade do Texas, afirma que a substância P. se encontra em quantidade acima do normal no cérebro dos fibromiálgicos enquanto que o nível de serotonina é inferior ao normal. A dopamina, noradrenalina, o GABA e todos os neurotransmissores têm valores anormais. O eixo hipotálamo-hipófise-suprarrenal está alterado assim como o sistema nervoso autónomo*.

*O sistema nervoso autónomo também chamado sistema neurovegetativo ou sistema nervoso visceral é a parte do sistema nervoso que está relacionada com o controle da vida vegetativa, ou seja, controla funções como a respiração, circulação do sangue, controle de temperatura e digestão. 
É também o principal responsável pelo controle automático do corpo face às modificações do ambiente. Por exemplo, quando o indivíduo entra numa sala com ar-condicionado que lhe provoca frio, o sistema nervoso autónomo começa a agir, tentando impedir uma queda de temperatura corporal. Dessa maneira, os pêlos arrepiam-se e começa a tremer para gerar calor. Ao mesmo tempo ocorre vasoconstrição nas extremidades para impedir a dissipação do calor. Essas medidas, aliadas à sensação desagradável de frio, foram as principais responsáveis pela sobrevivência da espécie em condições que deveriam impedir o funcionamento de um organismo. Assim se pode perceber que o organismo possui um mecanismo que permite ajustes corporais, mantendo assim o equilíbrio do corpo.

76 a 100. Parafernália de indispensáveis ao conforto e funcionalidade de um fibromiálgico :) =D
  • uma boa almofada
  • uma manta leve e quente
  • uma garrafinha de água
  • uma cadeira
  • medicamentos
  • óculos de sol
  • camadas de roupa para poder vestir e despir, conforme sente calor ou frio

  • etc., etc.,

Fonte: http://fibromialgiaempt.blogspot.com.br/2015/05/os-100-sintomas-da-fibromialgia.html

Nenhum comentário: