domingo, 2 de abril de 2017

Entre saber o que se quer e agir em harmonia.






 " Não há vento favorável para quem não sabe para onde vai."


    É bom demais estabelecer metas na vida. Traçar planos em todas as áreas. Dizem especialistas financeiros que estabelecer metas e segui-las é fundamental para o sucesso. Já dizia Renato Russo: " Disciplina é liberdade." Sem dúvida. Porém estamos numa época em que qualquer pessoa que viveu em década atrás, poderia atestar veementemente que o dia foi cortado pela metade. Não são mais vinte e quatro horas e sim, doze horas, pelo menos ao que parece. Que fenômeno é este, não sei dizer, mas enquanto pensamos que estamos hoje de manhã, acordando, o dia já se deu por satisfeito e então "hoje" já não é mais. O amanhã chegou. Neste sobe e desce e tic e tac do relógio, nervoso e veloz, parece que nossos objetivos estão escapando por nossas mãos, na mesma rapidez que os dias passam. Não tem sido fácil tomar certas decisões,ser forte e agir de forma coerente com o que queremos. Nem sempre é fácil dizer não para um sentimento não correspondido e ser forte para dar um basta. Nunca é fácil! Parece que estamos desperdiçando tempo. Uma pausa neste raciocínio e vem a reflexão: O que é melhor? Qualidade ou quantidade?____
     Esta pressa para que a fruta amadureça vai forçar um sabor nada verdadeiro. Não há como comparar o sabor de uma fruta amadurecida no tempo certo com o sabor de uma fruta forçada ao amadurecimento precoce. O "doce mel" escorrendo pelos cantos da boca de quem saboreia uma fruta orgânica e amadurecida naturalmente, sem interferências, é quase um orgasmo para o paladar. Quantas vezes vemos frutas belas e enormes no mercado, mas a decepção ao degustá-la é tamanha, ante a falta de sabor verdadeiro. É esta graça que quero da vida. Saboreá-la de verdade, viver o real, o amor verdadeiro, sentido e tocado em sua intensidade. Chega de superficialidades. Quero e sei o que quero! Verdade, profundidade! Eureka! Putz! É isso! 
    Existem pequenas felicidades que podemos desfrutar ao longo do caminho. Nesta lista, certamente não incluiu o jogo da conquista cruel. Aquele prazer que para alguns é propagado aos quatro ventos de quantas ou quantos já foram conquistados. Prezo e respeito muito os sentimentos alheios, na mesma medida que espero que os meus também sejam respeitados. Pessoas não são objetos para serem descartadas. Que época é esta de pessoas rasas meu Deus? Onde estamos? Quanta gente vive buscando e rebuscando momentos como um viciado na adrenalina que a "droga" causa e quando não tem o momento desejado, sofre abstinência. Quanta falta de comprometimento! 
    Definitivamente não é este sentimento raso que quero. Momentos... é muita superficialidade! É muito pouco para quem tem muito à dar. Como sei? Porque tenho metas, e procuro agir em harmonia com o que quero. 

Iracema Correia

Nenhum comentário: